O teste da caneta e o motorista gay

Eliane Brum, na Época

Deve ter sido um junho tenebroso para os católicos que vivem verdadeiramente o evangelho. Para quem não é católico, para os que praticam outra religião, para os agnósticos e os ateus também. Para qualquer pessoa minimamente decente, confrontar-se com o discurso da crueldade – travestido de fé – é uma experiência aterradora. Foi o que aconteceu quando Dom Luiz Gonzaga Bergonzini, bispo da diocese de Guarulhos, no estado de São Paulo, falou em entrevista sobre o estupro de mulheres. Depois, o choque se repetiu no pronunciamento de Myrian Rios, deputada pelo PDT do Rio de Janeiro e, segundo ela mesma, “missionária católica da Canção Nova”, ao discursar sobre gays e pedofilia – e confundir as duas coisas.

Quando duas pessoas públicas, com responsabilidade e ressonância de pessoas públicas, dizem o que Dom Bergonzini e a deputada Myrian Rios disseram, é preciso prestar atenção. Não é banal, não é folclórico. É sério – e tem consequências.

Primeiro, Dom Bergonzini – que, em seu blog, aparece várias vezes com o título de “o leão de Guarulhos”. Em entrevista à repórter Cristiane Agostine, do jornal Valor Econômico, publicada em 13 de junho, o bispo afirmou que há “uma ditadura gay” em curso e que uma “conspiração da Unesco transformará metade do mundo em homossexuais”. Esta forma de ver a conjuntura internacional poderia, por si só, chocar boa parte dos leitores, mas o bispo se supera no trecho da reportagem que reproduzo aqui:

“Vamos admitir até que a mulher tenha sido violentada, que foi vítima… É muito difícil uma violência sem o consentimento da mulher, é difícil”, comenta. O bispo ajeita os cabelos e o crucifixo. “Já vi muitos casos que não posso citar aqui. Tenho 52 anos de padre… Há os casos em que não é bem violência… [A mulher diz] ‘Não queria, não queria, mas aconteceu…’”, diz. “Então sabe o que eu fazia?” Nesse momento, o bispo pega a tampa da caneta da repórter e mostra como conversava com mulheres. “Eu falava: bota aqui”, pedindo, em seguida, para a repórter encaixar o cilindro da caneta no orifício da tampa. O bispo começa a mexer a mão, evitando o encaixe. “Entendeu, né? Tem casos assim, do ‘ah, não queria, não queria, mas acabei deixando’”. (…) O bispo continua o raciocínio. “A mulher fala ao médico que foi violentada. Às vezes nem está grávida. Sem exame prévio, sem constatação de estupro, o aborto é liberado”, declara, ajeitando o cabelo e o crucifixo.

Sim, no teste do bispo, a vagina da mulher é uma tampa e a caneta é o pênis do estuprador. Se a mulher não quer ser violentada, basta que ela não permita que a tampa encaixe na caneta. Simples assim. É com esta humanidade que Dom Bergonzini escuta, há 52 anos, como ele faz questão de enfatizar, as católicas violadas que buscam acolhida e compaixão na sua igreja. E então passam por uma acareação através do método da tampa-vagina e da caneta-pênis.

Agora, Myrian Rios. Aliás, só descobri nesse episódio que hoje ela é deputada estadual. Até então, só a conhecia como ex-atriz e ex-mulher do cantor Roberto Carlos. A deputada do PDT apresentou-se como “missionária católica” e discursou no plenário da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), em 21 de junho, sobre a PEC-23, que inclui a orientação sexual entre as características pelas quais um cidadão não poder ser discriminado. Reproduzo um trecho do seu discurso aqui, mas sugiro que o leitor ouça da própria deputada, na íntegra, em vídeo de menos de 12 minutos, postado no YouTube.

O vídeo é todo coberto por textos em amarelo, num discurso sobreposto em defesa da deputada. Pede apoio a ela e faz, inclusive, um alerta: “Cuidado com a imprensa e a mídia”. Sugiro escutar Myrian Rios, sem prestar atenção ao texto. E, em seguida, assistir ao vídeo novamente, só lendo os textos em amarelo. Ambos – o discurso e a defesa do discurso – são muito reveladores. Para alguns, pode parecer uma perda de tempo, mas vale a pena o esforço para compreender o mundo onde estamos metidos.

