Rapper de fé

“Prosperity” é o quarto clipe do álbum “El Che” do rapper Rhymefest. Ele é hoje um dos principais letristas do hip-hop americano, ganhando inclusive um Grammy (em 2005 ) pela co-autoria da música Jesus Walks, de Kanye West. Sua nova música alerta para os excessos da chamada Teologia da Prosperidade em alguns setores evangélicos . Confira o clip e também uma recente e esclarecedora entrevista à revista Rapzilla.

Este compositor e MC já abordou antes temas cristãos em suas músicas. É co-autor de Jesus Walks, cantada por Kanye West (que ganhou um Grammy em 2005). Por isso, pensei que poderíamos ter uma conversa mais longa sobre sua fé, sua motivação para escrever Prosperity, e sua experiência com o hip hop cristão.

Sketch: Como você definiria sua fé? Sei que você escreveu “Jesus Walks” [Jesus caminha] e agora lança esta música chamada “Prosperity”. Tenho algumas ideias sobre isso, mas gostaria de ouvi-lo.

Rhymefest: Bem, antes disso, quais são as suas ideias?

SKETCH: Eu poderia pensar que você é cristão, baseado na letra de “Jesus Walks”. Agora ainda mais, ao ouvir “Prosperity”, vê-lo pegar a Bíblia e falar que deseja “saber quem Cristo é.”  Mas, fiz uma breve investigação e vi em um blog sua declaração que gostaria de ter abraçado a fé muçulmana como outros rappers.  Como você descreveria essa situação?

RHYMEFEST: Sim, na verdade, eu me considero um muçulmano. Por definição, muçulmano significa aquele que se submete à vontade de Deus. No entanto, penso que as pessoas ficam confusas, principalmente quando discutimos sobre Islã e Cristianismo.  Mas os muçulmanos acreditam nos ensinamentos de Cristo. Isto facilitou eu escrever uma canção como “Jesus Walks”.

Penso que os muçulmanos não mencionam Cristo tanto quanto deveriam, como um exemplo de vida. Os ensinamentos de Cristo e do Evangelho segundo o Islã são muito similares aos ensinamentos de Cristo e os Evangelhos segundo a Bíblia. Acho que a diferença é não aceitarmos a Cristo como nosso Senhor e Salvador. Essa é a diferença. Você entende?  Aceitamos a Cristo como um mensageiro, um profeta do Deus Todo-Poderoso. Temos por ele grande estima e respeito, mas não aceitamos a Cristo como Senhor e Salvador.

Acho que essa é a grande diferença. Mas quando falamos de exemplo que Cristo estabeleceu na terra, é algo que deveria ser seguido. Se fosse, a humanidade não estaria desse jeito.

SKETCH: Quando criança, você foi criado como muçulmano ou cristão?

RHYMEFEST: Realmente fui criado como cristão. O que para mim, o meu cristianismo, foi algo bom. Dentro da comunidade em que estou, na comunidade negra, existem tantos problemas com a maneira… Eu não diria problemas…  há muitas questões  complexas na maneira como o cristianismo é ensinado na comunidade negra.

Existem problemas porque precisa existir…  como você dá a crianças que vivem em desvantagem e que moram numa região desfavorecida. Como você lhes oferece um auto-conhecimento dentro da relação com Cristo? Entende? Como você ensina isso? Isso precisa ser ensinado.

Você sabe que há uma longa tradição das mesmas pessoas dirigindo a igreja dos negros. Como trazer sangue novo para a igreja negra? Como passar a tocha? Essa tocha é segurada pelas mesmas pessoas desde a década de 1960. Não estou dizendo que é algo ruim. Mas, em minha opinião, a igreja dos negros não deixou espaço suficiente para a nova geração. Então você acaba tendo as mesmas políticas antigas, que não evoluem.

Eu ainda freqüento a igreja. Peraí,  não quero que você se confunda, porque eu digo que pratico o islã. Isso não significa que estou desconectado da igreja dos negros e da comunidade cristã e que não escuto o que dizem nem que meu coração está fechado para o que está acontecendo na minha comunidade. Mas o que vejo é um vácuo de condições, principalmente em Chicago, onde eu moro. Sabe, todo final de semana lá 30, 50 pessoas são baleadas. A igreja não está ativa na ministração para a juventude e para a comunidade como fazia antes.

