Meu filho é gay e pensa em suicídio

“Sou evangélico (desde nascimento), tenho 2 filhos: um com quase 18 e um com 15. São otimos meninos educados, bons filhos, caridosos e humildes. O mais velho faz medicina e o caçula quer tentar engenharia.
Na minha casa sempre fazemos uma refleção sobre a Bíblia no sábado (com a família reunida – eu e o mais velho sempre estamos fora, ele estudando e eu viajando a trabalho). Neste ultimo sabado falamos sobre os versos que falam do “lançar fora o que pode corromper o homem – que é melhor entrar no ceu sem um olho que corrompido por ele).

Ontem pela manhã minha esposa (mãe do caçula e minha 2 esposa) viajou para o interior e somente hoje eu irei pois tinha coisas para entregar na empresa. Os meninos se despediram de mim e desceram com as coisas enquanto a mãe arrumava o resto. Quando fui até a varanda vi que os dois discutiam baixinho nun canto do pátio e pareciam chorar enquanto o caçula rasgava um papel e jogava atrás de uma mureta.

Dei um assovio eles se asustaram, acenaram e foram para baixo do prédio e não deu mais para vê-los. Minha esposa desceu (pedi pra ela verificar o que se tratava e se fosse algum problema ele me ligasse que eu desceria). Ela não ligou e foi para o interior. Fiquei em casa e terminei meus relatórios umas 13hs, almocei e deitei para cochilar um pouco. A cena dos meninos como que brigando e chorado logo voltou a minha cabeça e fiqei curioso. Já à tardinha desci e fui tentar ver se achava o tal papel picado.

Meu caçula e muito amável estilo intelectual e o mais velho e meio agitado desportista. Peguei os pedaços de papel e subi novamente para o apartamento com um sentimento de estar invadindo o espaço deles. Quando juntava os pedaços e comecei a vislumbrar sua pensagem fiquei aterrorizado pois se tratava de uma despedida. Isso mesmo era uma carta de suisídio.

Fiquei louco e liguei pra minha esposa para saber como eles estavam e ela me respondeu que estavam bem. Para não preocupá-la não a informei. Liguei depois para meu outro filho e pedi que se afastasse dos outros e me ligasse. Assim o fez e quanto lhe falei da carta ele chorou e disse que o irmão ia tentar se matar ainda na madrugada antes da viagem mas que acordou e não vendo o irmão, viu a carta sobre a cabeceira e foi procurá-lo e o mesmo estava na varanda com um vidro de veneno pra rato na mão chorando.

Ele conseguiu convencer o outro a não se matar e quando foi de manhã eles estavam conversando no pátio pois estavam decidindo se deveriam me contar. Na carta ele fala que é homossexual, que descobriu em fevereiro mas nunca se aceitou, fez várias cruzadas (isso eu sabia que ele fazia pois sempre estava jejuando, orando…mas achei que era por causa do vestibular de medicina…seu sonho).Mas a angustia e o desejo nunca se afastaram.

Teve somente um envolvimeto mas sabia o que sentia. E, quando no sábado falamos de pecado e de exterminar o que pode nos contaminar com o pecado (e utilizamos a homossexualidade como exemplo de pecado a ser expurgado) ele se sentiu desmerecedor de nosso amor e quer ns fazer passar pela vergonha de ter filho gay. Na carta ele pede desculpas pois sabe que Deus não o aceita…não o ama, pois se o amasse teria transformado sua vida nestes ultimos meses.

Estou estarrecido, entrei nessa página e, sinceramente, ainda não sei o que fazer. Hoje liguei pra minha esposa e contei…a reação dela foi poir ainda, disse que não aceita e que não volta com o filho dela pra dentro de ossa casa se lá eu permitir morar um imundo. Liguei pro meu mais velho (ele) e pedi que voltasse pra cidade que tinha umas coisas pra fazer e ele deveria vir pra me ajudar. Deve chegar por volta das 15hs…estou tão desesperado. Não sei como agir. Quando era com os outros sempre tive respostas radicais…mas agora, como sou o pai, vejo-me numa situação inconcebível. Acho que agora entendo o amor de Deus para conosco mesmo sabendo que somos falhos Ele continua nos amando.

Um pastor deve vir aqui para me ajudar a digerir “a coisa”. Mas só tenho uma certeza: não vou espulsar meu filho de casa, isso seria mandá-lo para uma vida mundana e ele não foi criado para enfrentar isso…vai ser pior.
Não nego que entrei nessa página para tentar me localizar mas as dúvidas são maiores ainda.

Meu filho caçula me falou que não está nem ai…ele ama o irmão do mesmo jeito e se for pra sair da igreja ele sai pois a igreja e dos homens e o amor e o perdão são de Deus. Tenho inveja dele, acho que por sermos adultos e mais conscientes da postura da sociedade ficamos com amiores cautelas.