A seguir, uma amostra da fala de Myrian Rios no plenário da Alerj:

“Eu não sou preconceituosa e não discrimino. Eu prego o amor e o respeito ao próximo. (…) Se somos todos iguais, com os mesmos direitos, eu também tenho que ter o direito de não querer um funcionário homossexual na minha empresa. (…) Digamos que eu tenha duas meninas em casa, que eu seja mãe de duas meninas, e eu contrate uma babá. E esta babá mostre que a orientação sexual dela é ser lésbica. (…) Se minha orientação sexual não for esta, for contrária, e querer demiti-la, eu não posso. (…) O direito que a babá tem de mostrar que a orientação sexual dela é lésbica eu tenho como mãe na minha casa de não querer que ela seja babá das minhas filhas, dá licença? (…) Com esta PEC, eu não tenho esse direito. Eu vou ter de manter a babá na minha casa, cuidando das minhas meninas, e sabe Deus se ela não vai inclusive cometer a pedofilia com elas.

(…) Então, se o rapaz escolheu ser homossexual, o problema é dele. (…) Ele escolheu ser homossexual, ser travesti, aí eu o contrato para ser motorista da minha casa e eu tenho dois meninos em casa. Ele começa então a trabalhar vestido de mulher, travestido, porque é essa a orientação sexual dele. Aí eu, como mãe dois meninos, digo opa, não é essa a minha orientação sexual aqui em casa. Aqui em casa eu gostaria que meus filhos crescessem pensando em namorar uma menina para perpetuar a espécie, como está em Gênesis. Deus criou o homem e a mulher para perpetuar a espécie. (…) No momento em que eu descobri que o motorista é homossexual e poderia estar, de uma maneira ou de outra, tentando bolinar o meu filho… não sei, pode de repente partir para uma pedofilia com os meninos, eu não vou poder demiti-lo, a PEC não me permite. (…) Se essa PEC passa, e o rapaz tem uma orientação sexual pedófilo (sic), se a orientação sexual do rapaz é transar, é ter relacionamento sexual com um menino de 3 a 4 anos, nós não vamos poder fazer nada, porque ele está protegido pela lei.

(…) Eu estou defendendo as crianças e os jovens de uma porta para a pedofilia. (…) Não vou permitir que, por uma desculpa de querer proteger ou para que se acabe com a violência, a homofobia, a gente abra uma porta para a pedofilia! (…) Deus abençoe a todos, tenham uma boa tarde, que o Espírito Santo possa hoje, nesta Assembleia, cair fogo do céu aqui. Muito obrigada.”

É constrangedor fazer alguns esclarecimentos pela sua obviedade. Mas já que discursos desse nível existem – e são feitos por representantes democraticamente eleitos – é preciso dizer à deputada que: 1) homossexualismo e pedofilia não são a mesma coisa; 2) pedofilia não é uma orientação sexual, mas um crime; 3) se um funcionário da sua casa ou da sua empresa ou qualquer pessoa, em qualquer lugar, tenha a orientação sexual que tiver, cometer o crime de pedofilia, deverá ser denunciado e preso, independentemente da PEC-23, porque está previsto no Código Penal.

Se Myrian Rios cometeu esse discurso por ignorância ou por má fé, só ela, com sua consciência, pode resolver consigo mesma. E aqui uso o “má fé” em dois sentidos: tanto na tentativa de manipular a opinião pública, fazendo com que os cidadãos do estado do Rio de Janeiro pensem que não vão poder demitir criminosos se a PEC-23 for aprovada, como por sua controversa interpretação do evangelho que diz praticar.

Após a repercussão dos respectivos discursos, tanto Dom Bergonzini quanto Myrian Rios manifestaram-se como de hábito: a questão não foi o que disseram, mas uma interpretação equivocada de suas palavras. É curioso como a responsabilidade é sempre do outro. No caso, do leitor, da jornalista, do espectador, do eleitor. Mas as respostas, tanto de Dom Bergonzini quanto de Myrian Rios, são autoexplicativas. E iluminam melhor do que eu seria capaz de fazer as verdades dos fatos.

