Ao Sr. Kfouri… o filho.

Ariovaldo Ramos

Não é direito do ser humano, ter ou não ter fé?

E não é um direito explicar a vida a partir da fé?

Se perde, não é um direito buscar consolo na fé?

E se ganha, não é um direito atribuir a superação ao deus em que crê?

Se não há deus, por que a ira contra quem não existe?

Logo, é ira contra seres humanos no exercício do direito de explicar a sua vida, e atribuir a sua vitória a quem quer que seja.

E como eu saberia que o articulista não tem fé, se não o tivesse dito no espaço onde deveria falar de futebol?

E se alguém, ao ver a demonstração de fé dos atletas, decidir buscar essa fé, não lhe será um direito?

E se, ao ouvir o articulista, decidir pelo ateísmo, isso não lhe será um direito?

Por que essa celeuma sobre o que é apenas o exercício de direito?

O fato de eu não gostar de ouvir algo, não tira do outro o direito de falar.

O fato de eu não gostar de como alguém comemora os seus feitos, não lhe tira o direito de o fazer.

Direito: faça valer!

fonte: Blog do Ari

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Ao Sr. Kfouri… o filho.

Deixe o seu comentário