Silas Malafaia, o pastor que ‘dá novo fôlego ao conservadorismo religioso’

Francisco Bicudo, no Blog do Chico
.
No mês de julho, a revista Piauí escancarou o universo de desmandos e de relações perigosas e espúrias mantidas e patrocinadas pelo grão-duque do futebol brasileiro e presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira. De certa forma, a publicação contribuiu para dar vida e contornos mais nítidos e organizados a um sentimento de indignação até então disperso e nebuloso. Veio à tona, com mais força nas redes sociais, mas também em marchas e manifestações que começam a se espalhar pelos estádios, o movimento “Fora, Teixeira!”.
.
Em agosto, Piauí revelou um então ministro da Defesa contaminado pela soberba e pela arrogância, que se julgava acima do bem e do mal e autorizado a dizer impunemente que o governo era “atrapalhado” e a chamar colegas ministras de “fraquinhas”. Nelson Jobim cavou sua demissão, acontecida logo depois (e muito por conta) da publicação da matéria.
.
Pois eis que a edição de setembro da revista, que acaba de chegar às bancas, traz como um dos destaques de capa uma reportagem (“Vitória em Cristo”) sobre o líder evangélico Silas Malafaia, da Assembléia de Deus Vitória em Cristo, um personagem que “dá novo fôlego ao conservadorismo religioso” e “ataca feministas, homossexuais e esquerdistas enquanto prega que é dando muito que se recebe ainda mais”, como aparece destacado na capa e no texto, de autoria mais uma vez de Daniela Pinheiro (a mesma que escreveu sobre Ricardo Teixeira). Aguarda-se ansiosamente a repercussão da matéria.
.
Sem fazer alarde e apostando em jornalismo de qualidade (boa apuração, informação precisa, contrapontos, equilíbrio, histórias bem contadas e textos de fôlego e brilhantes), Piauí muito precisamente pode ser chamada de a melhor revista brasileira da atualidade, uma das boas invenções do nosso jornalismo nos últimos anos.
.
Sem dar atenção aos defensores dos textos curtos e fragmentados, que garantem que o “leitor não tem mais tempo para ler, é preciso facilitar a vida dele e evitar que precise fazer sofisticados exercícios mentais e de leitura”, a revista nos coloca mensalmente em contato com as histórias humanas, o velho e bom perfil, que, segundo Humberto Werneck, no livro “Vultos da República – Os melhores perfis da revista Piauí”,  representa “o mais interessante dos gêneros jornalísticos”. Ou, como escreve Sergio Vilas Boas em “Perfis e como escrevê-los”, “os perfis cumprem um papel importante que é gerar empatias”.
.
E é de fato impossível não se deixar tocar (no meu caso, de ficar indignado) pelo perfil de Malafaia escrito por Daniela. O que salta aos olhos, em minha leitura (sempre um processo marcado por singularidades), é o retrato de um sujeito preconceituoso, ambicioso, intolerante, truculento e perigosamente inteligente e articulado, muitas vezes com respaldo (quase adoração) dos fieis, que por tudo isso não deve ser apenas encarado como folclore, como chacota. Política e ideologicamente, é adversário a ser confrontado, porque o mundo fundamentalista que ele prega é radicalmente diferente, antagônico mesmo, dos valores sociais e humanos que defendo.
,
Por isso mesmo, a leitura na íntegra do perfil é imprescindível, justamente para que se possa conhecer com mais detalhes com quem estamos lidando (e também, claro, para aprender jornalismo). Como contribuição, reproduzo abaixo alguns trechos do texto. Mas insisto – é preciso ler a reportagem inteira, de cabo a rabo. A revista está nas bancas.
.
Mercantilização da fé I – “Eu gasto milhões, milhões e milhões por mês com horário na televisão, congressos, cruzadas evangélicas, treinamento de pastores, abrindo novas igrejas. Como se paga isso? Não é um anjo do céu que desce com um cheque em branco para mim”.
n