O bispo reproduziu a reportagem do Valor Econômico em seu blog. Sem desmenti-la, fez uma chamada em vermelho, acima da matéria: “Obs: sobre estupro, leia aqui”. Depois, repetiu o alerta no ponto da reportagem em que discorre sobre o tema. Neste novo link, ele declara: “Só um insano diria que a mulher é culpada pelo estupro”. Aqui, sou obrigada a concordar com ele. O religioso continua: “A violência contra a mulher é mostrada diariamente pela imprensa. As mulheres, de qualquer idade, são atacadas, brutalmente violentadas e assassinadas por maníacos sexuais em praças, vias públicas, locais mal iluminados e até em casa. A lei presume a violência em crimes de estupro praticados contra menores e pessoas especiais”. Dom Bergonzini termina esse tópico dizendo: “Jamais afirmamos que a mulher não é a vítima. O criminoso é o culpado pelo crime que ele cometeu”.

O bispo parece não apenas duvidar da dor e do testemunho das mulheres violentadas, mas também da inteligência e da capacidade de discernimento do leitor. Todos puderam ler o que disse Dom Bergonzini à jornalista do Valor Econômico e aprender sobre o “teste da caneta”. Portanto, cada um pode tirar suas próprias conclusões.

Já a deputada Myrian Rios (PDT) divulgou uma nota, através de sua assessoria. No texto, ela pede desculpas pelo discurso, mas responsabiliza o público por uma compreensão equivocada de suas palavras: “Se entenderam dessa maneira, peço desculpas”. Reproduzo a nota na íntegra: “Iniciei meu discurso de 21 de junho na tribuna da Alerj relatando a minha condição de católica, missionária consagrada da comunidade Canção Nova (ligada ao movimento de Renovação Carismática) e, como tal, eu prego o respeito, o amor ao próximo, o perdão. Destaco que Deus ama a todas as pessoas, pois Ele não faz diferenciação. Em um dos trechos, afirmo: não sou preconceituosa e não discrimino. Repudio veementemente o pedófilo e jamais tive a intenção de igualar esse criminoso com o homossexualismo. Se entenderam desta maneira, peço desculpas. Conto na minha família com parentes e amigos homossexuais e os amo, respeito como seres humanos e filhos de Deus. Da mesma forma repudio a agressão aos homossexuais, pois nada justifica tamanha violência. Votei contra a PEC-23 por minhas convicções e não contra este ou aquele segmento de determinada orientação sexual”.

Graças à internet e à tecnologia, o leitor pode assistir ao discurso da deputada na íntegra. E tirar suas próprias conclusões sobre as intenções da “missionária católica” ao dizer o que disse.

Percebo que existem pessoas que, ao falarem em nome de sua fé, seja ela qual for, acreditam ter o patrimônio do bem, da ética e da verdade. Às vezes, até do “amor”. Como alguém já disse, muita gente tortura os números para que eles digam aquilo que pode comprovar a sua tese. Lendo, escutando e assistindo à fala de alguns religiosos, tenho a impressão de que torturam a Bíblia para que possam seguir com a propriedade de uma verdade única – a sua. O caminho da sabedoria, porém, inclusive para os grandes teólogos da Igreja Católica, passou e passa pelo exercício da dúvida, constante e tenaz. É preciso se despir da vaidade das certezas para alcançar a dor do outro – movimento imprescindível para o amor.

De minha parte, acho que o mundo pode abrir mão de demonstrações de “amor ao próximo” como a de Dom Bergonzini e Myrian Rios.

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for O teste da caneta e o motorista gay

29 Comentários

  1. linda disse:

    Penso que a Senhora seja a favor da PEC23 e que não é mãe…só assim pra não entender o discurso da deputada…entendi e honestamente estou com ela e tenho certeza que muita gente está, como sei que tem os contra, tenha a certeza que tem também os a favor. Agora esse Bispo vamo respeitar né…doidinho pra ser violentado e não achou quem tivesse coragem de o fazer e então pensa que pra qualquer um isso seria um prazer…mas ele se esquece que mulher não é qual quer um. Ele ta se olhando de mais no espelho.

  2. Jaqueline Rociosilva disse:

    Pq as atualizações por email vieram todas pela metade??? Libera o post todo =(

  3. Cleber Silva disse:

    a senhora está + que certa, pedofilia e ”opção” sexual é outra.violencia contra a mulher era pra ser crime  hediondo…Agora não poder demitir da MINHA CASA é uma ofensa,empresa pública ou privada é diferente.a senhora deixaria seus filhos com alguém na cracolandia,não, pois poderiam ser influenciados.veja não é o homosexualismo ou a droga; é aquilo que como mãe a senhora COM TODO DIREITO; não quer para seus filhos.

