Inaugurado monumento em memória das bruxas e feiticeiros queimados pela igreja

Agência Pavanews, com informações de Terra Colômbia e Reuters

Sonja, rainha da Noruega, inaugurou oficialmente esta semana, na cidade de Vardoe, o memorial Steilneset, para lembrar as dezenas de homens e mulheres condenados à fogueira por bruxaria no século XVII.

Entre 1598 e 1692, 135 pessoas foram acusadas de feitiçaria, incluindo várias crianças, durante a chamada “Inquisição da igreja”.

Segundo os historiadores de Vardoe, 91 pessoas foram queimadas naquela região , fazendo desta região um dos mais importantes locais de “caça às bruxas” na Noruega.

O monumento, projetado pelo arquiteto suíço Peter Zumthor, é um longo corredor onde os estão alinhados quadros sobre as 77 mulheres e 14 homens acusados ​​de heresia ou pacto com o diabo.

Em um espaço anexo, a artista americana Louise Bourgeois criou uma cadeira com chamas no local onde acredita-se que as fogueiras eram acesas.

“Foi como ir a julgamento”, disse a rainha Sonia depois de visitar a galeria.

A data da inauguração tem um significado: quinta-feira é véspera da festa de São João, comemorada na Noruega ao redor de grandes fogueiras.

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Inaugurado monumento em memória das bruxas e feiticeiros queimados pela igreja

2 Comentários

  1. Marcos disse:

    Em memória as bruxas!! pelo que me lembro essas “bruxas” e “bruxos” eram em sua maioria protestantes proclamando a volta para as escrituras. Transformaram os primeiros protestantes em “bruxas” e “bruxos”. Lamentável!!

Deixe o seu comentário