Mercantilização da fé II (pregação de Malafaia durante um culto da igreja) – “Como a gente faz tudo isso? Só com a liberalidade e a fidelidade dos irmãos. Vamos zerar essa conta. Se você quiser fazer uma oferta especial, peça um envelope para você”, disse a todos. “Vamos orar para Deus dar as verbas para vocês. Frutifica a semente que eu e meus irmãos plantamos!”, gritou. Ouviam-se brados de “Aleluia”, “Glória a Deus” e “Louvado”. Alertou: “Ninguém pode ser constrangido a dar oferta. Ninguém é obrigado a dar. Ninguém quer que você tire o pão da boca das crianças nem que se endivide”. (…) A repórter continua: “Dos cantos do auditório, saíram rapazes e moças distribuindo pilhas de envelopes onde se lia a frase: ‘Minha semente para uma colheita abençoada’, impressa sobre uma foto de ramos de trigo. Dezesseis deles também carregavam máquinas Cielo para o pagamento da doação em cartão de débito ou crédito.
.
Na Vitória em Cristo, 30% das ofertas são acertadas no cartão. “Não se envergonhe, não se cale, você é um agente de Deus”, disse Malafaia. O barulho de zíperes de bolsas e carteiras era ensurdecedor”. (…) “Quando percebeu que o movimento dos obreiros havia cessado, deu a ordem: ‘Levanta o seu envelope aí’. E, como uma onda feita por torcidas em estádios de futebol, os envelopes foram surgindo um a um e ficaram suspensos no ar. ‘Glória a Deus’, ele disse, antes de iniciar uma oração. Dias depois, calculou ter arrecadado dez mil reais naquela noite”.
.
Fiéis, religião e espetáculo – (repórter continua descrevendo um culto que reuniu cerca de 2.500 pessoas). “O público era, em sua maioria, de mulheres jovens, maquiadas e bem-vestidas, como se estivessem voltando do trabalho. Representavam a ascensão das classes populares brasileiras. Eram as novas secretárias,  telefonistas, recepcionistas. Os homens presentes vestiam terno e gravata ou paletó com camiseta por baixo”. (…) Sua performance (de Malafaia) é uma combinação de memória prodigiosa e desempenho cênico. Ele é onomatopeico, careteiro e versátil no uso da voz – com a qual percorre uma escala extensa, do falsete quando imita alguém que faz uma pergunta tola, ao grave profundo que enfatiza uma frase mais solene”.
.
Discurso conservador – “O seu discurso (de Malafaia, novamente) é socialmente conservador, e suas trovoadas retóricas recaem sobre grupos organizados que militam pela afirmação das minorias e pelos direitos individuais. Considera-os liberais, termo que nas suas pregações ganha conotação pejorativa, deslizando no mesmo campo semântico de libertinagem: umbandistas, a esquerda da Igreja Católica, pastores de outras denominações religiosas, feministas, defensores do aborto e da eutanásia. Nos últimos tempos, o seu alvo predileto tem sido os gays”.
.
Conservadorismo e machismo – “Aí vem a irmã dentro da igreja com a roupa arroxada, os dois melões de fora e o cara do lado só olhando, só no somebody love. (…) Se você está indecorosa, você peca e faz outro pecar! E se você deixa sua mulher sair assim, você é um mané, um otário! Bota o silicone que você quiser, minha irmã! Mas se você quiser ser o instrumento do pecado, a glória de Deus vai embora e você vai pagar a conta com Jeová!”.
Homofobia e fundamentalismo bíblico – “Cada um faz sexo com quem quiser. O que tenho é o direito de falar que isso é pecado, que é condenado por Deus e que a Bíblia diz que é uma perversão. Agora, o que esse pessoal quer não é o direito de fazer sexo – porque isso já fazem e não vão parar de fazer. Eles querem é colocar uma mordaça na nossa boca para nos proibir de falar qualquer coisa sobre eles”.
.
Homofobia e fundamentalismo bíblico II – Num trecho da matéria, Elizete Malafaia, psicóloga e esposa do pastor, diz que “atendeu inúmeros gays e sustentou que a maioria teria sido abusada na infância. ‘A homossexualidade é uma desorganização emocional e espiritual. Se a pessoa não perdoou o abuso, ela canaliza aquela raiva para a vingança e, inconscientemente, se torna um abusador também”.
,
Relações com a Rede Globo – “Silas Malafaia contou que, no final do ano passado, foi chamado para uma conversa pelo vice-presidente das Organizações Globo, João Roberto Marinho. O dono da Globo lhe disse que a rede queria conhecer melhor o mundo dos evangélicos. E contou terem percebido, na emissora, que Edir Macedo ‘não era a voz’ dos protestantes no Brasil. Desde então, eles mantêm um canal de comunicação. ‘Sabe quantas vezes apareci no Jornal Nacional só este ano?’, perguntou o pastor, dando a resposta com a mão aberta. ‘Cinco'”.

