Piscina cheia de ratos

Assista à entrevista de Guilherme de Pádua no programa do Ratinho

Condenado por assassinar a atriz Daniella Perez, em 1992, Guilherme de Pádua reapareceu nesta quarta-feira na televisão após um longo período de reclusão. Entrevistado pelo apresentador Ratinho, no SBT, Guilherme relembrou o episódio e reclamou do comportamento da opinião pública, que até hoje, segundo ele, não lhe deu uma segunda chance. O bate-papo foi marcado pelo constrangimento, já que Ratinho e Guilherme divergiram em diversos momentos.

“Era um grito na minha garganta. Quem me processou foi o povo. No mundo natural, não sou ninguém. No mundo sobrenatural, sou uma pessoa abençoada. As pessoas adoram chutar cachorro morto e pisar em quem está caíndo. As pessoas precisam de Jesus em suas vidas”, disse o ator, que hoje é evangélico.

Perguntado por Ratinho sobre o verdadeiro motivo do assassinato da atriz, Guilherme de Pádua se recusou a responder às perguntas, alegando que estava sofrendo ameaças via Twitter. “A Justiça não errou. Uma vida foi perdida”, disse ao opinar sobre a decisão do júri.

No fim do programa, Ratinho perguntou se ator já havia pensado em pedir perdão à mãe de Daniella, a autora de novelas Glória Perez. “Acho que ela não quer me ouvir”, respondeu. Nesse momento, Ratinho surpreendeu e disse que se estivesse no local de Glória não perdoaria Guilherme.

Famosos criticam programa do Ratinho

Durante a polêmica entrevista várias celebridades criticaram, via twitter, o apresentador Ratinho pelo espaço cedido para Guilherme de Pádua.

Bruno Gagliasso, Ana Lima e Glória Perez twitaram sobre a entrevista e consideraram a postura do apresentador apelativa.

“Divulgar “versões fantasiosas” de assassinos julgados é crime. Passível de processos criminais e civeis!” – escreveu a autora de novelas Gloria Perez, mãe da vítima Daniela Perez.

#parte2   #parte3

fontes: O Dia / YouTube [via O Verbo]

putz, haja plasil p/ aguentar 2 vídeos de programas sensacionalistas na sequência. a piscina televisiva está cheia de ratos e, como alertou o p(r)o(f)eta “suas ideias ñ correspondem aos fatos”.

optei por postar pq o tema provoca uma série de reações controversas na minha cabeça e, embora bastante incômoda, a reflexão é necessária.

algumas considerações ligeiras:

1- compreendo a dor e sou solidário a glória perez. ver o assassino da sua filha pagando de bom moço na tv revira feridas que só a graça de deus poderia cicatrizar;

2- o problema é que essa mesma graça é associada ao causador da tragédia familiar. tanto tempo de caminhada cristã ñ foi suficiente p/ o cabra adquirir um mínimo de sabedoria e ao menos evitar ser usado p/ polêmicas inúteis em busca de 2 ou 3 míseros pontos de audiência?

3- guilherme pagou seu crime de acordo c/ as frouxas leis brasileiras. salvo engano, parece que trabalha c/ artes na igreja da lagoinha. o ar impassível (beirando a arrogância) foi representação artística? para quem?

4- impossível ñ lembrar o recente episódio dos jogadores do santos. propalada c/ vigor por muitos pa$tore$, a “lei da semeadura” de fato funciona. essa é a qualidade de crentes resultantes de sementes que vicejam em alguns solos neopentecostais. uma alma ganha torna-se pedra de tropeço p/ inúmeras outras abrirem o coração. antipropaganda eficiente ao erguer muros de preconceito e de intolerância contra os cristãos.

lembrando as palavras de gandhi: “eu não rejeito seu cristo. eu amo seu cristo. apenas creio que muitos de vocês cristãos são bem diferentes do vosso cristo”.

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Piscina cheia de ratos

Deixe o seu comentário