Cristão 1.0 – O mínimo em que é preciso acreditar

Texto de Martin Thelien publicado originalmente em Rethink Church

Quando conheci Danny, ele me disse: “Pastor, você precisa saber que sou ateu. Não acredito na Bíblia. Não gosto de religião organizada e não suporto cristãos donos da razão e que julgam as pessoas”.

Eu gostei dele na hora!

Apesar do ateísmo confesso de Danny e de minhas crenças cristãs, nos tornamos bons amigos. Durante aquele ano, eu e Danny tivemos  inúmeras conversas sobre Deus, religião e fé. Durante esse tempo, Danny suavizou sua postura sobre o ateísmo. Um dia, depois de uma longa conversa, ele anunciou com um sorriso: “Decidi evoluir do ateísmo para o agnosticismo”.

Vários meses depois, Danny disse: “Tive uma revelação. Percebo que não rejeito o cristianismo. Na verdade, apenas rejeito o modo como cristãos intolerantes o apresentam”. Algumas semanas após aquela conversa, Danny disse: “Martin, você quase me convenceu sobre essa coisa de religião. Quero saber qual o mínimo que preciso acreditar para ser um cristão”.

Assim como Danny, muitas pessoas buscam uma expressão mais aberta da fé cristã. Isto é especialmente verdade para pessoas mais jovens. Por exemplo, em um recente episódio do seriado Glee, os alunos de uma escola de ensino médio explicaram porque se desinteressaram pela religião. A justificativa é que a igreja discrimina os homossexuais, as mulheres e a ciência.

Quando você analisa as atitudes arrogantes encontradas em muitas igrejas extremistas, é fácil ver porque as pessoas sentem aversão pela religião. Se as únicas opções de fé são o fundamentalismo ou nenhuma religião, muitos optarão por não ter uma religião.

“Qual o mínimo que preciso acreditar para ser um cristão?” Que ótima pergunta! Esse texto representa meu esforço para responder a essa questão da melhor maneira possível. A primeira parte apresenta 10 coisas que os cristãos não precisam acreditar. Em resumo, os cristãos não precisam acreditar em uma fé que tem a mente fechada.

Cristãos não precisam acreditar em:

1. Deus provoca câncer, acidentes de carro e outras catástrofes.

Embora Deus possa trazer (e traz) bons resultados mesmo das tragédias, Ele não provoca os eventos trágicos. Eles fazem parte da vida na Terra.

2. Bons cristãos nunca duvidam.

A dúvida não é inimiga da fé mas, sim, parte de um cristianismo autêntico.

3. Verdadeiros cristãos não podem acreditar na evolução.

Ciência e fé são completamente compatíveis. A evolução teísta é uma crença perfeitamente aceitável em muitas tradições cristãs.

4. Mulheres não podem pregar e devem se submeter aos homens.

Mulheres são iguais aos homens no casamento, na igreja e na sociedade. Jesus falou sobre isso e Paulo também.

5. Deus está preocupado em salvar almas, não em salvar árvores.

Deus se importa com a salvação pessoal, com a justiça social e com o meio-ambiente. A igreja cristã deveria fazer o mesmo.

6. Pessoas más serão “deixadas para trás” no arrebatamento

A teologia do arrebatamento e de pessoas deixadas para trás não faz parte de grande parte da história do Cristianismo. Esse frenesi é recente e, em geral, só é defendido por segmentos mais fundamentalistas.

7. Judeus não irão para o céu.

O destino final dos não-cristãos está na mão de Deus. Ele tem promessas para os judeus que certamente irão se cumprir.

8. Tudo que está na Bíblia deve ser interpretado literalmente.

Embora devamos sempre levar a Bíblia a sério, nem sempre devemos adotar algumas coisas literalmente. Existem muitas figuras de linguagem e símbolos. Ninguém conseguiria viver assim.

9. Deus ama os heterossexuais, mas não os homossexuais.

Todas as pessoas, incluindo as homossexuais, são bem-vindas na Igreja de Deus. O amor de Deus é incondicional. Entretanto, as igrejas locais divergem de opinião sobre este assunto. O pensamento da maioria das igrejas é que amar não é o mesmo que concordar.

10. É correto que os cristãos sejam sempre críticos e desagradáveis.

Verdadeiros cristãos deixam o julgamento para Deus.

Assim como Danny, muitas pessoas no século 21 estão famintas por uma expressão alternativa da fé cristã, diferente daquelas caricaturas que veem na maioria dos programas religiosos na TV.

Gostaria de oferece uma alternativa. Vamos começar a explorar um pouco mais a pergunta de Danny: “Qual o mínimo que preciso acreditar?”.

Existem coisas em que os cristãos realmente precisam acreditar. Eles devem acreditar em Jesus – sua vinda como homem, ensinamentos, exemplo, morte e ressurreição. Um grande benefício dessas crenças é que elas oferecem respostas para as mais profundas questões da vida, incluindo: Onde está Deus? O que mais importa? O que nos realiza? E o sofrimento? Existe esperança?

Precisamos crer na:

1. Identidade de Jesus (Quem é Jesus?).

Cada pessoa precisa lidar com a pergunta de Jesus aos discípulos: “Quem vocês dizem que eu sou?”. Cristãos acreditam que ele é “o Cristo, o Filho do Deus Vivo”.

2. Prioridade de Jesus (O que mais importa?).

Relacionamento – com Deus e com os outros – importa mais que tudo.

3. A graça de Jesus (Sou aceito?).

Mesmo com nossos defeitos, Jesus nos ama e nos aceita como filhos amados de Deus.

4. A obra de Jesus (Onde está Deus?).

Embora Deus não esteja limitado em trabalhar através das pessoas, ele usa principalmente seus instrumentos humanos.

5. Exemplo de Jesus (O que traz realização?).

A verdadeira satisfação está em servir aos outros.

6. A morte de Jesus (E sobre o sofrimento?).

Embora Deus não impeça o sofrimento, o Deus crucificado entende bem o sofrimento humano e ajuda a nos libertarmos dele.

7. Ressurreição de Jesus (Há esperança?).

A ressurreição de Jesus Cristo nos dá esperança para a vida e também para a morte.

8. O legado de Jesus (A Igreja ainda é relevante?).

Apesar de suas falhas, a igreja ainda é um veículo de Deus para fazer a sua obra. Todo cristão precisa pertencer a uma igreja local.

9. A promessa de Jesus (Quem é o Espírito Santo?).

O Espírito Santo é uma pessoa. Se manifesta na presença poderosa de Deus em nossas vidas, na vida da Igreja e no mundo.

10. A visão de Jesus (Qual é o sonho de Deus para o mundo?).

O “Reino de Deus” é o sonho de Deus para o mundo, e somos chamados para ajudar a tornar esse sonho realidade, tanto em nossa vida pessoal quanto na sociedade.

Este texto é uma versão resumida de What’s the Least I Can Believe and Still Be a Christian?: A Guide to What Matters Most, de Martin Thielen.

 

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Cristão 1.0 – O mínimo em que é preciso acreditar

Deixe o seu comentário