Para que serve a igreja?

Ed René Kivitz

O mundo religioso tem seu mais novo personagem: o evangélico não praticante. A informação aparece nos resultados das últimas pesquisas realizadas pelo Centro de Estatísticas Religiosas e Investigações Sociais (Ceris) e pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgadas pela reportagem O novo retrato da fé no Brasil, publicada na edição 2180 da revista ISTOÉ, de agosto último.

Os evangélicos não praticantes são definidos como “os fiéis que creem mas não pertencem a nenhuma denominação”, sendo cada vez maior o número de pessoas que “nascem em berço evangélico – e, como muitos católicos, não praticam sua fé”. Os dados revelam que “os evangélicos de origem que não mantém vínculos com a crença saltaram, em seis anos, de 0,7% para 2,9%. Em números absolutos, são mais de 4 milhões de pessoas nessa condição”.

As pesquisas apenas confirmaram uma tendência há muito identificada, a saber, o crescente número de pessoas que buscam espiritualidade sem religião, e deseja a experiência da fé sem a necessidade de submissão às instituições religiosas. É o fenômeno da fé privatizada, em que cada um escolhe livremente o que crer, retirando ingredientes das prateleiras disponíveis no mercado religioso.

O novo cenário faz surgir perguntas que exigem respostas urgentes: Para que serve a igreja? Qual a função da comunidade cristã na sociedade e na experiência pessoal de peregrinação espiritual?

A experiência dos cristãos no primeiro século, no dia seguinte ao Pentecostes, narrada no livro dos Atos dos Apóstolos [2.42-47; 4.32-35], serve de referência para a relevância da vivência em comunidade.

Para que serve a igreja? A igreja serve para manter viva a memória da pessoa e obra de nosso senhor Jesus Cristo: “Eles se dedicavam ao ensino dos apóstolos”. Em tempos chamados pós modernos, quando as crenças são desvalorizadas e as verdades se tornam subjetivas e particulares, é importante saber não apenas em quem se crê, e os cristãos compreendem a fé como confiar em uma pessoa, Jesus Cristo, mas também saber o que se crê, e por isso os cristãos chamam de fé também um conjunto de crenças e afirmações a respeito do Deus em quem crêem–confiam. O Evangelho é uma boa notícia, e os cristãos devem saber qual é essa notícia. A igreja é a comunidade que preserva a memória de Jesus, sua pessoa e obra.

Para que serve a igreja? A igreja serve para manter viva a esperança que se fundamenta na abertura para o mistério divino: “Todos estavam cheios de temor, e muitas maravilhas e sinais eram feitos pelos apóstolos […] com grande poder os apóstolos continuavam a testemunhar da ressurreição do Senhor Jesus”.

Em tempos de banalização do sagrado, as pessoas perdem a noção do que Rudolf Otto chama “mysterium tremendum”, isto é, já não têm na alma o temor que coloca o homem de joelhos diante da manifestação do divino e nem mesmo esperam que tal aconteça. A igreja é a comunidade que preserva a expectativa de que o céu se abra, de que o favor divino se derrame sobre a terra.

Enquanto o mundo vai se tornando cada vez mais frio e fechado, condenado às estreitas possibilidades da racionalidade e dos limites do poder humano, a igreja fala do milagre como possibilidade real e os cristãos se dedicam às orações.

Para que serve a igreja? A igreja serve para manter viva a oferta do amor de Deus em resposta à solidão humana: “Eles se dedicavam à comunhão, ao partir do pão […] Todos os que criam mantinham se unidos e tinham tudo em comum. Vendendo suas propriedades e bens, distribuíam a cada um conforme a sua necessidade […] Da multidão dos que creram, uma era a mente e um o coração. Ninguém considerava unicamente sua coisa alguma que possuísse, mas compartilhavam tudo o que tinham.

Não havia pessoas necessitadas entre eles, pois os que possuíam terras ou casas as vendiam, traziam o dinheiro da venda e o colocavam aos pés dos apóstolos, que o distribuíam segundo a necessidade de cada um”. Em tempos de individualismo, egoísmo, segregação, e competição darwinista, a igreja é a comunidade da fraternidade, da partilha, da solidariedade e da generosidade. A igreja é a comunidade da aceitação, do perdão e da reconciliação. É na igreja que se concretiza a oração de Jesus a respeito de Deus e os homens: “que sejam um”.

Para que serve a igreja? A igreja serve para manter vivos os sinais do reino de Deus na história: “grandiosa graça estava sobre todos eles”. Conforme Jung Mo Sung, “a igreja é o povo de Deus a serviço do testemunho da presença do Reino de Deus”, que se completa com a afirmação de Ariovaldo Ramos: “a igreja deve viver o que prega para poder pregar o que vive”. A igreja é a comunidade em que o anúncio da presença do Reino de Deus entre os homens é seguido do convite desafio: “Vem e vê”, pois o Evangelho de Jesus Cristo não é apenas uma mensagem em que se deve crer, mas principalmente um novo tempo em que se deve viver.

