Livrarias à beira da morte

Certas revistas sofrem do mesmo mal que o espelho da história da Branca de Neve. Nas páginas, você encontra inúmeras histórias de livrarias em expansão permanente. Várias fotos mostram funcionários sorridentes e a loja repleta de livros. Todos entrevistados repetem o mantra ensaiado: “Nunca o mercado de livros esteve tão bem!”.

Um dia, você descobre que a imagem refletida mentia para você. A constatação o deprime ainda mais. No entanto, um leão ferido ainda tem vontade de rugir. É uma questão de dignidade e de auto-estima. O que fazer quando a vida de sua loja parece caminhar inexoravelmente para o final?

Temos de resolver como reagir. Não podemos trocar as cartas que recebemos, mas apenas pensar como jogar. Os obstáculos existem por algum motivo. Não estão ali para nos impedir de entrar. Eles existem para nos dar uma chance de mostrarmos a força de nossas aspirações.

Ações irrefletidas podem trazer ainda mais prejuízos. É hora de parar e pensar cuidadosamente cada estratégia. Planejar não significa obter soluções perfeitas; significa fazer o melhor possível com recursos limitados. Se você tem uma pergunta, trate de encontrar a resposta. É momento de abrir-se para ouvir outras pessoas. Abrir livros. Abrir a mente.

Nem tudo precisa ser consertado. Concentre-se no essencial. O mais importante é permanecer fiel aos sonhos que um dia você descobriu plantados em seu coração. Permaneça firme. Podemos piorar as coisas se desmoronarmos. Se acharmos uma brecha, provavelmente acharemos um meio de flutuar por ela.

As muralhas existem para deter aqueles que não querem realmente transpô-las. Elas estão lá para deter os outros. Lembre-se do que dizia certo personagem da série Jornada nas Estrelas: “Eu não acredito em situações de fracasso”. Não reclame, apenas se esforce. Trate a doença, não o sintoma. Jamais desista.

A maior parte das frases deste texto foi extraída do livro A lição final (Agir). A obra conta a história de Randy Pausch, um americano de 47 anos que descobriu que tem um câncer de pâncreas e vai morrer em poucos meses. Em setembro de 2007, já desenganado pelos médicos, ele fez uma palestra na Carnegie Mellon, universidade na qual ele foi professor durante muitos anos. Quase três milhões de pessoas já assistiram à gravação que está no YouTube (veja abaixo).

Destaque em toda a mídia, o livro apresenta várias lições interessantes e a leitura nos ensina a amar, valorizar e agir para preservar a vida. Acredito que inúmeros princípios também podem ser aplicados aos negócios. Quase todas as semanas surgem notícias de livrarias cujo diagnóstico prevê morte iminente. Em outras lojas, a saúde financeira ainda resiste, mas a motivação está quase em fase terminal.

Segundo a mitologia grega, Pandora recebeu uma caixa contendo todos os males do mundo. Ela desobedeceu às ordens de não abri-la. Quando tirou a tampa, o mal se espalhou pelo mundo inteiro. Porém, no fundo da caixa restara a “esperança”.

Examine a sua caixa do coração. Se encontrar esperança, é sinal de que ainda há tempo para a ação. Busque ajuda especializada e prepare-se para viver dias de saúde e prosperidade nos negócios. Vida longa para a sua livraria!

texto meu que será publicado na próxima edição do Catálogo MW.

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Livrarias à beira da morte

Deixe o seu comentário