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Silas Malafaia, o pastor que ‘dá novo fôlego ao conservadorismo religioso’

31 Comentários

  1. Marcoantonyo disse:

    é a vergonha do evangelho!

    • Claudiomar disse:

      O Pastor Silas Malafaia, é um homem que Deus  tem levantado para abrir os olhos da sociedade, no que tange ao pecado de uma forma geral. Ele tem sido um grande APOLOGETA na pós-modernidade! É um porta-voz do Senhor na terra!!!

      • Desse tipo de “Apologeta” quero distância, do tipo intolerante e agressivo, parece mais a figura do Fariseu na parábola do Fariseu e do Publicano. Eu admirava ele mas ele se corrompeu, adora a Mamom agora pregando essa famigerada Teologia da Prosperidade.

      • Desse tipo de “Apologeta” quero distância, do tipo intolerante e agressivo, parece mais a figura do Fariseu na parábola do Fariseu e do Publicano. Eu admirava ele mas ele se corrompeu, adora a Mamom agora pregando essa famigerada Teologia da Prosperidade.

      • Malafaia e Apologeta, duas coisas que mutuamente se excluem…

      • Apologetas, quem precisa deles?

        Se Deus precisasse que nós, pecadores, o defendêssemos nunca teria mandado nem Jesus Cristo nem o Espírito Santo! Apologética é masturbação mental, desculpa para excitação cerebral que visa a liberação não saudável de adrenalina!

        Resumindo, Silas Malafaia pode até ser um grande apologeta, mas desde quando o filho de Deus precisa de alguém que o defenda?

        Apologética não serve pra nada…

      • Com todo o respeito amigo… se formos um pouco mais ‘bereanos’, veremos que Malafaia deixou de ser porta-voz do Senhor já tem algum tempo. Alguém que compactua com Morris Cerullo é um mercador maldito da fé que tem que se arrepender rapidamente. Alguém que prega contra o pecado sem amor ao pecador é ainda mais falho. Fora outras coisas que esse ser anda fazendo por aí que mais envergonham o evangelho que qualquer outra coisa…

      • Claudio disse:

        Desculpe-me a ironia, mas Malafaia tem sido cada vez mais porta-voz da Cielo… Evidentemente não se trata de crítica ao uso de máquinas para catões, mas por, sempre, a visão de que o mundo deve riquezas aos evangélicos ficar mais evidente que o apelo para as pessoas aceitarem a Cristo como Salvador. Aliás, há algum tempo a Palavra anunciada como salvação para o mundo (e não apenas para criticar grupos sociais, como se a humanidade não fosse pecadora) foi deixada de lado. Mais importante tornou-se pagar a conta da televisão para conseguir mais dinheiro para Deus (apenas Ele) sabe para quê em detrimento da pregação do Evangelho. Sinto, mas Malafaia e outros do gênero afastam mais pessoas do Caminho do que atraem por seu testemunho. Por este viés, as palavras de Malafaia são ainda mais perniciosas, pois não apenas espantam os ímpios como causam dissenções na igreja (mas a Igreja, com “I” maiúsculo, está sob a guarda do Espírito Santo. Amém!).

      • Carlin disse:

        E aí o coelhinho da páscoa disse para o papai noel: esse povo tá doido? e um dos duendes interviu dizendo: – Não, eles fazem isto em completa consciência! E uma fada concluiu: sim, eles gostam de serem enganados.
        Apologeta? Um “porta-voz do Senhor na terra? Tá bom…

        “Este povo me honra com seus lábios mas…”
        Falar, berrar, verborragiar, vociferar é fácil… difícil – no caso dele – é a amabilidade, a temperança, a serenidade e a paz.

        A única intervenção com a qual não concordo no texto é a que diz que ele é uma pessoa inteligente, o acho apenas um espertalhão que está mais para um brucutu, homem das cavernas do que própriamente uma mente brilhante. O que monta está imagem pseudo-intelectual nele é o povo, que produziu uma criatura dessas à sua imagem e semelhança.

        Carlos Alberto-Pr

  2. Andrea Fernandes disse:

    Quem tem medo de trovodada? Pior, trovoada retórica? =P

  3. Sergiogleria disse:

    Sempre criticam, no Brasil , os políticos e religiosos inescrupulosos. Não vejo críticas a quem os respeita e admira! Se essas personalidades possuem destaque em nossa sociedade é porque, infelizmente, são respeitados e admirados !!!

