Preconceito cristão e os ungidos intocáveis

Ontem assisti O Menino do Pijama Listrado. Imaginei que fosse um filme mais ingênuo, meio água-com-açúcar, mas não é. Só que este post não é sobre O Menino do Pijama Listrado… Isso é só uma introdução para dizer que quase sempre após assistir um filme, dou uma olhada no Cinema em Cena porque gosto muito das críticas de lá e aprendo bastante sobre cinema com elas. Então, fui ler a opinião de Pablo Villaça sobre o filme e descobri que ele tem um blog e postou um texto sobre o discurso de um pastor da Igreja Batista que o deixou horrorizado.

Quando vejo pessoas indignadas com pregações evangélicas como essa relatada por Pablo, eu me lembro o porquê a igreja me marcou tão negativamente! Porque discuros como esses são absolutamente comuns e recorrentes. E lá dentro todos engolem esse tipo de preconceito e raciocínio torto. Aqueles que não concordam, mas não querem perder a estabilidade de fazer parte de um grupo, calam-se. Mas eu não preciso me calar mais.

Quando me dizem que não tenho direito de falar sobre os “ungidos de deus” ou que só falo sobre essas coisas porque sou amargurada, minha única resposta é: VOU CONTINUAR ESCREVENDO E FALANDO SOBRE OS ABSURDOS DA LÓGICA EVANGÉLICA e não faz a menor diferença você me dizer que não tenho esse direito. Se eu conseguir abrir uma cabeça sequer para o fato de que embaixo do discurso amoroso dos evangélicos há um poço de preconceitos e ódio, já me dou por satisfeita.

Porque não importa o quanto de “Jesus te ama” eles recitem. Por baixo desse “amor” há pensamentos assim:

“Muitos defendem o casamento entre homossexuais. Eles não têm que se casar de forma alguma, não podem. Isso é preconceito? É preconceito, sim, mas que temos que ter mesmo! Esse tipo de casamento vai destruir a instituição do matrimônio. E outra coisa: alguns defendem que casais homossexuais possam adotar crianças órfãs. Não podem, não. É preferível que as crianças cresçam no orfanato do que criadas por um casal de homossexuais”. (Pastor Jorge Linhares)

No post de Pablo ele fala também sobre a idéia do pastor de que as enchentes em Santa Catarina no ano passado foram um castigo divino. Ouvir esse tipo de coisa é muito comum em qualquer igreja evangélica, não importa o quão moderna ou acolhedora ela pareça. Os pastores mais inteligentes não falariam isso em cultos normais, abertos ao público, mas em reuniões de lideranças todo tipo de absurdos como esses são debatidos pelos pseudos-especialistas em designios de deus.

Então, aos preocupados com o que pode me acontecer por “tocar nos ungidos do Senhor“, fica a dica: eu não tenho medo de fantasmas, só tenho medo da ignorância!

Juliana Dacoregio, no blog Heresia loira.

a mensagem imprópria e estúpida do Jorge Linhares já foi abordada há alguns meses aqui no blog. no entanto, os + de 40 comentário no blog da Ju ampli(fic)aram uma discussão sempre importante. recomendo a leitura.

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Preconceito cristão e os ungidos intocáveis

Deixe o seu comentário