  4. Amanda disse:

    Cada um segue aquilo q acredita, eu acredito que Myrian Rios e Dom Bergonzini nao tiveram a intenção de julgar ninguém, podem até me chamar de preconceituosa, mais sou contra o homosexualismo, e com toda a certeza nao vou quero isso para os meus filhos, e não sou obrigada a aceitar, eu amo o próximo,  mais nem por-isso vou aceitar seus atos. Deus Abençoe a todos. 

  5. Liz disse:

    Homossexualismo e pedofilia não são a mesma coisa, mas, sejamos francos: estão frequentemente associados. Deixemos de hipocrisia, não somos perfeitos, cada um escolhe seus empregados com os  critérios que quiser; muito mais se for para trabalhar com crianças. É a mesma liberdade que cada adulto tem para fazer o que quiser de sua sexualidade.

    • Filipe Estrela disse:

      Com relação a contratação ou manutenção de empregado não é bem assim. Vale salientar que o art. 1º, da Lei nº 9.029, de 13 de abril de 1995, aduz que:

      “Art. 1º Fica proibida a adoção de qualquer prática discriminatória e limitativa para efeito de acesso a relação de emprego, ou sua manutenção, por motivo de sexo, origem, raça, cor, estado civil, situação familiar ou idade, ressalvadas, neste caso, as hipóteses de proteção ao menor previstas no inciso XXXIII do art. 7º da Constituição Federal.”

  6. Adalberto disse:

    É constrangedor verificar que pessoas esclarecidas como a Eliane Brum que de obviedades o inferno está cheio. Inclusive essa a dela do mundo da Caróchinha, de achar que tudo é superficial. Esclareço para demência em pessoa:1- Homossexualismo e Pedofilia são sim a mesma porcaria. E já cansou essa defesa idiota de descaracterizar ambas. Tudo é orientação sexual.  Sexo é a tônica de ambas as cabeças doentes.
    2- Pedofilia só é crime porque envolve crianças. Mas pasmem, o homossexualismo também envolve crianças, mas não se faz tanta apologia com esse fato. Inclusive tem uma declaração do líder do homossexualismo do Brasil, no Youtube, onde ele exorta os pais a deixarem seus filhinhos irem para os braços dele…
    O que cansa a gente é que o discurso do homossexual e do pedófilo é o mesmo. Então porque só a pedofilia é crime. Na seara das idéias tanto um quanto o outro se classificam como uma orientação sexual.
    Um “AMA” pessoas do mesmo sexo; o outro “AMA” pessoinhas, crianças de qualquer sexo. Qual a diferença doentia entre um e o outro? NENHUMA. Ambas são desvio de comportamento que deve ser tratado por psicólogos e psiquiatras. E TEM CURA SIM……
    3- Com relação a emprego, acho que os pais devem sim pedir informações sobre a orientação sexual do empregado, pois se vai cuidar do seu filho deve seguir o mesmo tipo de orientação dos pais.

    Eu duvido que um “casal” gay contrate uma babá evangélica para cuidar de seus “filhos” o dia todo. imagina deixar uma “louca” contar histórias bíblicas para seus “filhos”, que de repente mostram que o comportamento dos “pais” está errado…

    • Edson disse:

      Parabéns !!!!! Concordo em gênero, gráu e número… .

    • Milao2003 disse:

      Concordo Adalberto!  observando que o discurso dos militantes gay é sempre apresentado em razão das exeções: gays não promìscuos, gays discretos, lésbicas femininas, homossexuais não necessariamente pedófilos ( embora conheço vários e TODOS com preferência por adolescentes) e ainda por cima se acham no direito de doutrinar nossos filhos, obrigatoriamente, via estado e MEC, CONTRA a orientação dos pais, evidentemente que não tendo filhos,em razão da “crueldade” da natureza, que impede esse fruto tão óbvio do “amor”,  e pretendendo legislar sobre a prole alheia, passam a denominar os heteros de homofóbicos e preconceituosos sem perceber que é isto mesmo que estão produzindo com essas idiossincrasias estúpidas, por outro lado, recorrem a medidas extremas tipo ” barriga de aluguel e inseminação artificial”  para gerarem filhos de outrem , desde que assim construam “famílias” com dois pais ou duas mães quem sabe em breve tais “familias normais” serão verdadeiros “consórcios” semelhantes aos de veículos, devidamente denominadas “familias modernas” principalmente por esquerdóides demagógicos e amorais. Concluindo: esse grupo que assenta o raciocínio do articulista acima pretende uma lei e uma sociedade com normas tipo: ” é proibido ao sol produzir luz” ou ” fica definido que a água, a partir de hoje será em pó.”, infelizmente têm contra si, simplesmente a realidade!

      marcilio leão

    • Luca Martins disse:

      tanta estupidez e ignorância… ó Deus, tem misericórdia daqueles que se dizem povo Teu!

