Os velhinhos do McDonald’s

“O conhecimento torna a alma jovem e diminui a amargura da velhice. Colhe, pois, a sabedoria. Armazena suavidade para o amanhã.”
Leonardo da Vinci

Não se iluda, querido leitor. Os velhinhos do McDonald´s não são apenas avós levando seus netinhos para os Big Mac’s e às fritas; são, de longe, os melhores funcionários das lojas da rede no Reino Unido.

Enquanto isso, em muitos países, inclusive no Brasil, continua a alucinação de mandar para casa, compulsoriamente, pessoas com 60 ou mais, que depois de 30/40 anos de trabalho numa empresa ou setor de atividades, alcançaram o estágio da sabedoria, ou seja, o melhor momento para colaborarem e produzirem. É, sem a menor dúvida, a ditadura dos jovens, que não suportam conviver com as pessoas que contribuíram inestimável e decididamente para a construção da empresa, do negócio, e temem serem julgados por eles.

Um dia Amador Aguiar disse para Olavo Setubal, “os clientes que vocês não quiserem no Itaú, porque não são lucrativos, mande todos, por favor, para o Bradesco”. Está faltando um Amador Aguiar neste momento no Brasil e no mundo, que diga para todas as empresas, “os velhinhos que vocês não quiserem por aí mandem para cá, estamos colecionando pedras preciosas, precisamos aumentar nosso capital intelectual, na sociedade de serviços o capital não é o dinheiro, é o conhecimento; mandem todos pra cá! Urgente!”.

O valor dos sexagenários acaba de ser comprovado em pesquisa realizada pela Lancaster University Management School em 400 lanchonetes do McDonald´s no Reino Unido. Objetivo: avaliar a performance dessas lanchonetes e agrupá-las por desempenho e fatores de sucesso e ou fracasso. Agrupadas as vencedoras e cotejadas com as que ficaram nas posições inferiores, em muito se assemelhavam com exceção de um pequeno e decisivo detalhe, segundo David Fairhurst, cpo – chief people officer – do Mc no Reino Unido: uma presença maior de colaboradores com 60 ou mais anos. Nessas lojas, o índice de satisfação dos clientes era, no mínimo, 20% superior, e segundo David, “20% a mais em satisfação significa mais vendas e mais lucros”.

Assim, e a partir de agora, o McDonald’s, sob o comando de David, terá mais cuidado nas novas contratações e considerando que o quadro atual de colaboradores seguia uma visão anterior e equivocada: 75 mil colaboradores abaixo de 21 anos de idade, e apenas mil – isso mesmo 1 mil – colaboradores com 60 ou mais anos. A propósito, o funcionário mais velho de uma das lojas do Mc no Reino Unido é uma mulher de 83 anos, numa lanchonete em Southampton. De longe, um dos 10 melhores funcionários da rede!

Se pra trabalhar em pé, nos balcões e cozinhas, os velhinhos servem, o que dizer-se então sobre trabalhar sentados, usando todo o capital de conhecimento e sabedoria que possuem?

Francisco A. Madia, no Propaganda & Marketing.

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Os velhinhos do McDonald’s

Deixe o seu comentário