Ex-pastor do Projeto Vida Nova faz protesto em frente à igreja e na internet

Quero contar a triste experiência que nós estamos vivendo:

Quando me casei a trinta e oito anos atrás, fui morar na favela nova Brasília que fica ao lado do morro do alemão, com muito esforço e vontade de vencer na vida, consegui juntar dinheiro e dei de entrada em um apartamento da COHAB no bairro Engenho da Rainha aqui na cidade do Rio de Janeiro. Na época, Fiquei muito feliz em poder levar minha família para um bairro melhor fora da favela.  E naquele conjunto de apartamentos, havia uma igreja, ‘Assembléia de Deus’ que na época, pertencia ao pastor João Teixeira, pai de Ezequiel Teixeira e Isael Teixeira.
Como eles ainda eram novos, não tinham sido ordenados pastores, eram apenas presbíteros, foi nessa igreja que eu me converti ao evangelho de Jesus Cristo, juntamente com minha mulher e filhos, tinha eu na época vinte e oito anos de idade. Por sermos quase da mesma idade, fiz uma amizade profunda com ambos Izequiel e Isael, eu os considerava como irmãos de sangue, e achava na minha inocência, que eles também me considerava como um irmão.

Muitas vezes eles juntamente com a família, almoçavam em meu apartamento, com o passar dos anos, o pai deles, pastor João, os ordenou a pastores, e como eles dois eram muito sagazes e persuasivos, conseguiram converter muitas pessoas que moravam naquele bairro. Alguns anos mais tarde o pai deles morreu, sendo assim, o pastor Ezequiel Teixeira, teve a idéia de transformar a igreja assembléia de Deus em projeto vida nova, e como eu estava com eles já há muitos anos, eles me ungiram ou nomearam como pastor também.

trecho inicial do relato de Daniel e Zélia Clara de Souza Albuquerque no blog Fui enganado pelo Projeto Vida Nova. O vídeo com o protesto que fizeram em frente à igreja pode ser visto aqui.

dica do Moisés Lourenço

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Ex-pastor do Projeto Vida Nova faz protesto em frente à igreja e na internet

2 Comentários

  1. Filipe Rodrigues disse:

    Até quando nos colocaremos como juízes sem saber a história toda? Sem ouvir o outro lado?

  2. claudionor clementino disse:

    Gostaria de saber se isso é verdade.

Deixe o seu comentário