  7. Gladistone S L Silva disse:

    O bispo usou mal as palavras, e pelo jeito percebeu depois, pelos estudos que teve para chegar a bispo não poderia cometer um erro desse, já a Mirian Rios merece mais compreensão, ve-se claramente que ela usou errado as palavras, demonstrou até falta de conhecimento, mas você é inteligente o suficiente para entender que ela apenas defendeu o direito de não querer pessoas com orientação sexual diferente do que ela acredita ser correto perante sua fé trabalhando com ela, não é dificil entender o que ela quis dizer, percebo que você entendeu isso, então acredito que você também fez mal uso da sua palavra, ou como você mesmo definiu, usou má fé manipulando a opinião do leitor para defender a sua, disfarçadamente jogando todos conta a Mirian Rios. Em tempo, a Mirian Rios poderia “ajudar” menos a causa dela, deveria buscar mais informação primeiro, além de ler a biblia, ler também livros, revistas e artigos de filosofia, sociologia, antropologia e mais outras “gias”, e falar menos do Roberto Carlos no livro dela, mas nada disso desacredita o discurso dela.

  8. Marco Antônio Benaci disse:

    Sou, e morrerei Católico, porém, o que esse Bispo escreveu é um absurdo. Qual seria opinião dele se   a mãe ou uma irmã na mesma situação de uma mulher violentada? Qto ao comentário de Myrian Rios, acho que antes de tudo, principalmente de julgarmos, temos que ver o caráter da pessoa; existem bons e maus elementos em todos os gêneros.      

  9. Roseli Silva disse:

    Concordo com o Adalberto! E para completar : Daqui a pouco a poligamia é forma de familia pq não tantos paises são…ouvi um exemplo e vou compartilhar : Sobre a expectatva de vida : 77 anos, mas para quem fuma 66 e para os homossexuais 46!!!, quando se combate o cigarro não quer se comparter o fumante…no homossexualismo a Aids impera…esse combate passa pela saúde, mental, espiritual  e fisica….Estou com a Miriam Rios..não sou obrigada engolir qdo um direito fere outro direito temos que pensar!!! E tenho amigos gays!!!!

  10. Blogdobento disse:

    Pela lógica da deputada também não se deve contratar um heterossexual, pois, afinal, o estupro é praticado por eles.

  11. Valdibreder disse:

    Essa Eliane Brum está fazendo o mesmo que critica. Usando de seu poder de midia pra ser manipuladora. E maligna!

