Coração no lugar errado

Minha sina não é realizar projetos, mas sepultá-los antes que eles tomem corpo – mesmo sabendo de antemão que eles jamais chegariam a ponto tão admirável. Queimaria alegremente esse amarelo fosco se ele pudesse ser queimado, se a boca do fogo não o repelisse com seu retumbante riso de indiferença. O criador consciente do pecado que é deflorar uma página em branco, já insuportavelmente arrependido, procura se redimir.

Não me foi dada ainda aquela redenção, pois o fogo pode queimar Sodoma e pode queimar o peito que ama, mas não queima rabiscos em tintas foscas, que com as melhores intenções não tencionavam convencer o “alheio entendimento” e mover a “alheia vontade”.

Ouvi nos últimos dias a voz grave e boa de Chesterton, e ela me acusava de ter “um coração heroicamente grande e generoso; mas não um coração no lugar certo.” Devo confessar que nunca me senti tão culpado por um crime, e paralelamente tão satisfeito por descobrir-me um criminoso precisamente onde achava que era um herói.

Talvez sepulte a tinta fosca, ou talvez a defraude. Só lhes peço um favor: não venham até aqui esperando o mesmo de sempre: ou toparão com um cadáver ou toparão com um monstro, ou ainda – e isso é terrivelmente pior – toparão com o mesmo de sempre.

Alysson Amorim, no blog Amarelo fosco.

Leia +

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Coração no lugar errado

Deixe o seu comentário