Mulher tenta destruir quadros por mostrar ‘nudez e homossexualidade’ nos EUA

Uma mulher que tentou destruir um dos quadros mais célebres de Gauguin – “Duas Taitianas” (ao lado) – em um museu de Washington explicou que sua reação ocorreu devido ao fato de a obra mostra “nudez e homossexualidade”, revelaram documentos judiciais.

Na sexta-feira, a mulher bateu no quadro do impressionista francês, exposto na National Gallery. Aparentemente, não causou danos à obra.

“Para mim, Gauguin é o mal. Reproduziu a nudez e isso é ruim para as crianças. Em sua pintura, representa duas mulheres e isso é muito homossexual”, declarou a mulher aos agentes de segurança que a prenderam, segundo os documentos divulgados pelo tribunal em Washington.

“Tentei retirá-lo. Acho que deveria ser queimado”, afirmou a mulher, segundo um oficial da polícia citado nos documentos.

A mulher, cujo discurso é confuso, contou que trabalhava “para a CIA” e que tinha uma “rádio na cabeça”. “Vou matá-los”, disse aos agentes de segurança.

Ela conseguiu retirar alguns suportes que sustentavam o quadro e depois bateu no meio da obra, antes de ser presa pelos guardas do museu.

A pintura que representa duas mulheres com os seios à mostra está protegida por uma tela transparente, por isso, o quadro não parece ter sido danificado, apesar de ainda ser necessária a realização de análises de laboratório.

A obra tinha sido emprestada pelo Metropolitan Museum of Art de Nova York por conta de uma exposição de Gauguin, inaugurada em fevereiro.

valei-nos, são Freud!

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Mulher tenta destruir quadros por mostrar ‘nudez e homossexualidade’ nos EUA

Deixe o seu comentário