    Cristina Breder

  12. José Honório Marques disse:

    Todos os que procuram viver de acordo com a vontade divina, expressa nas palavras bíblicas, devem ter entendido o que sente e o que tentou pregar a Miryan Rios. Dessa forma, o verdadeiro cristão, mesmo amando e respeitando imparcial e incondicionalmente seu próximo, não pode ser a favor dessa PEC. Amar e respeitar a todos, indepentente de escolhas sexuais, religiosas, pessoais… é o preceito primordial para quem se diz cristão, porém, não pode ser obrigado a seguir com eles, com suas deturpadas orientações, por seus caminhos tortuosos e errôneos, conforme a orientação bíblica. 
    Dá-me a impressão de que a sociedade está indo por um caminho em que o errado é ser hétero, culminando com a aprovação de uma chuva de leis que acabam deturpando o entendimento das crianças e adolescentes do verdadeiro sentido de família, conforme o entendimento cristão. Até porque, Constitucionalmente, o casamento reconhecido é o que se dá entre um homem e uma mulher. E famíla, como está na Bíblia, forma-se de um pai (masculino) e de uma mãe (feminino) e dos filhos que deles nascerem ou forem adotados. E os homossexuais, podem sim, tentar (des)orientar nossos filhos e netos a praticarem suas formas de relacionamento. Afinal, quem eles procuram para um relacionamento íntimo? 
    Eu convivo com dois parentes gays, mas procuro mostrar que não é uma prática cristã, que Deus abomina tais práticas.    
    Sobre o que disse Dom Bergonzini sobre a caneta, também não sou muito a favor, porém, sou obrigado a defender ferrenhamente Miryan Rios. Retirei do Google um treco que explica porque os cristãos não estão de acordo com muitas leis ditas “ultramodernas”, porém, anticristãs.
    Segue:
    Pergunta: “O que diz a Bíblia a respeito da homossexualidade? A homossexualidade é pecado?”
    Resposta: A Bíblia nos diz de forma consistente que a atividade homossexual é pecado (Gênesis 19:1-13; Levítico 18:22; Romanos 1:26-27; I Coríntios 6:9). Romanos 1:26-27 ensina especificamente que a homossexualidade é resultado de negar e desobedecer a Deus. Quando a pessoa continua em pecado e incredulidade, a Bíblia nos diz que Deus “a abandona” a pecado ainda mais perverso e depravado para mostrar-lhe a futilidade e desesperança da vida longe de Deus. I Coríntios 6:9 proclama que os “transgressores” homossexuais não herdarão o reino de Deus.Deus não cria a pessoa com desejos homossexuais. A Bíblia nos diz que a pessoa se torna homossexual por causa do pecado (Romanos 1:24-27), e definitivamente por sua própria escolha. A pessoa pode nascer com grande tendência à homossexualidade, da mesma forma como algumas pessoas nascem com tendências à violência e outros pecados. Mas isto não é desculpa para escolher o pecado, cedendo aos próprios desejos pecaminosos. Se uma pessoa nasce com grande tendência à ira, isto faz com que seja certo que, então, ceda a esses desejos? Claro que não! O mesmo é verdade com relação à homossexualidade.Entretanto, a Bíblia não descreve a homossexualidade como um pecado “maior” do que qualquer outro. Todos os pecados são ofensivos a Deus. A homossexualidade é somente uma das muitas coisas enumeradas em I Coríntios 6:9-10, coisas que vão manter a pessoa afastada do reino de Deus. De acordo com a Bíblia, o perdão de Deus está disponível ao homossexual da mesma forma como está disponível a um adúltero, adorador de ídolos, assassino, ladrão, etc. Deus também promete força para conquistar a vitória sobre o pecado, incluindo homossexualidade, a todos quantos crerem em Jesus Cristo para salvação (I Coríntios 6:11; II Coríntios 5:17).  

  13. Guilherme Ferreira disse:

    Cadê o comentário do dono desse blog a respeito dessa notícia? Aposto que assinaria em baixo, não?
    Pois é… Tem gente que, ao invés de condenar o pecado, prefere buscar a simpatia dos pecadores…

    “Ai de vós quando todos os homens de vós disserem bem, porque assim faziam seus pais aos falsos profetas.” (Jesus, segundo Lucas 6:26)
    Já outros não se importam em falar a verdade, mesmo que o mundo todo os odeie, chamando-os de preconceituosos, antiquados, homofóbicos, etc. Estamos vendo se cumprir o que o próprio Jesus Cristo anunciou (conf. Mt 10:22, 24:9, Mc 13:13 e Lc 21:17): o tempo em que os verdadeiros cristãos serão odiados por todo o mundo.

    E quando a oposição ao casamento gay se tornar realmente crime, os que a pregam a verdadeira Palavra de Deus passarão a ser perseguidos!

    “O casamento gay é a mentira que criará condições para mandar milhares de pessoas [cristãs] para a cadeia.” (JeffMirus)

    • Rodrigo Oliveira disse:

      Diz isso um homem que crê num livro que foi escrito por vários outros homens.

      Deus é superior à isso tudo.

      Quantas vezes já disseram que o mundo ia acabar?
      Quantas vezes disseram que certas circunstâncias desencadeariam o fim do mundo?

      A Bíblia é um livro completamente sem nexo e absolutamente diferente do que Deus significa: AMOR INCONDICIONAL

      (Procurar o significado da palavra incondicional no dicionário caso não a conheça)

  14. Guilherme Ferreira disse:

    Cadê o comentário do dono desse blog a respeito dessa notícia? Aposto que assinaria em baixo, não?
    Pois é… Tem gente que, ao invés de condenar o pecado, prefere buscar a simpatia dos pecadores…

    “Ai de vós quando todos os homens de vós disserem bem, porque assim faziam seus pais aos falsos profetas.” (Jesus, segundo Lucas 6:26)
    Já outros não se importam em falar a verdade, mesmo que o mundo todo os odeie, chamando-os de preconceituosos, antiquados, homofóbicos, etc. Estamos vendo se cumprir o que o próprio Jesus Cristo anunciou (conf. Mt 10:22, 24:9, Mc 13:13 e Lc 21:17): o tempo em que os verdadeiros cristãos serão odiados por todo o mundo.