  4. Waldir Martins Machado disse:

    É acredito que vivemos momentos e exageros. Tanto nas igrejas, na política e no jornalismo. Eu não sou admirador do Pastor Silas, mas fazer uma análise dele, por um culto, pelo que ele defende ou pelo que ele é contra sem levar em consideração todo um contexto é perigoso. É preciso cautela.
    Waldir Martins Machado

    • Carlin disse:

      Penso que sobre contextos eu posso falar, haja vista que sou muito bem informado sobre o “moneystério” desse espertalhão desde os anos 80. Ele de tempos em tempos “elege” temas polêmicos e contraditórios para meter o pau para, pouco tempo depois, tornar-se “adepto” daquilo mesmo que pretendia – com toda aquela energia estranha própria dele – “combater”. Foi assim com o neopentecostalismo; foi assim como g-12 do Terra Nova; foi assim no caso da Globo contra quem ele sempre incitou os ânimos dos evangélicos e com quem hoje em dia anda flertando, e tudo isso por que em décadas passadas ele foi “contratado” pelo (p)Edir Macedo para u$ar sua influência a favor da Record e, claro, contra a Globo. Hoje Macedo e a Record se tornaram seus desafetos. Todas estas contradições e incoerências (e outras mais) estão no You Tube prá quem quiser ver; eu as vi pessoalmente in loco.

      Todos temos o divino direito à mudança de opinião – eu mesmo, sou uma “metamorfose ambulante” – lembrando um profeta de verdade – mudo muitas vezes meu conceitos e permaneço aberto às mudanças. O que não posso admitir, é que as mudanças sejam decorrência de conveniências e busca cega pelo poder… também não é admissível que as mudanças sejam sempre para muito pior.

      Para quem quiser ( e puder ) ver e ouvir.
      Carlos Alberto-Pr

      • Railson Oliveira disse:

        Caro Sr. Carlos Alberto, por curiosidade: quem seria esse “profeta de verdade” a que o Sr. se refere, que era também uma “metamorfose ambulante”?

        • Carlin disse:

          Eu penso Railson, que sua pergunta seja apenas retórica, tendo em vista as aspas; por esta razão lhe “respondo” com outra pergunta: você sabia que perguntar aquilo sobre o que já se sabe a resposta é estratégia preferida de quem de antemão não concorda com a idéia? Caso eu esteja enganado, sua “pergunta” seja realmente por mera curiosidade, eu lhe seja de verdade caro e o pronome de tratamento Sr. antes do meu nome for de fato sinal de respeito, de todo coração, lhe peço perdão.

          Por agora, quero lhe dizer que o conceito que eu tenho de profeta tem a ver com o modelo que tenho da vida e da Bíblia e não da religião. Na religião, os que são reconhecidamente profetas, são exatamente os mais ambiciosos, os mais espertos, os que fazem tudo para estar em evidência, os mais vaidosos, os megalomaníacos, os dissimulados, fazem questão absoluta de demonstrar “poder” e “autoridade” desfilando  dentro de ternos bem cortados,  exalando perfumes caríssimos, carrões blindados, jatos, helicópteros e como diz Paulo à Timóteo: tudo isso muito bem disfarçado com aquela tão manjada aparência de piedade.

          Por outro lado, os que são de fato profetas não são – necessáriamente – aqueles que soletram o nome J-E-S-US o tempo todo. Os da soletração são os mesmos que tentarão, naquele dia, se justificar dizendo: “em teu nome: expulsei demônios, PROFETIZEI, fiz muitos milagres, ao que ouvirão: não sei quem vocês são” pois “nem todo que me diz Senhor, Senhor entrará no Reino dos céus, mas aquele que faz a vontade do Pai que está no céu.”

          Ou você consegue imaginar Isaias celebrando ritos religiosos? Já leste o capítulo 20 que tem apenas 6 versículos mas que narra em poucas linhas 3 anos em que o profeta profetizou completamente nú? Sim, 3 anos! Ele tinha esposa e filhos expostos ao ridículo; amigos, vizinhos, pessoas em volta que achavam que ele era louco, insano, esquizofrênico, idiota, qualquer outra coisa, menos profeta.

