E viu que Eva era boa.

Trechos de “Genêsis”, a história bíblica segundo o cartunista Robert Crumb

Crumb descansou no quarto ano. Antes, criou Deus, o paraíso, Adão e Eva. E viu que Eva era boa. Ou melhor, avantajada. Após extensa pesquisa, o cartunista Robert Crumb, 66, lança em outubro aquela que é considerada a principal publicação em HQ no ano. “Gênesis”, versão ilustrada do primeiro livro da Bíblia, respeitou “palavra por palavra” do texto original. O livro deve sair logo depois no Brasil, pela Conrad.

O autor de “Fritz the Cat” e “Mr. Natural”, símbolo da contracultura nos anos 60, conversou com a Folha por telefone na sexta-feira, com a voz tranquila e a ironia que lhe são características. Falou sobre o novo trabalho e sobre não saber (quase) nada de francês após 18 anos vivendo na França –mora no sul do país com a mulher, a cartunista Aline Kominsky-Crumb–, deu opiniões como sempre ácidas sobre sua terra natal, defendeu teorias conspiratórias e comentou o uso de sua obra. Veja trechos a seguir.

Folha – Foi difícil definir como desenharia Deus?
Robert Crumb – Bem, tive esse sonho em que vi Deus, em 2000. Foi intenso e vívido, teve efeito profundo em mim. Mas não pude olhar por muito tempo. A forma como o desenhei lembra só vagamente como era no sonho. Também me baseei em imagens de Deus na cultura ocidental, o patriarca de barba branca e expressão severa.

Folha – O quanto conhecia do texto da Bíblia antes disso?
Crumb – Não sou estudioso da Bíblia, ainda não conheço bem o resto dela, mas de certo me tornei estudioso do Gênesis. Li de perto para ter certeza de que tinha feito os desenhos direito. Vi meu trabalho como o de um ilustrador, não o de alguém que estaria tirando sarro do texto. Queria, como dizer, revelar o texto tanto quanto possível.

Folha – O sr. não quis tirar sarro…
Crumb – Não, eu não quis. Leia + AQUI

Se quiser dar uma folhadinha virtualmente no livro, clique AQUI e assista o vídeo.

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for E viu que Eva era boa.

Deixe o seu comentário