    E quando a oposição ao casamento gay se tornar realmente crime, os que a pregam a verdadeira Palavra de Deus passarão a ser perseguidos!

    “O casamento gay é a mentira que criará condições para mandar milhares de pessoas [cristãs] para a cadeia.” (JeffMirus)

  15. Filipe Estrela disse:

    Parece que os comentários são piores que as declarações de Myrian Rios. 

    Entristeço-me em saber que existem pessoas que se dizem cristãos, mas se revestem de discriminação. Não passam de religiosos que vivem a lei e ainda não aceitaram a graça.

    É essa discriminação que marginaliza os homossexuais.

  16. Filipe Estrela disse:

    Felizmente Malafaia ñ representa os evangélicos. Nem dom Bergonzini e Myrian Rios sintetizam a Igreja Católica (comentário de Ruiluisr pelo Twitter).

  17. Tania disse:

    Infelizemente, estes assuntos estão sim todos misturados… Sempre fui aquele tipo de amiga tímida que fala pouco e ouve bastante, frequentemente me torno confidente de muita gente. Todos os meus amigos gays tinham suas infâncias marcadas por pedofilia, alguns o pai, o avô, o irmão, amigos mais velhos, treinador do time, um deles foi assediado pelas mulheres mais velhas da família (tias que se trancavam com ele no banheiro e faziam o que queriam, ele passou a detestar mulheres e, quando se tornou moço, passou a se relacionar somente com homens), enfim… Não conheço nenhuma pessoalmente, mas uma amiga de minha mãe passou a viver amorosamente com uma vizinha depois que foi estuprada por bandidos e foi confortada por esta vizinha que tinha passado por uma imensa desilusão amorosa com o marido e decidiu nunca mais se envolver com homens. Não estou dizendo que todo homossexual e lésbica provém de casos assim, mas estou lembrando que há muitos casos semelhantes a estes e é uma das razões destes temas aparecerem todos juntos, muitas vezes… É bem provavel sim que o fim da pedofilia resultasse em diminuição do número de homossexuais, lésbicas, estupradores, prostituição, drogas, pessoas com diversas doenças psicossomáticas resultantes de traumas na infância, enfim, uma infinidade de consequencias (ops! ativistas gays, estou listando diferentes consequencias da pedofilia, não estou falando que homossexualismo é crime ou doença).
    O que eu realmente defendo é que religiosos e homossexuais parem de lutar uns contra os outros. Vai estar sempre errado aquele que discriminar e usar violência física ou moral contra homossexuais. Assim como vai sempre estar errada qualquer pessoa que discriminar e usar qualquer subterfúgio para calar os religiosos. O mesmo direito de uma pessoa desfilar pelas ruas a sua homossexualidade deve ser dado ao religioso de divulgar a Palavra de Deus, como ela é; o mesmo direito que um padre tem de largar a batina por não estar feliz e assumir-se gay deve também ser dado a um homem ou uma mulher que queira deixar suas práticas homossexuiais por não estar feliz e preferir buscar auxílio em uma religião. Eu posso não querer nada disso para a minha vida e minha família, mas devo respeitar quem acredita assim e prefere viver daquela forma. Sem luta. Aquele princípio super-antigo que as gerações de hoje parecem ter esquecido ou nunca ouviram falar: o seu direito termina onde começa o meu e o meu direito acaba onde começa o do próximo. Paz. FIM.

    • Rodrigo Oliveira disse:

      Nunca fui abusado, tive uma criação MARAVILHOSA, fiz a minha crisma, primeira eu caristia, sou batizado, tenho pais que me amam e sempre fizeram de tudo pra me oferecer o melhor e principalmente dignidade, agora some tudo isso ao fato de eu ser GAY.

      Sou feliz assim pois Deus não comete erros. É rpa eu ser assim e já recebi sinais disso.

      Não, Deus não veio pessoalmente me prestigiar com sua presença como dizem alguns fanáticos, mas por meio de orações ele me convenceu de que eu estou no meu caminho.

