Cresce o número de jovens que abandona a Igreja por considerá-la “exclusivista e pouco amigável”

Adolescentes deixam a igreja

Agência Pavanews, com informações de Huffington Post e Cristianos.com

Por que metade dos jovens cristãos abandona a igreja antes de atingir a maioridade? Uma nova pesquisa do Grupo Barna tem algumas possíveis respostas. A maioria dos jovens vê a igreja como um lugar pouco amigável e cheio de julgamento. As principais críticas são por acharem que a Igreja em geral é:

1) superprotetora e exclusivista
2) oferece uma experiência cristã superficial
3) antagônica à ciência
4) um lugar em que o sexo é tratado de maneira errada
5) não valoriza outros tipos de fé e espiritualidade
6) hostil com quem não crê no que ela ensina

Este é o resultado de um estudo de cinco anos, compilado agora no livro “You Lost Me: Why Young Christians are Leaving Church and Rethinking Faith” [Por que os jovens cristãos estão abandonando a Igreja e repensando a fé], escrito pelo atual presidente do Barna, David Kinnaman. Seu estudo envolveu entrevistas com 1.296 jovens que são ou já foram membros de igrejas.

Os pesquisadores descobriram que a grande maioria (59%) abandona a vida da igreja de forma permanente ou durante um longo período de tempo após completar 15 anos de idade. Um em cada quatro jovens entre 18  e 29 anos afirma que “os cristãos demonizam tudo que está fora da igreja”. E um terço deles simplesmente acha que “ir à igreja é chato.”

De modo geral, o confronto entre as expectativas da Igreja e a experiência sexual dos jovens tem colaborado em muito para o distanciamento. Um em cada seis jovens cristãos afirmam que “cometeram erros e sentiram-se julgados pela igreja por causa deles”. Enquanto isso, 40% dos entrevistados católicos entre 18 e 29 anos acreditam que a doutrina de sua igreja em relação à sexualidade e ao controle de natalidade estão “desatualizados”.

Kinnaman classifica essa evasão dos jovens da igreja como um problema que requer providências urgentes, já que normalmente os jovens saem de casa cedo, vão para a faculdade ou começam logo a trabalhar, casam e têm filhos antes dos 30 anos.

“As igrejas não estão preparados para lidar com o ‘novo padrão'”, diz Kinnaman. “No entanto, o mundo está mudando de maneira significativa, como um acesso cada vez maior ao mundo e a diversas ideologias, em especial por conta da tecnologia, fazendo crescer seu ceticismo em relação a figuras externas de autoridade, incluindo o cristianismo e a Bíblia.”

Maiores informações sobre a pesquisa podem ser encontradas AQUI.

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Cresce o número de jovens que abandona a Igreja por considerá-la “exclusivista e pouco amigável”

16 Comentários

  1. Concordo, pelo fato de a Igreja criticar aos que não são adeptos da sua visão, sendo que a essência da Igreja de Cristo deve ser o amor pelo próximo (pobres, ricos, bandidos, ladrões…), o que atualmente não está sendo expresso da maneira verdadeira, como Cristo fazia, aproximando-se dos pecadores, e não dos aparentemente Justos. E o que mais me irrita na Igreja atualmente, é o fato de só querer a prosperiadade de maneira fácil, que barganhando com Deus, e Deus não funciona assim! Muitos conceitos devem ser mudados, para que os jovens não se sintam apenas criticados e excluídos, mas que eles se sintam amados, independetemente dos seus erros…

  2. Fábio Valentim disse:

    Todos esses motivos tem fundamento. Mas o maior motivo de todos, é que a igreja se tornou o ninho da hipocrisia. Isso deve ser levado em consideração.

    • Leelobh disse:

      “Quem quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, toma a tua cruz e siga-me” (Jesus)
      Eu na verdade, continuo me congregando, e quanto aos defeitos generalizados dentro da igreja, eu os perdôo… eu tb sou humano e falho… muitas vezes sou abençoado com o convívio… tenho tido muito mais bençãos que perdas! Mais a mais, quando vejo uma atitude qq que eu não aprove, simplesmente ignoro… toda unanimidade é burra…

  3. Crmeier09 disse:

    Eu concordo com esta pesquisa por experiencia. 

