Fracasso de ‘ato profético’ gera críticas nos EUA

Uma ideia radical foi anunciada por igrejas na cidade de Newark, New Jersey: “Não precisamos depender da polícia, basta orarmos para que a taxa de criminalidade baixe”. No entanto, a proposta parece não ter funcionado muito, já que os homicídios aumentaram mais de 70% em 2010-2011.

A privatização de serviços do governo tem sido uma das pautas da direita religiosa americana. Mas a iniciativa do grupo religioso “Pray For Newark” anunciou resultados surpreendentes da chamada “caminhada de oração” pelas ruas da cidade, feita por voluntários que se dedicaram a pedir a Deus que cuidasse da cidade desde meados de 2008.

Segundo o vídeo acima, produzido pela Harvest Evangelism, ministério que organizou a campanha em Newark, 100% da cidade foi visitada pelos voluntários e suas orações. A cidade tem mais de mil ruas e eles afirmam que, como resultado da intervenção divina, em março de 2010 Newark teve seu primeiro mês sem homicídios desde 1966.

Contudo, no final de ano passado uma proposta de corte de despesas levou Corey Booker, prefeito da cidade, a um confronto com o sindicato dos guardas municipais, o que resultou na demissão de 167 pessoas. O resultado não surpreendeu. Em meados de 2011, segundo a rede de TV CBS, os homicídios cresceram 71%, os tiroteios 29% e o roubo de carros quase 40%. Os resultados alegados pela Pray For Newark em relação a diminuição da criminalidade, de repente, parecem ter evaporado.

O vídeo usa o trabalho em Newark como um exemplo que deveria ser adotado por todas as cidades do Estado da Califórnia. A iniciativa pretende encontrar através da internet pelo menos uma pessoa que possa andar em cada uma das milhares de ruas das cidades californianas fazendo suas orações. O material que promove a “Canopy of Prayer” afirma que o esforço é também uma iniciativa do movimento Transformation e da Harvest Evangelism, liderada pelo pastor argentino Ed Silvoso.

Toda a iniciativa desse tipo de movimento de oração é inspirada pelos escritos do evangelista Ed Silvoso que, numa conferência em 2008, comparou repetidamente os inimigos de seu movimento a ratos que, no momento certo, seriam exterminados. O ministério de Silvoso também está ligado a políticos de Uganda que apoiaram as leis que pretendiam exterminar os gays do país.

Ed Silvoso é um dos membros da Coalizão Internacional de Apóstolos (ICA – International Coalition of Apostles), que parece liderar um movimento pentecostal de rápido crescimento que teve início em 2001: a Nova Reforma Apostólica. Além de Bernard Wilks, apóstolo que liderou o movimento em Newark, a coalizão conta ainda com Peter Wagner e Cindy Jacobs, que tem escrito extensivamente sobre a necessidade de queimar (ou destruir) toda forma de arte e livros que sejam idólatras e blasfemos. Eles defendem a chamada teologia dominionista, que defende que até 2032 os evangélicos irão dominar o mundo.

No Brasil existe o Conselho de Apóstolos no Brasil, formado por 15 líderes:
Ap. Neuza Itioka (Ministério Ágape Reconciliação), Ap. Valnice Milhomens(Igreja Nacional do Senhor Jesus Cristo), Ap. Jesher Cardoso (Missão Shekinah), Ap. Arles Marques (Comunhão Cristã Igreja Apostólica), Ap. Francisco Nicolau (Igreja Batista das Nações), Ap. Sinomar Fernandes(Ministério Luz para os Povos), Ap. Paulo Tércio (Igreja Apostólica Novidade de Vida), Ap. Alexandre Nunes (Igreja Apostólica Ágape de Ubatuba), Ap. Márcio Valadão (Igreja Batista da Lagoinha), Ap. Paulo de Tarso (Igreja Apostólica Betlehem), Ap. Ebenézer Nunes (Igreja Apostólica Batista Viva),Ap. Mike Shea (Ministério Casa de Davi), Ap. Dawidh Alves (Ministério Tabernáculos), Ap. Luiz Scultori (Ministério Apostólico Terra Santa), Ap. Hudson Medeiros (Rede Brasileira de Intercessão, Oração e Jejum).

Agência Pavanews, com informações de CBS ,  Talk 2 Action e Ministério Cesar.

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Fracasso de ‘ato profético’ gera críticas nos EUA

1 Comentário

Deixe o seu comentário