O Prêmio


O grupo moveu-se para tomar lugar em uma mesa no fundo do bar. Ele andou a seu lado um instante (como tinham andado lado a lado!) mas não quis sentar, recusou o convite gentil, sentia-se quase um estranho naquela roda. Despediu-se. E quando estendeu a mão àquela que tanto amara, e recebeu, como antigamente, seu olhar claro e amigo, quase carinhoso, sentiu uma coisa boa dentro de si, uma certeza de que nem tudo se perde na confusão da vida e que uma vaga mas imperecível ternura é o prêmio dos que muito souberam amar.

Rubem Braga


(extraído de Melhores Contos – Seleção de Davi Arrigucci .Jr.Global Editora – 11ª edição, 2001)

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for O Prêmio

Deixe o seu comentário