    Sou Pastor e vejo que na minha própria igreja não estamos conseguindo superar o estilo padrão, que na verdade é um estilo étnico cultural, e nem sequer pode-se dizer estilo religioso / fé. A etnia, um padrão cultural de longa data, e de pessoas que vivem na liderança sentadas no trono da própria imagem, são fatores que afastam ainda mais. Sempre que temos jovens desejando integrar-se, em algum momento são desestimulados pelos mais antigos. Pena. Estes mais antigos um dia foram jovens e também eram rebeldes, e agora são conservadores. Como pode? Lamento muito por isso, estamos comprometendo uma igreja dinâmica, estamos perigosamente deixando que ela morra d e osteoporose… 

  4. Emmanuel LAUREANO disse:

    Fui evangélico por quase 40 anos. Do meu avô a seu bisneto, todos são evangélicos. Meu rompimento foi um choque para minha família, pois me tornei um ÍMPIO, e hoje estou sujeito a todas as maldições que a bíblia tem para essa classe de gente. Sem contar que VOU PARA O INFERNO de ponta cabeça segundo eles.

    Só estou escrevendo para compartilhar que os motivos acima são os mesmos que me levaram a deixar o cristianismo. E não irei para nenhuma outra religião. Sou agnóstico.

    • Leelobh disse:

      vc na verdade nunca deixou de ser cristão… o cristianismo vai além de templos feitos por mãos humanas…haja vista sua afirmação de que “não vai pra nenhuma outra religião”… uma vez que experimentamos a verdade outras fontes não nos satisfazem… eu, na verdade me considero cristão, apesar de não ter vínculo nem carteirinha de membro… O povo todo esquece de uma coisa muito simples… deve-se pregar o evangelho SE POSSÍVEL com palavras… entende?

    • Carlin disse:

      Minhas solidariedades Emmanuel Laureano. Me identifico contigo quase que totalmente, com uma única resalva: Abandonei todos os ismos sem abandonar o Pai. Você, pelo que pude entender, recebeu Deus como uma herança familiar, não teve chance de optar; o meio “evangélico” foi seu “Habitat natural”, seu nascedouro, seu berço. Digo sempre que, graças a Deus, eu conheci a Ele antes de conhecer a “igreja”, pois caso contrário eu hoje seria o mais ferrenho dos ateus tamanha as contradições e incoerências deste ambiente claustrofóbico.

      Conhecer o Pai foi a experiência mais fascinante, mais radical e mais revolucionária de minha vida. Sou completamente cativado por Jesus de Nazaré. Costumo dizer que tive um apagão religioso por um longo período. Neste tempo fiz filosofia, teologia, fui ordenado ao Ministério pastoral e, partir daí frequentei a cúpula “evangélica” deste País. Vi tudo e sei quem eles são. Enfim a Luz do mundo raiou e pude então acordar daquele sono letárgico e sair do “túmulo” de uma vez para sempre.

      Hoje continuo pastoreando, apascentando, cuidando; ao mesmo tempo em que em contrapartida também sou pastoreado, apascentado e cuidado por todos os que encontro pelo caminho afora.

      Basta uma olhada rápida nos programas “evangélicos” na tv para entendermos que Jesus nunca esteve mancomunado com essa cambada.

      Com toda simplicidade e respeito que lhe devo, digo que me compadeci de você. E apenas na autoridade do amor fraternal lhe oriento a que saia desse trauma que de fato está ligado ao religiosismo hereditário que não conta com o aval do Pai.

      Esqueça as doutrinações, métodos, fórmulas, estratégias e importâncias denominacionais e mergulhe com toda essa sede que assola sua alma na leitura de todo Novo Testamento. Sei que a pessoa magnífica de Jesus também lhe cativará.

      Agnosticismo é apenas um outro “ismo” substituto do anterior e não te completará.

      Em Amor e profundo respeito:
      Carlos Alberto-Pr

    • Cleide disse:

      Emmanuel eu já agi assim antes. No tempo da minha ignorancia, achava que isso fazia parte do zelar, até que passei por tantas situações de julgamento e sentença imerecida que aprendi. Passei também por um câncer, e eu que estava tão cansada de viver de repente me vi aos pés da cruz e conheci finalmente um Deus amoroso, sei que inclusive meu câncer foram formas de me fazer enxergar a realidade, hoje estou procurando viver uma vida mais integral com Cristo. Reveja seus contextos e não use como eu pretextos, Deus valeu e ainda vale a pena.

