7 exemplos que é possível o surgimento de novos talentos na literatura brasileira

1 – André Vianco: Sabe um cara que acredita num sonho e vai atrás. Este é André Vianco, um dos autores mais vendidos no Brasil, mas que começou bancando com seu FGTS a publicação de seu primeiro livro. E suas histórias de vampiros [Que não viram purpurina na luz] já venderam mais de 100.000 exemplares e conquistam cada dia novos leitores. Os Sete, seu romance de estréia, o mesmo do FGTS já vendeu mais de 50.000 cópias, algo que muitos podiam pensar como impossível. André não sabia disso, foi lá e fez [E me desculpem este último clichê];
2 – Raphael Draccon: O cara é ainda muito novo. O que não o impediu de ganhar prêmios como roteirista, e mais além, ser o autor mais jovem a ter contrato assinado com um dos maiores selos editoriais do mundo, a espanhola, Planeta do Brasil, aos 25 anos. A releitura de personagens dos contos de fada já está prestes a ter o terceiro livro publicado através da Leya, outra gigante do mercado editorial, com as histórias de Nova Éter, a Terra Média do universo de Dragões de Éter;
3 – Eduardo Sphor: O novo fenômeno pop da literatura brasileira mostra os grandes talentos literários que estão nascendo e reforça a importância do “nerdpower”. Seu romance de estréia, A batalha do apocalipse, da queda dos anjos ao crepúsculo do mundo, depois de vender 4.500 exemplares em redes sociais e no mundo nerd, levou o escritor assinar contrato com o selo Verus do grupo editorial Record, e já está na listas dos mais vendidos da revista Veja pelejando com autores como Rick Riordan e Stephenie Meyer;
4 – Editora Novo Século: Foi uma das pioneiras a mergulhar atrás de novos talentos, e cabe a Novo Século as glórias de revelar o próprio Vianco, Jorge Tavares, entre outros… Mantêm o selo Novos Talentos da Literatura Brasileira, com exigentes critérios de publicação, mesmo que os autores do selo tenham de auxiliar com a garantia de compra de parte dos exemplares. A grande vantagem, porém aos iniciantes é uma tiragem maior, e a distribuição nas principais livrarias do país;
5 – Daniel Galera: O autor é um colecionador de boas críticas, e foi um dos precursores no uso da internet para literatura, publicando e editando textos em portais e fanzines eletrônicos entre 1997 e 2001. Além disso, também é tradutor com mais de 13 títulos traduzidos;
6 – Editora Multifoco: A editora que nasceu como monografia acadêmica é um dos fatos mais inovadores no mercado editorial brasileiro. Sob seu próprio risco a Multifoco publica novos autores cobrindo todas as etapas da publicação, da seleção, a diagramação e impressão, que graças a tiragens menores permite essa modalidade, cujo objetivo é de lançar mais de 300 novos escritores no mercado editorial;
7 – Leandro Reis: Dono de um dos textos mais sombrios da nova geração de escritores nacionais, Filhos de Galagah fez grande sucesso, e Leandro já está no segundo livro do Legado de Goldshine, o Senhor das Sombras. Um dos diferenciais do escritor é toda a estruturação de sua obra com complementos através de contos e mapas, que disponibiliza aos leitores na internet, transformando estas mídias num apêndice do livro.
Isso muito me anima e deixa tremendamente orgulhoso! 🙂 #Brasil-sil-sil

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for 7 exemplos que é possível o surgimento de novos talentos na literatura brasileira

Deixe o seu comentário