      Que quem não estiver feliz em sua condição atual que mude, mas quem está e pensa em mudar por outros acharem que é errado… precisam rever seus conceitos de “viver plenamente em Deus” pois eu tenho certeza que ele é feliz quando seus filhos estão felizes

  18. ELOANABRANDAO disse:

    tambem nao nao daria emprego em cas para homosesuais.a verdade deve ser dita os que
    dizem que esta tudo bem sao ipocritas.um homosesual trabalharia em minha empresa  mais em casa ja mais.DEUS fez homem e mulher.homosesualismo e pecado de morte na lei de DEUS.
    ASSIM COMO A MENTIRA ,ADULTERIO.FORNICAÇAO  SEXO ANTES DO CASAMENTO ABENSOADO POR DEUS,ASTROLOGIAS, MAGIAS,FEITIÇARIAS DE TODAS AS ESPECIE  , ABORTOS PROVOCADOS, ASSASINATOS,GANANCIA E MILHOES DE COISAS QUE TODAS AS PESSOAS DE BOA INDOLE SABE QUE NAO E BOM.
    O QUEM SABE O QUE ESTA OR TRAZ D TUDO ISSO ENTENDE POR QUER TEM PESSOAS QUE PREFEREM DEUS E FICA NA LUZ DA VERDADE E OUTRAS PREFEREM SATANAS E FICAM NAS TREVAS CAMINHANDO EM DIREÇAO AO INFERNO APOS A MORTE.
    UM DIA OS REBELDES VAO RANGER OS DENTES QUANDO DEUS JULGAR SUAS OBRAS
    ESPERO QUE DENTRO DESTA TREVA TENHA JENTE INTELIJENTE PARA SAIR DESSA ENQUANTO HA TEMPO VOU ORAR POR ELES,

    • Rodrigo Oliveira disse:

      O engraçado é que nem empresa você pode ter Eloana Brandão (É esse eu nome? porque com eu analfabetismo digital fica difícil decifrar)

      Porque você não poderia ter? Trata-se do capitalismo, Deus não gosta de dinheiro, e você também não pode gostar, com certeza você também evita algumas pessoas de que não goste ou solta uma mentirinha de vez enquando por mais que não seja pra causar mal algum, mas apenas para evitar alguma confusão, mas não deixa de ser mentira.

      E eu, como cristão E homossexual fui ensinado, ninguém pode julgar o ser humano além de DEUS.

      Suas expressões em caixa alta provavelmente estejam refletindo exaltações de puro ódio contido no seu coração, isso porque é CRISTÃ.

      Mas bem, quem sou eu pra julgar você, certo? E já que ambos de certa maneira estamos julgando um ao outro, estamos no mesmo barco 🙂

      Quem sabe nos vejamos no inferno algum dia.

      Abraços queria

      PS: Se você pelo menos PENSAR que estou mentindo em dizer que sou cristão, estará me julgando duas vezes, enquanto eu estarei de conciência limpa, pois Deus sabe que eu não estou mentindo.

  19. ELOANABRANDAO disse:

    tambem nao nao daria emprego em cas para homosesuais.a verdade deve ser dita os que
    dizem que esta tudo bem sao ipocritas.um homosesual trabalharia em minha empresa  mais em casa ja mais.DEUS fez homem e mulher.homosesualismo e pecado de morte na lei de DEUS.
    ASSIM COMO A MENTIRA ,ADULTERIO.FORNICAÇAO  SEXO ANTES DO CASAMENTO ABENSOADO POR DEUS,ASTROLOGIAS, MAGIAS,FEITIÇARIAS DE TODAS AS ESPECIE  , ABORTOS PROVOCADOS, ASSASINATOS,GANANCIA E MILHOES DE COISAS QUE TODAS AS PESSOAS DE BOA INDOLE SABE QUE NAO E BOM.
    O QUEM SABE O QUE ESTA OR TRAZ D TUDO ISSO ENTENDE POR QUER TEM PESSOAS QUE PREFEREM DEUS E FICA NA LUZ DA VERDADE E OUTRAS PREFEREM SATANAS E FICAM NAS TREVAS CAMINHANDO EM DIREÇAO AO INFERNO APOS A MORTE.
    UM DIA OS REBELDES VAO RANGER OS DENTES QUANDO DEUS JULGAR SUAS OBRAS
    ESPERO QUE DENTRO DESTA TREVA TENHA JENTE INTELIJENTE PARA SAIR DESSA ENQUANTO HA TEMPO VOU ORAR POR ELES,

  20. william disse:

    Muito bom texto. gostei!

Deixe o seu comentário