  5. Maior_ disse:

    Olha, uma experiencia com Deus vai ter quem buscar, muitas vezes a pregaçao fica no sobrenatural, no espiritual e nao nao pratica diaria, por isso na biblia vc ve anti herois como o bom samaritano, a mulher sirio fenicia, o centuriao romano, na ciencia grandes nomes como isac newton, louis pasteur, o problema é q convence é o Espirito Santo e o homem quer fazer isso hoje, falta AMOR  na igreja como no sacerdote e no levita da passagem do bom samaritano, a teologia da prosperidade q é uma abominaçao ao evamgelho, pastores escondendo dinheiro em biblia como os politicos escondem na cueca, a igreja se corrompeu, nao generalizando, antes quando eu evangelizava dizia pra procurarem uma igreja, hoje digo, nao va na universal, nao va na renascer, nao va nua dessas da renovaçao apostolica e profetica, va numa seria, numa batista tradicional, numa presbiteriana, numa assembleia, as vezes a pessoa vai pra igreja e se torna mais egoista, mais arrogante se acando o jjuiz de todos e de tudo.

  6. Frangteind disse:

    Tenho 45 anos, e desde os maus 14 sempre soube que os motivos eram esses, porém nunca me foi dado a oportunidade de falar nem as pessoas que eram meus líderes estavam interessados em saber até porque não estavam acostumados a serem questionamento, isso sempre era visto como rebeldia.

  7. Marly Pacheco disse:

    A pesquisa não foi feita no nosso contexto – igreja brasileira e sim igreja americana (EUA). Não condiz com a nossa realidade. pelo contrário, a igreja brasileira permite tudo. O que falta à igreja é um pouco mais de cuidado com sua juventude. É voltar a pregar a santa e pura Palavra de Deus, fator que prende o convertido aos pés de Cristo. Quando se ama a Palavra de Deus há que se observá-la e viver uma vida que agrada ao Senhor. Na Palavra Sagrada não há meio termo – ou a pessoa é cristã e paga o preço por levar uma vida santificada cada dia mais, ou não é. Só existem duas classes de pessoas no mundo – os salvos e os perdidos. Quando se ama a Deus de todo o coração, o coração sincero quer agradá-Lo e carregar “cada dia a sua cruz”. Ser cristão convertido não é fácil e como diz a Palavra que não erra – “é renunciar-se a si mesmo, é tomar a sua cruz e seguir ao Mestre”. Foi Ele mesmo que disse: ” Se alguém QUISER vir após mim, renuncie-se a si mesmo, tome cada dia a sua cruz e siga-me” Lc. 9:23. Renunciar não é fácil e carregar a cruz muito menos. Então haverá poucos que estejam dispostos a isso. E a respeito disso a própria Palavra fala: ” porventura, quando Jesus voltar achará fé na terra?” Lc 18:8. O que acontece com ajuventude do Planeta atualmente é que querem fugir aos padrões bíblico e viver loucamente atraídos pelo que o mundo oferece – rock, sexo, bebidas e drogas e querem continuar na igreja e fazer da igreja apenas um convívio social e não um lugar de comunhão onde a impiedade não pode caminhar junto. Peço muito a Deus pela nossa juventude de um modo geral,pois tem andado segundo o conselho dos ímpios.

  8. Vdcmascarenhas disse:

    Jesus, mudou? Ele não tem mais poder para nos transformar a cada dia? TODOS SOMOS PECADORES e precisamos Dele em a cada instante de nossas vidas, simplesmente peço, Pai em Nome de Jesus, na pessoa do Espirito Santo nos ajude a todos, crianças, jovens, adultos e idosos a amar e respeitar as fases de nossas vidas.

  9. cara, eu sou Cristão, mas confesso que tenho repensado o meu ato de ir a igrja por muitas coisas, e a principal é que os Cristãos hoje (não generalizando, mas a maioria que eu conheço é assim) estão mais preocupados em ir a igreja todo domingo, ou sempre que podem, do que sair pelo mundo e literalmente pregar o Evangelho aos quatro cantos. Parece que todo mundo já está satisfeito com a sua salvação individual (o que em momento nenhum é garantia de que ela virá realmente, observando que, pra ser salvo, cada um precisa obedecer principalmente a vontade de Deus, o que não é nada fácil), e estão se esquecendo de que ainda há muitas almas necessitando de Cristo. Não parei de ir a igreja e nem pretendo parar, pois ali ainda é o templo de Deus e ali eu o sinto com muito mais profundidade, porém, há de se repensar e muito, e urgentemente, o que se anda pregando nas igrejas afora, pois quando eu vejo Pastores de conduta duvidosa se engalfinhando publicamente, e uma familia de pobres coitados literalmente “pagando mico” no youtube, virando e fazendo piada com o Evangelho (mesmo que não tenha sido essa a intenção), eu desanimo mais ainda.

Deixe o seu comentário