Paradoxos

de João Tomaz Parreira

O anjo do tédio
não dorme. Insone
paira sobre o nada.
Incomoda. E de uma assentada
retoma mundos sentidos
esquecidos em calendários rotos
e divertidos de crianças crescidas
arrumados
nos muros brancos
do passado. Com balanços
renovados apaga as sombras demoradas
já desgastadas
e com palavras cinzentas
já usadas
faz de novo poemas
coloridos.


Vi no Sip of Glory.

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Paradoxos

Deixe o seu comentário