A minha alma está armada

“Os hondurenhos têm o direito de pegar em armas” (Manuel Zelaya).

Por ocasião da Guerra do Iraque, o Pastor Ricardo Gondim escreveu sobre um programa do Larry King onde Max Lucado, John McArthur e Bob Jones tentavam dar “justificativas cristãs” e “bases bíblicas” para as ações do irmão Bush e os ataques ao Iraque pelos Estados Unidos, o “Israel de Deus” da modernidade.

Gondim foi sistemática e terrivelmente atacado pelos nossos irmãos que defendiam aquele tipo de “pegar em armas” e que agora apóiam o governo golpista de Honduras que, por sua vez, tem usado armas para se manter.

Oro entristecido pelos hondurenhos e por Zelaya que não conseguiram impedir que tal estado de coisas se estabelecesse entre eles enquanto nação e espero que em tempo breve eles possam restabelecer o “menos ruim’ sistema político que inventamos até agora.

Sou seguidor de Jesus de Nazaré antes de qualquer outra coisa e se tiver que abandonar qualquer outra coisa, seja ela ideológica ou religiosa, o farei sem pestanejar se a tal coisa entrar em confronto direto com os princípios do Reino de Deus e a sua Justiça.

Sempre estive pronto, para que se fosse o caso, como o apóstolo Paulo, considerar como excremento qualquer outra coisa que se oponha aos princípios do Reino.

Chegou o momento de começar a questionar todo aquele que relativiza o Evangelho de Jesus Cristo e quebram ou dão nova roupagem ao Sermão da Montanha que é a nossa Constituição e a Regra de Ouro que é a nossa clausula pétrea.

A nossa Justiça é outra, não há precedentes entre qualquer ideal progressista humano por mais bem intencionada e justa que essa proposta possa ser.

Se os hondurenhos devem pegar em armas eu realmente acho que isso é assunto dos hondurenhos, mas nós, que seguimos o Mestre Jesus temos a obrigação de desestimular essa ação ou qualquer outra similar sob o risco de estarmos colocando as coisas humanas acima do Deus das coisas e dos humanos e defendendo uma justiça da terra em detrimento da justiça do Senhor de toda a terra e aqueles que nela habitam.

Era só o que faltava… nós darmos uma de Max Lucado e os demais irmãos da America que apoiaram a guerra do Iraque e o Golpe de Honduras. Sim, nós seremos iguais a eles se apoiarmos e estimularmos a convocação de Manuel Zelaya sobre o direito que o povo hondurenho tem de pegar em armas.

Eles até podem ter o direito de pegar em armas, mas nós temos o dever de ser contra esse direito.

Levi Araujo, no Repórter Diário.

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for A minha alma está armada

Deixe o seu comentário