          E Ezequiel? Estaria hoje num manicômio numa camisa de força e sedado, menos com a agenda cheia prá shows da fé nos templos da religião. Isso prá não continuar me alongando por que a lista seria muitíssimo extensa. Jesus diz que os enviados do Pai só foram reconhecidos pelo povo quando já não estavam mais lá para “escandalizá-los” com a chocante Verdade que anunciavam. o próprio Senhor, na época de sua encarnação “não foi conhecido”. Nada mudou de lá prá cá, o mesmo continua acontecendo.

          Entretanto a eternidade está logo alí, e então, saberão quem é e quem não é profeta. Quanto a mim, já tenho discernimento próprio.

          Muita luz da Luz do mundo prá sua cachola Railson.
          Com sincero amor, respeito e carinho:
          Carlos Alberto-Pr

               

        • Carlin disse:

          Eu penso Railson, que sua pergunta seja apenas retórica, tendo em vista as aspas; por esta razão lhe “respondo” com outra pergunta: você sabia que perguntar aquilo sobre o que já se sabe a resposta é estratégia preferida de quem de antemão não concorda com a idéia? Caso eu esteja enganado, sua “pergunta” seja realmente por mera curiosidade, eu lhe seja de verdade caro e o pronome de tratamento Sr. antes do meu nome for de fato sinal de respeito, de todo coração, lhe peço perdão.

          Por agora, quero lhe dizer que o conceito que eu tenho de profeta tem a ver com o modelo que tenho da vida e da Bíblia e não da religião. Na religião, os que são reconhecidamente profetas, são exatamente os mais ambiciosos, os mais espertos, os que fazem tudo para estar em evidência, os mais vaidosos, os megalomaníacos, os dissimulados, fazem questão absoluta de demonstrar “poder” e “autoridade” desfilando  dentro de ternos bem cortados,  exalando perfumes caríssimos, carrões blindados, jatos, helicópteros e como diz Paulo à Timóteo: tudo isso muito bem disfarçado com aquela tão manjada aparência de piedade.

          Por outro lado, os que são de fato profetas não são – necessáriamente – aqueles que soletram o nome J-E-S-US o tempo todo. Os da soletração são os mesmos que tentarão, naquele dia, se justificar dizendo: “em teu nome: expulsei demônios, PROFETIZEI, fiz muitos milagres, ao que ouvirão: não sei quem vocês são” pois “nem todo que me diz Senhor, Senhor entrará no Reino dos céus, mas aquele que faz a vontade do Pai que está no céu.”

          Ou você consegue imaginar Isaias celebrando ritos religiosos? Já leste o capítulo 20 que tem apenas 6 versículos mas que narra em poucas linhas 3 anos em que o profeta profetizou completamente nú? Sim, 3 anos! Ele tinha esposa e filhos expostos ao ridículo; amigos, vizinhos, pessoas em volta que achavam que ele era louco, insano, esquizofrênico, idiota, qualquer outra coisa, menos profeta.

          E Ezequiel? Estaria hoje num manicômio numa camisa de força e sedado, menos com a agenda cheia prá shows da fé nos templos da religião. Isso prá não continuar me alongando por que a lista seria muitíssimo extensa. Jesus diz que os enviados do Pai só foram reconhecidos pelo povo quando já não estavam mais lá para “escandalizá-los” com a chocante Verdade que anunciavam. o próprio Senhor, na época de sua encarnação “não foi conhecido”. Nada mudou de lá prá cá, o mesmo continua acontecendo.

          Entretanto a eternidade está logo alí, e então, saberão quem é e quem não é profeta. Quanto a mim, já tenho discernimento próprio.

          Muita luz da Luz do mundo prá sua cachola Railson.
          Com sincero amor, respeito e carinho:
          Carlos Alberto-Pr

               

  5. Marceliniia disse:

    Nasci e fui criada nessa igreja, e admiro muito o pastor Silas como homem de Deus. Não concordo com tudo o que ele diz, ainda mais quanto a questão da prosperidade, mas julgar o caráter de um homem por UM culto que de acordo com que li foi total e completamente hiperbólico. “som ensurdecedor” de carteiras abrindo? Eu sou uma das que não anda com dinheiro, e se quiser ofertar com débito?
    E quanto ao homossexualismo, tenho amigos gays, ando com eles e os acho incríveis! O que não muda o fato de que o ato é abominável diante dos olhos de Deus. Tal como calúnia, adultério… Ofato de eu amá-los, não altera o fato de que TODOS nós somos pecadores. 
    O fato é que eu me recuso em falar mal, ou ver alguém o fazer de um pastor que admiro.

