Em feira evangélica, negócio$ vão de capa para bíblia a con$órcio de igreja

EXPO CRISTÃ 2011: ApostoloEstevam

Anna Virginia Balloussier, na Folha de S.Paulo

“Não é pecado, não”, diz José Luiz Batres, gerente-geral da Nova Vida, grife que vende capas customizadas para a Bíblia. Seu alvo é o público feminino: por R$ 34,99, a consumidora pode adquirir um modelo de couro sintético com estampa de zebrinha e suporte para celular.

Batres é um dos empreendedores de olho no próspero nicho religioso. “Também percebemos o que a modernidade -chama-se mundo secular, né? -pode trazer ao mundo evangélico.”

Na 10ª Expo Cristã, é lucro o que a modernidade traz. Montada no Pavilhão do Anhembi, a feira de negócios voltada a evangélicos reúne mais de 500 expositores.

A expectativa da organização é de movimentar R$ 1 bilhão em novos negócios (direta e indiretamente) até amanhã, último dia do evento, que estima público de 163 mil.

O leque de produtos é amplo. Em meia hora de caminhada, a repórter da Folha recebeu panfletos sobre cadeiras para bufê, poltronas “confortex”, consórcio para igrejas (créditos de até R$ 300 mil), pacotes turísticos (de Aruba a Israel), stand-up comedy cristão, o parque de diversão Beto Carrero, filmes, gravadoras e as mais diferentes versões da Bíblia.

Para Eduardo Berzin Filho, presidente da Expo Cristã, o mercado começa a acordar para o poder de compra dos evangélicos.

Ele destaca pesquisa da organização Sepal (Servindo aos Pastores e Líderes) que calcula o surgimento de 10 mil novos pontos de pregação por ano.

“Com que dinheiro essas igrejas vão ser construídas? Oferta!”, afirma. Ele complementa, em seguida, que o lucro deve “ser revertido para obras de Deus”.
Música e mercado editorial são “os que mais dão dinheiro”, avalia Benzin Filho.

Para o pastor Jabes de Alencar, da Assembleia de Deus, “só uma pessoa ignorante” acha que “fé e lucro não podem caminhar do mesmo lado”. “A pessoa está dizendo que quem tem fé é alienígena. Mas são pessoas que comem, vão ao banheiro, ao restaurante, vestem, consomem.”

foto: Gospel Mix

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Em feira evangélica, negócio$ vão de capa para bíblia a con$órcio de igreja

8 Comentários

  1. Etewaldo disse:

    A frase ““só uma pessoa ignorante” acha que “fé e lucro não ê e lucro não podem caminhar juntos”, só podia partir de um cidadão que mantém parceria de carteira com outro lucrador da fé evangélica, o silas malavéia. Não é errado ganhar dinheiro com livros e músicas gospel, mas utilizar isso como argumento para se torna mercenário evangélico é outro papo.

  2. Jonathan disse:

    Estou cansado disso. Estou até com aversão a esse nome “evangélico”.

  3. Clarice Batista disse:

    Não sei pq, mas pra mim “Expo Cristã” tem cara de maçonaria!!!

    Não vejo sede de capital financeiro vinculada a mensagem do Evangelho, vejo sim nele a sede de um capital social!!

  4. Clarice Batista disse:

    Chamem isso de qq coisa menos de Expo “Cristã”… é uma afronta a pessoa de Cristo esse estimulo ao capitalismo exacerbado!! #vergonha!

  5. Carmem disse:

    Bom eu acho que de qualquer forma o evangélico vai adquirir. Não vejo problema em os  empresários cristãos ou não investirem nesse povo que até pouco tempo era um povo menosprezado pela sociedade, que bom que hoje eles vêem que somos um povo numeroso.

  6. Juliana disse:

    Não entendo as pessoas.

    De todo coração nã vejo problemas em cantors cristãos ganharem $$$ com
    sua música, seu trabalho. E também não vejo problema algum neles
    querererm conquistar mais. Os médicos, dentistas, fisioterapeutas,
    donos de lojas, domésticas, engenheiros cristãos vaõ ter q trabalhar de
    graça agora? Não podem querer aumentar sua fonte de renda? Ganhar mais?
    Porquesó surge esta discussão RIDICULA com os ministérios cristão???

    Não aguento tantaaa hipocrisis. Dai-me paciencia Jesus! 

    • Lene Tav disse:

      Por que medicos, dentistas, fisioterapeutas, donos de lojas, domesticas, engenheiros não estão fazendo este trabalho como embaixadores de cristo ( suas atividades estão ligadas as coisas terrenas)os ministros do evangelho porém com coisas espirituais e santas ,não devem se embaraçar com os negócios dessa vida.
      Um cantor ou um pregador é diferente, dizem, que estão ali para levar a mensagem de Cristo, mas devido os altos investimentos das gravadoras jamais vai se levar em conta FÉ, AMOR, PIEDADE,MISERICORDIA, num negócio o que interessa é o lucro.
      O evangelho é simples, sem interesses.Olhe para Jesus e olhe para os astros gospel. Cada dia criando fãs e buscando ELOGIOS E RECONHECIMENTOS do mundo.
      ASTRO GOSPEL…combina com servo?
      ASTRO GOSPEL…combina com importa que ele cresca e eu diminua?
      ASTRO GOSPEL…combina com quem quiser ser o o maior seja o servo do ultimo?
      ASTRO GOSPEL. para vender mais se espelham nos moldes do mundo e o que o mundo oferece?
      “Nada que é deste mundo vem do Pai. Os maus desejos da natureza humana, a
      vontade de ter o que agrada aos olhos e o orgulho pelas coisas da vida, tudo
      isso não vem do Pai, mas do mundo”.
      Oro a Deus para que seus filhos “levitas” mudem de atitude. Pois na ética cristã o fim não justifica os meios…

  7. Paulo disse:

    Pra mim não há nenhum problema em se comercializar artigos evangélicos em um lugar adequado como uma feira, que foi criada especificamente pra isso. Pior é a venda de milagres de cura e  da salvação, da macumba branca que tem sido propagada dentro dentro das igrejas neo pentecostais, como venda de toalhinhas, meias tapetinhos, copos d’água, campanhas pra receber benção financeiras e comprar casa. Nada disso tem base bíblica. Não passa de charlatanismo e estelionato espiritual. Mas a única certeza que tenho é que estas pessoas prestarão contas ao Rei dos Reis no dia do juízo final.

Deixe o seu comentário