O Baixo Meretrício é a minha paróquia

Atire a primeira pedra quem não tem pecado. Como somos bons de mira… Impressiona-me a capacidade que temos de julgar as pessoas. Conceitualmente até compreendemos que todos temos defeitos e que pecamos, todos somos falhos, mas, na maioria das vezes este é apenas um conceito racional que não é emocionalmente introjetado.

Ontem foi o Dia Internacional da Mulher e eu tive o privilégio de, junto com alguns jovens, ir para a “boca do lixo” levar rosas para as prostitutas de rua, mulheres que são tão mulheres, mães, filhas e irmãs como todas as nossas, mas que suas escolhas ou suas “falta de escolhas” as empurraram para uma vida de pouca dignidade.

Entreguei duas rosas para duas delas e desejei um Feliz Dia da Mulher. Elas me abriram um sorriso especial em encabulado agradecimento, dizendo: “É a primeira rosa que eu ganho…”

Teve também a Lílian, que pegou a rosa com muita alegria, realmete agradecida, quase sem acreditar… Minha companheira pediu que ela lesse o poema que estava afixado na rosa. Ela emocionou-se, pediu uma oração, disse que a vida estava muito complicada para ela…

Histórias e mais histórias de pessoas que são a imagem e a semelhança de Deus, mas que estão nesta vida, aparentemente fácil, conforme o julgamento de alguns. Entretanto são vítimas do pecado próprio (que todos nós cometemos diariamente), são vítimas de uma sociedade que não ofereceu muitas opções, fruto da baixa escolaridade… Vítimas do preconceito generalizado, inclusive de pessoas ditas religiosas, mas que são incapazes de fazer o que Jesus fazia: Sentar com estas mulheres e as chamarem pelo próprio nome, mas não pelo apelido generalizado: “Vagabunda!”

No caso destas mulheres, a redenção é um caminho penoso. Atire a primeira pedra quem não tem pecado.

Dois travestis pediram oração e conversaram muito conosco. Disemos que as rosas eram para as mulheres, mas eles eram homens, mas acabamos por dar a rosa também, para alegria deles. Contaram do seu sofrimento e pediram oração e emprego. Eles querem trabalhar para sair da rua. Quem poderá arrumar emprego a eles?

Não podemos julgar a ninguém.

Impressiona-me algumas palavras de Jesus, que nada tem a ver com as palavras dos religiosos em geral. Quando todos ultrajavam uma mulher adúltera buscando apedrejá-la, Jesus não a defendeu, mas apenas permitiu que a platéia cheia de corações de pedra no peito e de julgamentos nas mãos refletisse nesta sentença: “Atire a primeira pedra quem não tem cometido erros”. Em seguida, logo que todos se foram acusados pela própria consciência, Jesus olhou para a mulher e disse: “Ninguém te acusou? Eu também não te acuso: Vá e não peques mais”.

Ah! Jesus sempre tem uma nova chance para todos.

Noutra oportunidade Jesus novamente nos surpreende. Quando ele conversava com religiosos cheios de pompas e de circunstâncias, cheios de regras, cargos, normas e bons comportamentos, cheios de auto-suficiência religiosa, de santidades canônicas e liturgias humanas, mas vazios de justiça e de amor às pessoas, Jesus afirmou: “Prostitutas vos precederão no Reino dos Céus” (Mt 21,28-32).

Penso cá eu com os meus botões: Posto as prostitutas estarem adiante de mim no Reino dos Céus, é bom que eu dê a elas ao menos uma rosa no Dia da Mulher: uma questão de respeito hierárquico!

Quanto a você, busque ser mais “mau de mira”, para que suas palavras, julgamentos ou acusações não atinjam a vida de ninguém, posto você também ser um alvo potencial. No lugar de pedras nas mãos, leve rosas no coração.

Luciano Maia, no Bloggernacle Times.

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for O Baixo Meretrício é a minha paróquia

Deixe o seu comentário