  6. Tuco Egg disse:

    A Globo tá patrocinando o cara contra o Macedo? Não deixa de ser engraçado. Os dois se merecem. Os três, alias – globo, macedo e mala.

  7. Eu gosto do Silas Malafaia. Não concordo com 100% das coisas que ele diz, até porque é difícil encontrarmos alguem que concordamos 100%, mas a grosso modo, ele representa a voz de Deus sim. Ele tem autoridade, tem conhecimento, tem moral pra falar. Não é qualquer um. Milhares de pessoas tem conhecido o evangelho por meio dele, por meio de seus programas, e até os cristãos, tem tido animo novo por meio de suas pregações. Eu mesmo sou um deles. Já fui muito encorajado por meio dele. Amo e o admiro, apesar de não concordar com algumas coisas referentes à prosperidade, dinheiro… agora quanto as maquininhas Cielo… eu estou torcendo para colocarem aquelas maquininhas na minha igreja. Quantas vezes deixo de ofertar porque não ando com dinheiro, mas passaria o cartão numa boa.

    Não sou nada do Silas, sou de Marília, interior de SP, meu twitter é @jonathannemer. Sou um cristão praticante e imparcial. Também tenho amigos gays, mas não podem nos impedir de falarmos da prática deles… até porque, a meu ver, essa matéria também é preconceituosa e generaliza conduta dos evangélicos. Mas eles tem o direito de falar. Não podemos impedir matérias como essas de serem publicadas… nem nos impeçam de falar sobre a Palavra. Abraçosss

  8. Cleber Silva disse:

    duas coisas: ele foi dos poucos que bateram de frente contra a REPUGNANTE  pl 122. isso é fato… o outro  é que ele ficou cego com a teologia da prosperidade, e, alguém deve urgentemente exortá-lo contra isso. não é por que ele é o SILAS MALAFAIA que não pode ser exortado, ninguém tá a cima da PALAVRA DO SENHOR.

  9. Cleber Silva disse:

    duas coisas: ele foi dos poucos que bateram de frente contra a REPUGNANTE  pl 122. isso é fato… o outro  é que ele ficou cego com a teologia da prosperidade, e, alguém deve urgentemente exortá-lo contra isso. não é por que ele é o SILAS MALAFAIA que não pode ser exortado, ninguém tá a cima da PALAVRA DO SENHOR.

  10. tito monteiro disse:

    O sr. Malafaia não fala pelos evangélicos. Não lhe dei esse direito. Não é o profeta de Deus falando no deserto, não tem autoridade espiritual, tem sim autoridade religiosa no seu campo de atuação, no caso a Assembléia de Deus Vitória em Cristo. Não vislumbro nele como sendo um “homem de Deus”,não é e nunca será. As críticas feitas a ele procede, qdo nós nos calamos as pedras clamarão. Vejo neste caso Deus sinalizando o alarme para a próxima queda,e Deus usa a imprensa como o Seu chicote no lombo do Malafariseu emperdenido. Vade retro coisa ruim. O sr.Malafaia tem feito mais estragos ao povo de Deus e a sociedade em que vivemos. Eu nunca contribuí para essa festa do diabo promovida pelo sr. Malafaia.E os que tem fé na Palavra que continuem caminhando,enquanto o sr. Malafia continua latindo.
    tito from brasília.

  11. Beto disse:

    Malafaia é um adepto e um praticante da mercantilização da fé, mas se os seus incautos seguidores não estão se incomodando com isto, não serei eu que vou me incomodar. Quanto à sua misoginia, entendo da mesma forma. Já em relação a sua homofobia – este é o termo exato – é uma falta de bom senso, tendo em vista a violência que atinge os homossexuais, além de ser um incentivo ao preconceito e ao ódio. Outra coisa questionável é que ele conspira abertamente contra a laicidade estatal – ele quer sim um Estado teocrático no Brasil – e os direitos civis dos cidadãos homoafetivos. O fato de suas atitudes serem supostamente baseadas na Bíblia (são?) não muda nada, pois o livro sagrado só é autoridade para quem é cristão, não podendo ser imposto aos que não seguem a religião cristã.

  12. Hugo disse:

    Nem certo nem errado.. 

