Menino inicia tratamento de mudança de sexo aos 8 anos

Primeiro como Thomas, agora como Tammy. (Reprodução/Daily Mail

Publicado originalmente no Virgula

Com direito a tratamento à base de hormônios, o menino Thomas Lobel, da Califórnia, está mudando de sexo e vem causando polêmica. Ele, que tem 11 anos e é filho de um casal de lésbicas, iniciou o processo aos 8 anos de idade.

As mães do menino, que agora se chama Tammy, defendem a decisão do garoto, alegando que era melhor iniciar o processo de mudança de sexo já na infância, pois na puberdade tudo seria mais complicado e, nesse período, o número de suicidas com transtorno de identidade é muito maior.

Segundo Pauline Moreno e Debra Lobel, uma das primeiras coisas que Tammy aprendeu a falar foi “Sou uma menina”. Outro fator decisivo para o incentivo das mães foi o fato de aos 7 anos ele ameaçou mutilar o próprio órgão sexual. Foi aí que o transtorno de gêneros foi diagnosticado e no ano seguinte iniciaram a medicação – implantada em seu braço esquerdo e que impedirá o desenvolvimento de ombros largos, voz grave e pelos faciais no menino.

Segundo informações do Daily Mail, o tratamento hormonal permitirá à Tammy ter tempo de decidir se é isso mesmo o que quer. Caso decida parar de tomar a medicação, será possível passar pela puberdade como um garoto normalmente, sem, inclusive, afetar a sua fertilidade. Mas ao resolver se tornar uma mulher definitivamente, os remédios ajudarão no desenvolvimento de características físicas femininas, como o crescimento de seios.

A cidade de Berkeley, onde Tammy vive, é uma das quatro nos Estados Unidos (Boston, Seatle e Los Angeles são as outras) onde há um hospital com programas para crianças transexuais. Lá elas são assistidas por profissionais de saúde mental, endocrinologistas e pediatras especializados.

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Menino inicia tratamento de mudança de sexo aos 8 anos

6 Comentários

  1. é assim qdo o homem interfere…

  2. Whitiger disse:

    “Filhos de pais homossexuais não são influenciados”…aham…tá….senta lá Cláudia…

  3. Rubens Ayres disse:

    Esse é o modelo que ele teve das mães(pais?). Sempre fui contra adoção por homossexuais. Tá aí no que dá…

  4. Gustavo Wildes disse:

    Conheço duas pessoas “castradas” moralmente pela sociedade e religião. Filhos de pais heterosexuais cristãos. Essas pessoas são claramente homosexuais. Todos que os rodeiam sempre perceberam isso, desde criança. Mas, quando se está no “caminho de Deus” está tudo bem, mesmo que vivam e morram infelizes. Este tipo de “tratamento espiritual” que obriga alguém a se manter no sexo em que nasceu não gera polêmica. 
    NÃO à fé – SIM a inteligência!

  5. Jorge Alex Passamani disse:

    Já não costumo em assustar tanto com as notícias que ando lendo mas eis aí uma que chega me provocar náuseas. Isso é o fim, gente ! A perversidade humana demonstra cada vez mais que não tem limites. Enquanto isso, a maioria dos que conhecem a verdade se cala e aceita tudo isso passivamente. SOCORRO !

Deixe o seu comentário