Sim, você tem uma Escola Bíblica de Férias, aulas na quarta-feira, cultos na segunda-feira, os cultos de domingo…  mas o que é a igreja faz, como Cristo fazia, para servir a comunidade? Não apenas dentro dos limites da nossa igreja…  A igreja tem uma obrigação para com a comunidade. Sinto que ela perdeu esse  contato em Chicago, onde a violência juvenil é um problema.

Você precisa  perguntar qual é a posição da igreja sobre a violência juvenil e o que está fazendo para conter a violência juvenil nas comunidades? Você verá que, em uma grande parte, a resposta é “nada”.

Quando criança, estes eram parte dos meus problemas com a igreja. Mas quando você fala com alguns líderes, a coisa toda do cristianismo é  “Não pergunte. Não questione isso. Siga. Fé cega”.  Sempre tive um problema com a fé cega.

SKETCH: Obviamente você vê algum erro no evangelho da prosperidade, por isso compôs essa música. Conheço sua trajetória e sei que no passado você abordou muitos problemas sociais. Você vê esse tipo de evangelho como uma espécie de doença social, que precisa ser abordada por cantores como você e outros líderes do hip hop, outras pessoas que estão na igreja dos negros e na comunidade negra?

RHYMEFEST: Bem, acho que a pregação da prosperidade é uma das coisas que está explorando a comunidade negra. Explora todas as comunidades. Na verdade, o que Jesus disse quando foi à igreja? Ele disse: “Como vocês ousam fazer da casa de meu Pai um comércio!” Para mim, isso está diretamente ligado ao que Jesus pensaria dessa pregação de prosperidade. Entende?

Dizer “Compre o sangue de Jesus num pano vermelho” e, você pode  “esfregá-lo sobre seu joelho doente, e será curado”, então… Quer dizer, você tem pessoas na igreja que  chamam a si mesmos de profetas. “Eu sou profeta/bispo este ou aquele.” Quem os ordenou? Quem está no controle? Quem faz o controle de qualidade?

É um problema. É exploração do povo. É adoração de ídolos. É algo contra  Cristo, na minha opinião. Quando você diz “compre este chá do profeta”, algo de que ouvi falar. Se Jesus voltasse hoje, de qual igreja ele iria participar? Qual igreja de negros. Só posso falar da igreja negra, porque vivo em uma comunidade negra. Para onde ele iria?

É isso que devemos perguntar a nós mesmos. Esse é o tipo de coisa que você precisa  se perguntar para saber a situação atual da igreja.

SKETCH: Engraçado você comentar isso. Postamos o vídeo no Rapzilla e também escrevi no meu blog para o Houston Chronicle. Acho que a maioria das pessoas na comunidade hip-hop cristã realmente concorda com o que você coloca nesse vídeo. Vários rappers cristãos já abordaram situações semelhantes que observam dentro de suas próprias igrejas e em sua própria fé. Sabem que isso pode ser algo prejudicial. Mas ver alguém tão famoso fazendo isso respalda a ideia ou é  apenas um ponto em comum definitivo sobre um monte de coisas?

RHYMEFEST: Eu queria ter certeza que, quando eu fiz Prosperity,  não estava zombando da igreja nem do evangelho. Quando escrevi “Jesus Walks”, estávamos dizendo … o que eu queria … Eu queria dizer: “muito bem, vamos falar nesses versos sobre a misericórdia de Jesus Cristo e os ensinamentos de Cristo”. Kanye respondeu: “Não, não, não, não, não”. Ele disse que o refrão já fazia isso. Ele disse: “em nossos versos, precisamos falar sobre os pecadores. Isso é o que vai deixar esse som massa. Isso é que vai fazer pessoas não-religiosas quererem ouvir a música. A letra diz : “Com os trambiqueiros, matadores, assassinos, traficantes e até as strippers. Jesus caminha com eles. Com as vítimas da Assistência Social, pois vivemos neste inferno, que inferno”.

É tão interessante. Se você tivesse dois pregadores no palco – um prega sobre o salário do pecado, o inferno, fogo e enxofre, enquanto o outros prega sobre a beleza do céu. Que pregador a multidão quer ver?

