A guerrilheira Dilma

Dilma, a Ministra-Chefe da Casa Civil, NEGA a sua suposta participação no suposto plano de sequestro do Ministro Delfim Netto, nos anos de chumbo, boato que circulou pela internet, através de uma ficha do DOPS falsa.

Teve jornalista que caiu no conto e divulgou a notícia.

A tal ficha foi preenchida por uma máquina de escrever elétrica, que não existia na época. E, quem conhece a história, sabe que Dilma, a guerrilheira Wanda [ou Estela], foi presa antes.
Dilma era do Colina (Comando de Libertação Nacional). Em 1969, se uniu à VPR, de Carlos Lamarca, resultando daí o VAR-Palmares. Mas a nova organização durou 3 meses. O Colina defendia uma luta com a massa. A VPR, ações armadas. O resultado foi um racha num congresso tumultuado. Em meses, a repressão caiu em cima.

O próprio responsável pelos arquivos do DOPS, depois de ver a ficha original, afirmou que não tinha essa ficha por lá e desconfiava que era falsa.

Na nossa fantasia, vinham as imagens de uma guerrilheira jovem, estudante, sequestrando o todo-poderoso Ministro gordinho, braço civil da ditadura, empurrando-o para dentro de uma Kombi de placa fria, empunhando um 3-oitão enferrujado, imaginando lutar pelo socialismo, gritando “ousar lutar, ousar vencer! abaixo a ditadura!”, e que esse gesto seria aplaudido pela massa, que iniciaria uma revolução; o estopim de uma era que traria liberdade e justiça.

Puro fetiche…
pelo andar do calhambeque, não vai demorar p/ alguém dizer que a ministra inventou a doença apenas p/ ser eleita e “perpetuar a ditadura petista no país”.
e-mail que recebi nesta madrugada menciona o “assistencialismo clientelista que transforma os menos favorecidos em palhaços do Circo do Retirante Pinóquio”.

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for A guerrilheira Dilma

Deixe o seu comentário