Tumblrs escancaram preconceito contra empregadas domésticas e nordestinos

Texto de Guilherme Tagiaroli publicado originalmente no Giga Blog

A internet, como todo bom usuário que leu a cartilha universal do uso da rede sabe, não esquece nada do que é postado. Independente de ser algo bom ou ruim, tudo na web tem um preço – que muitas vezes é caro para quem não pensa antes de publicar.  O mais novo caso de mau uso da internet tem relação com preconceito  (não, não tem nada a ver com as declarações do deputado Bolsonaro)  contra empregadas domésticas.

Há, em específico, dois tumblrs (blogs minimalistas) que escancaram o preconceito contra este tipo de ocupação nas redes sociais: o Tragédia da empregada e o Classe Média Sofre (este último é um pouco mais abrangente: tem reclamações recorrentes da classe média brasileira).

Os blogs têm estrutura parecida e não produzem conteúdo, apenas reproduzem: eles juntam mensagens preconceituosas de redes sociais e, em seguida, fazem um pequeno comentário irônico, reprovando o tipo de conteúdo. Todos os autores das mensagens têm a identidade ocultada.

Ao navegar por eles, é possível encontrar mensagens como:

Apesar de não ser nenhuma novidade que pessoas falem mal de outras pela internet, a questão é que parece que os usuários não aprendem. No ano passado, por exemplo, Mayara Petruso, estudante de Direito, foi execrada por ter postado uma mensagem ofensiva ao povo nordestino no Twitter: “Nordestisto [sic] não é gente. Faça um favor a SP: mate um nordestino afogado”.

Em menos de uma semana, ela saiu do estágio de Direito, foi processada pela OAB-PE e ainda foi alvo de reportagens da imprensa internacional, em função da polêmica sobre o assunto.

Será que do caso das empregadas domésticas surgirão novas Mayaras Petruso?

sem esquecer da entrevista em que o Delfim Neto comparou as domésticas a animais…

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Tumblrs escancaram preconceito contra empregadas domésticas e nordestinos

Deixe o seu comentário