Crentes bastardos

Cris Corrêa

Quem diria que depois do movimento desgovernado dos crentes extravagantes e toda bagagem de unção, profetadas e atos patéticos que os acompanharam durante os últimos anos veríamos um movimento oposto, porém em nada muito diferente a este. Diante de algumas observações que comecei a fazer a mais ou menos um ano atrás ficou inevitável abordar esse assunto.

O novo magote de ‘’crentes bastardos’’. Quem são eles?

Pessoas decepcionadas com os rumos do cristianismo que se tornaram desertores da ‘’igreja’’ por considerar a instituição corrompida, e de fato é, mas isso também não é assim nenhuma novidade, Kierkegaard que nos diga! De repente se lessem mais não ficariam tão surpresos com a institucionalização do cristianismo, ainda que essa questão deva ser combatida é preciso ter cautela(Tt.9-11), coerência só faz mal para o Dunga.

Enfim, são crentes bastardos aqueles que se isolam em casa ficando cada vez mais amargurados, ou os que assumem papel de reformista cibernéticos do século XXI assumindo uma militância virtual se esquecendo de que a fé cristã precisa ser praticada e vivida; alguns chegam a criar Blog única e exclusivamente para criticar tudo que qualquer crente faz ou diz, condenam tudo e todos fazendo piada daquilo que é gospel.

Mesmo sendo o mundo gospel a própria piada, ainda assim a moda agora é chacotear. Em muitos casos os crentes bastardos acabam sentindo-se os donos da verdade por enxergarem um pouco além dos demais, consideram as vítima do falso evangelho pura ralé, chechelentos de Gezuz; por isso, portam-se como intelectuais da fé, e agem como se apenas eles possuíssem um propósito sincero em servir a Deus.

Como diria minha avó ou são 8 ou 80, parece que com o povo é de um extremo a outro. Porque apenas não se voltam para simplicidade que há em Cristo? Parece-me que ao invés disso um movimento oposto, mas também não tão Puro e Simples como deveria ser tem ganhado força.

Infelizmente tenho visto que existe uma grande tendência entre crentes bastardos em assumir falta de compromisso cristão, confundindo a liberdade que há em Cristo no sentido de libertar-se de si mesmo com certa libertinagem mundana disfarçada de ”revolução ou reforma”. Trocar dogmas impostos pela instituição evangélica atual por conceitos do mundo moderno não irá fazer diferença.

O fato de o indivíduo sair de uma instituição falida não significa que ele estará automaticamente colaborando de alguma forma com o Reino de Deus. Muita gente esta entrando por esse caminho, sem parar pra refletir no que de fato é servir a Deus e estar de acordo com Sua Palavra(Jo.15:10).
O objetivo do Evangelho não é alimentar apenas uma fé individual, é também comunhão e é também compartilhar.

Quando a escolha é isolar-se em casa e viver desfrutando das amarguras geradas pelas feridas que a decepção com a ‘’igreja’’ tende a trazer, o resultado é depressão, e a fé aos poucos vai morrendo e pode acabar ajudando a matar outros(Hd12:14-15). Em relação a reunir-se em casa a preocupação fica voltada para o nascimento de uma fé estéril.

De fato a reunião mais simples feita em casa com um grupo menor de pessoas é mais gostosa, também pode ser mais edificante, eu vivo essa experiência há 7 anos, porém é um ambiente propício á desenvolver uma fé compromissada apenas com a própria alimentação espiritual, esse tipo de preocupação individualista tende a gerar uma fé que não produz que não frutifica.

Também pode ser uma das muitas formas existentes de criar heresias, principalmente quando se lê a Bíblia com ideias já formadas. É bom lembrar que reunir-se em casa, na rua, na praia ou em uma casinha de sapê sem o devido cuidado e compromisso com a Verdade é tão perigoso quanto ir a ‘’igreja’’.

Então, hoje meu recado é pra os crentes bastardos que entraram no movimento de discursar contra as atrocidades do mundo gospel achando que isso e nada mais do que isso fará alguma diferença. Evangelho também é convivência, então se a opção é viver em casa curtindo uma amargura é bom saber que a raiz de amargura, brotando, perturba, e por ela muitos se contaminam, além disso a fé sem obras é morta, assim como a fé de Abraão foi aperfeiçoada pelas obras, a nossa também é(Tg.2:21-22).

Se existe o desejo de fazer alguma diferença em relação àqueles que estão nas instituições esquentando banco ou pregando mentiras, se tem o desejo de lutar o bom combate então guardem a fé em Cristo, pratiquem-na, dêem frutos, e bons frutos. Ao contrário estarão do mesmo jeito daqueles a que tanto criticam, não produzindo nada que se aproveite. Cuidado com o machado!

‘’Porque, assim como o corpo sem o espírito está morto, assim também a fé sem obras é morta.’’ Tg.2:26

fonte: Blog Frenesi

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Crentes bastardos

Deixe o seu comentário