SKETCH: Hmmm …

RHYMEFEST: Eles querem ver o cara falar sobre o inferno, fogo e enxofre! Esse é o discurso  mais emocionante. As pessoas querem se divertir! Você precisa misturar essa diversão com os verdadeiros ensinamentos do Senhor. É uma vergonha, mas…  Com “Jesus Walks” foi assim. Era para falar sobre as dificuldades da vida e deixar o refrão ser a misericórdia de Cristo.

“Prosperity” não é uma zombaria à igreja. É apenas a perspectiva do indivíduo que está no vídeo. A coisa toda é que preciso me sentir um perdedor, estar desempregado, no sofá, não ter  nada na vida que realmente tenha valor. Então o cara aparece na TV e diz: “Deus quer mudar sua vida por 25,99 dólares.” E eu penso “Puxa! Sério? ”

A música mostra esse cara que está num grande conflito, pensando se aceita ou não aceita  esse discurso ou continuar incrédulo. No final ele diz: “Só quero saber onde Cristo está. Só quero saber o que Cristo está”. Porque ele precisa de algo em sua vida. Há tantas coisas em Prosperity que são bonitas. Como quando ele diz: “Deus, se você tiver misericórdia de mim, prometo que vou interpretar  a Bíblia literalmente”. Existem tantas perguntas como: “Há algum problema em ler a Bíblia literalmente?”, “Eu devo achar que a Bíblia é figurada?”

Entende, cara? “É uma alegoria?”, “Uma metáfora?”,  “A palavra viva?”. Quando você pensa que ela foi traduzida para nossa língua, então algumas palavras não podem ser iguais ao que está em  hebraico – o que seguimos? Por que a seguimos? Como vamos segui-la, ao pé da letra? Especialmente se está em nossa língua?

Desculpe, mano. Eu vou fundo e acabo falando sobre 50 milhões de coisas.

SKETCH: Não, isso é exatamente por isso que queria falar com você. Sabia que era um homem perspicaz e, especialmente, que já tinha falado sobre temas que  interessam ao nosso público. Eu também ia perguntar se você teve alguma experiência positiva com os cristãos e a igreja. Sei que já conversamos sobre alguns aspectos negativos, mas você já viu algum poder e teve algumas experiências positivas?

RHYMEFEST: As experiências mais poderosas e positivas que tive na igreja foram com as pessoas que reúnem grupos de cristãos dentro de casas. Elas praticam a fé fora da instituição, dos negócios da igreja. Quando as pessoas estão tentando achar as respostas, quando as pessoas têm momentos de oração pelos enfermos. Eles visitam os doentes e oram por aqueles que são mais humildes.

Quando participei desse tipo de coisa vi os cristãos mais verdadeiros, autênticos. Os cristãos mais fervorosos são os que se reúnem assim. Quer dizer, o que significa ser religioso? Significa que você faz alguma coisa religiosamente. Um grupo de pessoas se reúne e decidem louvar, adorar de uma mesma maneira. Acredito que quando as pessoas fazem isso é uma coisa boa. É realmente algo muito bom e a melhor maneira que vi isso na prática foi  quando as pessoas fizeram isso dentro de uma comunidade ou em casas.

Tenho problemas com as “megaigrejas”. Tenho problemas com as igrejas que se envolvem na política. Tenho problemas com as igrejas que recebem patrocínio de alguma empresa ou ganham dinheiro do governo. Os cristãos mais positivos que já vi e acredito que são mais autênticos, são aqueles que dizem: “Vamos fazer isso dentro da nossa casa. Vamos ter um líder espiritual, aprendermos juntos e também crescermos juntos”. Acho que uma igreja menor é melhor para a comunidade. […]

Mas eu entendo que algumas pessoas precisam pertencer a algo. Eles têm uma necessidade de pertencer. O problema é quando alguns  líderes começam a querer ser como deus. Quando eles começam a dizer: “Siga-me.” Então, ele deixa de ser uma mensagem do Senhor que ensina. Você vê que algumas pessoas querem apenas manter o poder.[…] Acho errado se as pessoas estão seguindo alguns líderes e acabam não seguindo mais o Senhor… no fundo do seu coração. Mas é  Deus quem julga, não eu.

Tradução e edição: Jarbas Aragão

Direitos de tradução reservados. Se for reproduzir, por gentileza cite a fonte.

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Rapper de fé

Deixe o seu comentário