Padres perdoarão aborto em festival de jovens na Espanha

Publicado no Estadão

Vaticano concedeu a padres o direito de perdoar o pecado do aborto quando ouvirem as confissões de centenas de milhares de jovens que participarão do festival católico romano na Espanha esta semana.

O aborto é considerado um pecado a ser punido com excomunhão dentro das regras da Igreja Católica. Durante o Dia Mundial da Juventude, peregrinos vão participar de uma confissão em massa na presença do papa Bento XVI, no sábado, em um parque central de Madri.

“Essa (concessão) é para facilitar aos fiéis que participarem das celebrações do Dia Mundial da Juventude a obtenção dos frutos da graça divina”, afirmou a arquidiocese de Madri, em comunicado em seu website.

Duzentos confessionários portáteis brancos foram colocados no Parque Retiro, em Madri, onde centenas de padres vão receber confissões em diferentes línguas de peregrinos vindos de diversas partes do mundo.

O pontífice vai sentar-se em um dos confessionários na manhã de sábado para ouvir confissões de três visitantes, antes de uma missa com até 6 mil seminaristas.

O Vaticano já anunciou em 11 de agosto que havia autorizado uma indulgência total ou plena para todos os jovens que participarem das celebrações.

A indulgência é a remissão da pena temporal que uma pessoa recebe por pecados que foram perdoados e é tradicionalmente concedida aos peregrinos do Dia Mundial da Juventude.

O papa Bento XVI chegará à capital espanhola na quinta-feira para uma visita de quatro dias que terminará com uma missa no domingo no aeródromo Cuatro Vientos, que deve contar com a participação de mais de dois milhões de pessoas.

foto: Reuters

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Padres perdoarão aborto em festival de jovens na Espanha

1 Comentário

  1. Sergiogleria disse:

    Na minha opinião, a Igreja Católica deveria incentivar a educação sexual e o uso de “camisinha” ou anticoncepcionais entre os jovens. Isso diminuiria a gravidez indesejada, as doenças sexualmente transmissíveis e os abortos clandestinos. 

Deixe o seu comentário