Religião versus rock no Rio de Janeiro?

Guilherme Bryan, no Yahoo!

Os dois dias  seguintes à abertura do Rock in Rio foram marcados por centenas de faixas espalhadas ao longo da avenida das Américas, percurso da zona sul do Rio de Janeiro até a Cidade do Rock, na zona oeste, com os dizeres: “Por Um Mundo Melhor? Só Jesus”. Na porta do evento, vários religiosos distribuíam panfletos com a mesma pergunta. Essa foi uma iniciativa da ala jovem da igreja Assembleia de Deus, de Campo Grande, na mesma região da capital fluminense.

Leia a seguir na íntegra o que estava escrito no tal panfleto e preste atenção nas inúmeras menções ao Rock in Rio.

“Certa vez, Ele tocou uma música que repercutiu como nunca no palco do mundo inteiro, e conquistou o coração de Deus. Momentos antes, Ele havia conduzido com dificuldade Sua pesada guitarra de madeira, em formato de cruz, até o alto de uma rocha chamada Calvário. Talvez tenha sido por isso que Ele se tornou conhecido como Cristo in Rock, ou Cristo do Calvário, ou Cristo do Rock in Rio.

Ele dominava tão bem a Sua arte que era capaz de tocar Sua guitarra simplesmente deitando-se sobre ela. E foi o que Ele fez. Para que o mundo inteiro pudesse vê-lo e ouvi-lo, os cenógrafos do Calvário o cravaram sobre Sua guitarra e o ergueram. O mundo jamais viu ou ouviu guitarrista igual. Sua palheta eram pregos. A letra da música que Ele cantou era composta de sete palavras: Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem (Lucas 23:34). Após tocar o melhor solo de guitarra de toda a sua vida, Ele encerrou a Sua carreira dizendo: Está consumado (João 19:30). Reclinando a cabeça para o lado, fechou os olhos e expirou.

Extasiado com o que ouvira, e talvez querendo levar o guitarrista a tocar outra vez, um daqueles cenógrafos do Calvário aproximou-se de Cristo in Rock e golpeou o seu coração com uma lança. Um rio de sangue começou a escorrer do Seu peito. Cristo in Rock tornara-se agora Cristo do Rock in Rio; Cristo inundando a rocha do seu coração com o rio do Seu amor.

A música que Cristo in Rock tocou para o mundo tem um nome: Reconciliação com Deus. Ele dedicou essa música a mim e a você. Ouça-a, e tire o melhor proveito de sua letra para sua vida”. E completa no verso:

“Não Perca a Atração Principal. A música é o maior instrumento para reunir pessoas em favor de um propósito, seja por uma causa social ou somente diversão. Uma atitude louvável, porém de alegria momentânea. Por isso, queremos convidar você a conhecer alguém que pode ser a atração principal da sua vida. Ele não precisa de holofotes para ser visto em meio à escuridão, porque é a própria luz. E, em pouco tempo, estará diante de uma multidão maior do que a deste festival, onde milhões de pessoas, numa só voz, numa direção, estarão cantando e alegrando-se eternamente. Talvez esta seja a sua única oportunidade de estar perto daquele que realmente pode tornar seus sonhos em realidade e intervir em prol de um mundo melhor. Entregue sua vida a JESUS agora mesmo e não pare de sonhar, de amar e de viver”.

dica do Robson Mioto

noves fora a tentativa de produzir 1 texto + leve e criativo, peca exatamente em seus fundamentos dualistas, como se a opção fosse Jesus ou rock. dá até medo da equação “correta”: Jesus e gospel brasileiro.

lembrando o mcmanus, já fizemos muita exegese bíblica e está na hora de aprender a fazer exegese cultural. trocar “ganhar almas” por “ganhar corações e mentes” já é um bom ponto de partida.

ah, a eficácia (só que ao contrário) da estratégia pode ser conferida nos quase 3 mil comentários. #fail

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Religião versus rock no Rio de Janeiro?

2 Comentários

  1. Nandaa-87 disse:

    Muito bom!! 

  2. Claudio Augusto disse:

    Acho falta distribuir folhetos de Jesus nas portas das igrejas……

Deixe o seu comentário