  13. Interessante que quando alguém “”mexe”” com os interesses de uma minoria com poder de mídia, anarquistas, ocultistas, apologetas do aborto e homossexualismo tsunames e terremotos são lançados nele.
    Pode usar o dinheiro pra cachaça, futebol, comprar a maconha que faz o traficante adquirir a munição (bala) que vai matar alguém, prostituição e taxas abusivas dos bancos, NÃO TEM QUEM CRITIQUE.
    Agora ultilizar dinheiro para trabalhos e obras para restauração de vidas, aí……. .
    Outro fato é que certas revistas cheias de Gays em suas editoras, desenham um perfil dos contribuintes evangélicos como se fossem tapados, ignorantes ou pobres.
    Temos, no meio evangélico, desde faxineiro até Magistrados e Desembargadores. Professores, Mestres, PhDs, presidentes regionais da OAB e demais pessoas que NÃO SÃO IGNORANTES ou que são passadas para trás com facilidade.
    O problema é que o Silas mexeu com os Gays que, por terem essa pseudoandroginia, tem o maior respeito dos ocultistas. Como os que veneram o BAPHOMET, a imagem andrógina do Bode que segundo o misticismo, o andrógino tem maior aproximação com as divindades do que o que é “”normal””, ou o Heterossexual.
    Parabéns ao Pastor Silas Malafaia, porque para botar cara a tapa, amigo…………….

  14. Daniel disse:

    O interessante é que matérias como esta dão novo fôlego aos grupos contrários ao evangelho, tanto os vacilos da conduta “estranha” de Malafaia, vide teologia da prosperidade atualmente por ele abraçada, quanto o apoio a matérias parciais como esta, que jogam no campo do politicamente correto, são fermento para descrédito do mundo na verdade do Evangelho, esteja Malafaia certo ou errado, é indiferente, já que não devemos ser seguidores deste ou de qualquer outro individuo, humano e imperfeito, como toda a humanidade, e sim, firmarmo-nos em Cristo Jesus e em suas Palavras de Vida Eterna. O politicamente correto não necessariamente é o biblicamente correto, é preciso os verdadeiros cristãos tomarem cuidado com o mundo secular que já lhes é contrário e habilmente trabalha para jogar uns contra os outros. Não faço a defesa de Malafaia, que em algumas coisas erra, porém não faço coro com aqueles que se aproveitam disto para indiretamente atacar o Evangelho, que verdadeiramente é o Poder de Deus para salvação de todo aquele que crê.  

  15. Rafael disse:

    A democracia chora toda vez q Silas Malafaia abre a boca!

  16. Railson Oliveira disse:

    Eu também gosto do Silas Malafaia, e concordo com o Jonatham Nemer. Não gosto muito é da atitude de alguns irmãos em Cristo, que atacam sem piedade outros irmãos, como o próprio Malafaia, acusando-o justamente de atacar a chamada “minoria homossexual” (o termo “minoria” é usado normalmente apenas em relação à quantidade, mas já vimos minorias poderosas como essas antes, e elas não têm nada de frágeis). Para mim, Malafaia quer o direito de continuar dizendo que o homossexualismo é pecado. Eu também quero continuar tendo esse direito. Ele é realmente destemperado. Provavelmente eu não defenderia meu ponto de vista de forma tão beligerante. Mas pela reação em nosso próprio meio, sem a compaixão que querem impingir a ele, talvez a Igreja precise de alguém exatamente assim…

  17. cristão disse:

    Texto super parcial e agressivo….Podem caluniar ,injuriar e difamar os servos de Deus….Quanto mais batem ,mais eles crescem ….Que Deus tenha miséricórdia do dono desse blog que fica inventando e dizendo coisas que o pastor não diz…

  18. O Pastor Silas Malafaia é um dos poucos pastores evangélicos que pregam o evangelho na essência do que realmente está escrito (sem a necessidade de usar textos isolados). Acredito que para um(a) jornalista poder realmente fazer um matéria a respeito, esta, deveria no mínimo após adquirir esses dados, verificasse de onde vêem estas informações e se elas são condizentes com a proposta cristã (a bíblia).

    Me desculpe a sinceridade, mas se você pouco conhece não deve tecer comentários infundados até que possa ter propriedade para se falar a respeito.
    Informo que não sou da igreja dele e nem concordo 100% com o que ele diz, mas tenho que na maioria absoluta das vezes reconhecer que o que diz é a verdade bíblica expressa em palavras, gostando eu ou não.

Deixe o seu comentário