Marcha para Jesus vira palco para críticas ao STF

Número de fiéis atraído pela Marcha para Jesus em São Paulo ficou entre 1 milhão e 5 milhões, de acordo com estimativas

Daniel Roncaglia, na Folha de S.Paulo

Líderes evangélicos transformaram ontem a Marcha para Jesus, em São Paulo, em palco para críticas ao Supremo Tribunal Federal e uma exibição de força política.

Os alvos principais foram as recentes decisões em que o STF reconheceu a união estável de casais homossexuais e liberou manifestações pela liberação da maconha.

O pastor Silas Malafaia, da Assembleia de Deus Vitória em Cristo, chegou a recomendar aos fiéis que não votem em políticos que sejam favoráveis à união gay.

“O povo evangélico não vai ser curral eleitoral”, disse. “Se governador, prefeito ou presidente for contra a família, não terá nosso voto.”

Para Malafaia, o Supremo “rasgou a Constituição” ao permitir a união civil entre homossexuais. O pastor negou que seja homofóbico.

No Congresso, 71 deputados e três senadores são ligados a igrejas evangélicas.

O apóstolo Estevam Hernandes, líder da Renascer em Cristo e principal organizador da Marcha, disse que a manifestação não tem caráter político, mas reconheceu a influência dos líderes.

Ele também se pronunciou contra as decisões do STF. “Enquanto a maconha não é liberada, é incoerente marchar por aquilo que não é legal”, disse Hernandes.

Pastor da Igreja Universal, o senador Marcelo Crivella (PRB-RJ) criticou o “ativismo judicial” e disse que “não é possível que seis iluminados se julguem capazes de decidir por 200 milhões”. O STF é composto por 11 ministros.
O senador Magno Malta (PR-ES) afirmou que os evangélicos esperam respeito dos homossexuais. “O verdadeiro Supremo é Deus”, disse.

A marcha atraiu uma multidão de fiéis que seguiu sete trios elétricos e percorreu 4 quilômetros do centro de São Paulo até a zona norte. A manifestação é realizada todo ano na cidade desde 1993.

“Meu Deus é dono do ouro e da prata. Enquanto meu Deus age, ninguém pode impedir”, disse a bispa da Renascer Sônia Hernandes, no alto de um trio elétrico. Ela afirmou que continua amiga do jogador de futebol Kaká, que era o principal garoto-propaganda da igreja até romper com ela em 2010.


Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Marcha para Jesus vira palco para críticas ao STF

9 Comentários

  1. João Marcos disse:

    pessoal da equipe do Dr. Lightman(Lie To Me) faria a festa analisando cada entrevistado da matéria! rsrs

  2. @pauloOcruz disse:

    Essa tal Marcha ai já virou ~ou sempre foi~ bagunça… os principais idealizadores querem pregar o Reino, enqnt estam envolvidos em escandalos financeiro… aahhh vá!

  3. jussara disse:

    Existe uma marcha contra enriquecimento ilícito?

  4. Cla disse:

    Que palhaçada, criticar as vergonhosas robalheiras e desvio de dinheiro por parte de parlamentares até mesmo evangélicos ngm faz, Jesus n tem nada haver com essa guerra politica por disputa de poder, porque AMOR cristão passa longe dessas atitudes mesquinhas. O amor clamaria por justiça social, por direitos primários que nosso pais é campeão em negar, n por guerrinhas farisaicas de ideologias mercantilistas!!!

  5. marcela disse:

    democracia, liberdade de expressão, direitos iguais, inclui isso.
    Num país livre, e libertino, em que se pode, paradoxalmente, ludibriar o incauto, cada um tem o direito de marchar pelo que pensa.

  6. Helen Araujo disse:

    Mesmo que a fala do Mala tenha sido tirada do contexto, não posso deixar de pergutnar:”Ele sabe o que significa Estado laico?” ¬¬

  7. James disse:

    A bispa Sônia fez uma alusão a prata e ouro sem muito nexo com a frase seguinte. interessante.

  8. Robson M. disse:

    Um amigo meu costuma dizer que se Jesus voltasse no dia da Marcha Para Jesus metade daquela multidão continuaria andando…

    Quero acreditar que isso não iria acontecer, entretanto quanto mais analiso as motivações das pessoas que vão à Marcha para Jesus, mais me convenço que essa marcha se entregou aos interesses desse “Evangelho Comercial” que presenciamos por aí…

    Deus abençoe

  9. English tips disse:

    Dar a César o que é de César, ou seja o mundo o que é do mundo, bíblico, dito por Jesus e tão atual. Acho que tem gente vendendo Jesus a preço de ouro, tem até cartão de crédito por aí. Acho o seguinte, a sociedade já é abalada por enes motivo, dentre eles, a família, a liberação da maconha é perigosíssima, abre um precedente para entrada de outras drogas, que diga-se de passagem, junto a maconha já está vindo mesclada com o craque para viciar mais rápido. Absurdo. Digo mais, hoje a briga não é para salvar almas, em algumas igrejas é para quem dar mais real, ou seja, Cristo é “R$” no meio do joio, existe o trigo e tem igrejas sérias, em relação a união de homossexuais não sou contra, cada um que escolhe o que vai ser.

Deixe o seu comentário