Para que serve a igreja? A igreja serve para manter viva a esperança da ressurreição: “Com grande poder os apóstolos continuavam a testemunhar da ressurreição do Senhor Jesus”. Quando o lacre romano do túmulo de Jesus foi rompido no domingo da ressurreição, a vida afirmou sua vitória sobre os agentes promotores e mantenedores da morte, sobre os processos de morte, que serão enfrentados pela esperança de que um dia a própria morte, último inimigo, cairá de joelhos diante do Senhor da vida.

A igreja é a comunidade dos que se rebelam contra a morte em todos os lugares e todas as dimensões, e contra ela lutam com todas as forças que recebem do doador da vida.

A igreja é a comunidade dos que já não vivem com medo da morte (Hebreus 2.14), dos que anunciam e vivem dimensões da vida, e dos que profetizam a ressurreição até o dia quando, aos pés do Cristo de Deus, celebrarão a vitória daquele que no Apocalipse diz: “Não tenham medo. Eu tenho as chaves da morte e do inferno”, pois “Eu sou o Alfa e o Ômega, o primeiro e o último. Sou aquele que vive. Estive morto mas agora estou vivo para todo o sempre!”. Amém.

fonte: Informativo da Ibab

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Para que serve a igreja?

9 Comentários

  1. Zilda Souza disse:

    Concordo e o texto esta muito bom!
    Mas a desilusão reside no fato da igreja estar longe do verdadeiro sentido de existência dela.
    Abraço!

  2. @Rafinhaloked disse:

    E isso mesmo, agora o numero aumenta de evangélicos não praticantes, pq ultimamente a igreja está sendo o que não deveria ser….  :/  @rafinhaloked:disqus 

  3. Natã Madeira disse:

    Relacionado ao 10º parágrafo: isso é raridade nos dias de hoje, uma comunidade que seja de fato isso. Certamente, ainda hoje, muitos vendem ou doam suas coisas e põe aos pés dos “apóstolos”, pastores e toda gama de títulos existentes, mas estas não vão para os necessitados. Pelas estatísticas, se juntar tudo o que é gasto, por exemplo, com missões ao ano, cada igreja doa 50 centavos. E vir me dizer que a igreja institucionalizada é um local de fraternidade, partilha, solidariedade e partilha? Sejamos realistas, ela tem sido um local onde os enfermos tem vindo e se tornado mais enfermos através das picuinhas, fofocas, batalhas por ser visado ou possuir um maldito cargo. São raras as que podem ser consideradas uma comunidade onde a essência de Cristo e da Igreja é preservada…onde os relacionamentos e as pessoas são importantes. Arriscaria dizer que 1 a cada 20, no minimo.

    Sobre o comentário do Ariovaldo: esse é o problema nos dias atuais da igreja – muito fala, pouco faz.

    Dentro de tudo isso, não estou me excluindo, eu sou consciente de que poderia fazer muito mais do que faço – e caso já forem falar algo, sim, eu frequento uma denominação.

    Só uma coisa: seria mais fácil de resolver tudo isso se todos se tornarem realistas sobre o estado atual da igreja. Ela não é mais um hospital, mas também se tornou um campo de guerra onde muitos tem sido gravemente feridos. Parafraseando Caio Fábio “a igreja é o único exército que mata seu soldado ferido.”.

  4. Robson Lelles disse:

    A partir do momento que se fundam igrejas com propósitos exclusivamente pecuniários, disfarçados de espiritualidade, só pode dar nisso mesmo: pessoas desiludidas com suas lideranças mamonistas simplesmente param de congregar.

  5. Souza Meire disse:

    Gostei muito do texto.

    Eu temo pelos que idealizam demais a igreja primitiva, pois onde estiverem dois ou três reunidos em nome de Jesus com certeza Ele estará, assim como todo tipo de pecado…

    Mas como eu amo meus manos da comunidade onde tento ser igreja, e não me vejo longe deles… Estamos desistindo dos relacionamentos muito rápido, mas Jesus ensinou o contrário;

  6. Brisa Kelly disse:

    legal, mas eu me pergunto se tudo isso define a igreja nos dias de hoje, ou pelo meno como ela deveria ser.

  7. O texto e a teoria são lindos.

  8. O texto e a teoria são lindos.

  9. André Ramos disse:

    a igreja de tem a mesma função da Câmara e do Senado… ou seja, ser o lugar onde seus “líderes” possam fazer politicagem, vender interesses, desviar dinheiro publico e manipular a sociedade… a igreja católica demorou 300 anos para se corromper, as protestantes demoraram 100… ” o homem, e seu caráter, fizeram as portas do inferno prevalecerem contra ela.”

Deixe o seu comentário