Livros, uma perdição (!?!?)

Semelhante a um arpoador em busca do cachalote branco, percorro os corredores das livrarias como se fossem oceanos. Como guia que lidera a expedição em busca da cidade de Atlântida, empilho livros, considerando-os mapas para encontrar o Mistério. Como curador da biblioteca de Alexandria, acaricio o dorso dos tomos como relíquias sagradas. Sim, antes que esqueça, declaro-me inimigo das quinquilharias eletrônicas que pretendem substituir o livro.

O que li? O que leio? O que vou ler?

Nos primeiros meses de 2010 já li:

“Crime e Castigo” de Dostoievski, Editora 34 (parece a melhor tradução para o português)

“Clarice,” de Benjamin Moser, Editora CosacNaify

“Memórias Póstumas de Brás Cubas”, “Quincas Borba” e “Don Casmurro” de Machado de Assis, Editora Globo.

“The Future of Faith” de Harvey Cox , Harper Collins Books.

“Crônica da Casa Assassinada” de Lúcio Cardoso, Editora Civilização Brasileira.

Estou Lendo:

“Moby Dick” de Herman Melville – CosacNaify.

“A Genealogia da Moral” de Friedrich Nietzsche, Editora Vozes.

“Nietzsche e a Aurora de uma Nova Ética” de Vânia Dutra de Azevedo, Editora Humanitas.

“Santo Agostinho” de Gareth B. Mathews – Editora Zahar.

“Crer para Viver” de François Varillon – Edições Loyola.

Vou ler:

“Filosofia do Judaísmo em Abraham Joshua Heschel” de Glória Hazan – Editora Perspectiva.

“Homens Sábios e suas Histórias” de Elie Wiesel – Companhia das Letras.

“Sobre Verdade e Mentira” de Friedrich Nietzsche – Editora Hedra.

“O Fio da Navalha” de Somerset Maugham – Editora Globo.

Ler é bálsamo para as feridas do espírito, aragem nas ardências da alma, sedativo nas ansiedades do coração. Apego-me à página quando me percebo insatisfeito com a brevidade da vida. Reverencio os mestres da palavra porque sei o labor de quem se dedica à redação. Encaro madrugadas a virar páginas, sempre deslumbrado com a genialidade dos hábeis cooperadores de Deus na criação de outros mundos – possíveis e impossíveis.

Soli Deo Gloria

Ricardo Gondim

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Livros, uma perdição (!?!?)

Deixe o seu comentário