Creio que a partir de agora terei mais cuidado quando for falar de certos assuntos com crianças e dolescentes…a conduta é errada, mas temos que ter cuidado para não utilizarmos a palavra de amor de Cristo como condenação. Se não fosse por meu filho caçula….hoje estaria (….nem pensar).”

Comentário de leitor em post do Amálgama. Embora não seja possível identificar os protagonistas, o relato provocou uma discussão interessante sobre o assunto.

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Meu filho é gay e pensa em suicídio

3 Comentários

  1. Val-denir disse:

    que Deus abençoe tds vcs ,,,,vc como pai esta agindo certissimo !! quem somos nós pra julgarmos erros alheios ??  Deus lhe deu esses filhos …é sua missão acompanha los . Lute sempre ,busque coragem e força ….vc vai vencer!!!  

  2. Felipe disse:

    Isso acontece muito, não acredito que Deus tenha criado alguem para sofrer… Mas a postura que alguns religiosos tomam acabam por fazer isso, espero que algum dia voce entenda que isso é uma orientação e seu filho não vai mudar, Deus o criou dessa forma, espero que ele se encontre e se aceite para não sofrer mais ainda, pois fingir uma vida toda é o que a maioria faz, mas você prefere que seu filho seja correto ou feliz? Pois se for pra ser correto a saida mais rapida pra esse sofrimento é realmente se matando… eu sei do que falo pois eu sou evangelico e passei por muitos conflitos dessa maneira por causa da minha sexualidade…

  3. Anderson" disse:

    Assim como você fez, também vou contar uma história, só que dessa vez narrada pelo próprio gay suicida”
    Era uma tarde de terça feira, estava no meu apartamento onde moro sozinho à três meses, por volta das 13:30 me veio a mensagem pelo whatsapp-“Te prepara, acharam sua carta sobre homossexualismo e a familia agora sabe quem você é de verdade”

    Era a minha prima, Gaby à qual tinha um carinho enorme, isso mesmo tinha, porque hoje na noite da mesma terça feira não sei qual o real significado da palavra CARINHO”

    “ME PREPARAR” Já sabia ela que a reação da familia não seria das melhores, e no fundo também sabia. Quando sentavamos todos à mesa, e falávamos sobre homossexualidade as opiniões eram sempre negativas, de tal forma de me fizesse baixar a cabeça e segurar as lágrimas, mais uma vez tive que fugir ser quem eles queria, quem Deus queria.

    Agora estou na minha cama, está tudo parcialmente escuro, sentado com uma pilha de comprimidos de tarja preta ao lado, não sei o que sou capaz de fazer com eles, na verdade não sei nem como estou conseguindo escrever isto, as lagrimas nos meus olhos embaçam toda a imagem.
    São vários os pensamentos”
    -É tão difícil pra familia comigo assim?
    -Se eu for é mais fácil?
    -Será que Deus vai me perdoar?
    -cadê aquele Deus misericordioso? Ele também descrimina?
    -Sou tão abominável que até o pior pecador pode se arrepender e assim ser salvo, já eu[…]”
    -Vou ter coragem?
    E a voz” -TOMA LOGO E ACABA COM ISSO”
    -sou tão fraco que até para isso sou falho”
    Não sei, mas até que você termine de ler esse depoimento eu já não esteja mais em vida’ só peço perdão à todos.
    Será que encontrarei a paz?
    Te digo que uma palavra pode custar a vida do teu amigo, irmão, amor!
    -“PREPARA” em um extremo som vago”

    Não sou capaz de enfrentar a família, e com vida, de todo modo tenho que velos, assim fingir que estar tudo bem” sem deixar que ninguém desconfie de tudo isso que está se passando”
    Sou só uma bixinha que vai pro inferno mesmo, então de que vale a vida que Deus deu? Se nem ele mesmo é capaz de me perdoar!
    Talvez tenha que atender a essa voz”
    Mas não queria, mas é preciso.
    Só peço desculpa a você leitor por estar te fazendo perder tempo com a historia de um gayzinho de merda”
    Rezem por mim” talvez agora você esteja imaginando o que deve ter acontecido, qual o final da história, quem é esse garoto, como ele é”
    Só digo uma coisa, que por mais que você tente gritar para o mundo que você é normal, o mundo ao menos perceberá que você està alí.
    Um adeus, e talvez nos cruzamos pelas ruas, talvez não. Só peço uma ultima coisa: a primeira pessoa que você ver passando na rua, e que o mesmo pareça que seja gay, abrace-o, mesmo que você não o conheça, talvez seja só de CARINHO que ele esteja precisando.
    -Anderson, um garoto que amava garotos, e por isso banalizou-se.

Deixe o seu comentário