As marcas da Geração X

Robson Vilalba/ Ilustração / Publicado originalmente na Gazeta do Povo

A chamada Geração X, formada pelas pessoas nascidas entre 1961 e 1981, foi rotulada com adjetivos como “inseguros”, “medíocres” e “angustiados”, algo que, segundo um estudo publicado nesta semana, nada tem a ver com as vidas “ativas” e “felizes” da maioria desses adultos.

“São pessoas ativas em suas comunidades, estão em geral sa­­tisfeitas com seus empregos e são capazes de equilibrar trabalho, família e tempo livre”, explica o autor de The Generation X Report (Relatório Geração X), Jon Miller, diretor de um estudo sobre a ju­­ventude americana do Instituto de Pesquisa Social da Universidade de Michigan.

Financiado pela Fundação Nacional de Ciências dos Estados Unidos, o estudo analisa as respostas de 4 mil integrantes pertencentes à Geração X, que foram en­trevistados para falar sobre seus hábitos e costumes.

Toda esta geração foi marcada com esse X como símbolo do de­­sencanto depois da geração co­­nhecida como “baby boom”, que nasceu no período logo após a Segunda Guerra Mundial, sobretudo nos Estados Unidos e Reino Unido. “Nas próximas duas ou três décadas, os membros da Ge­­ração X estarão à frente da nação. Por isso é importante entender seus valores, sua história, os desafios do presente e suas metas para o futuro”, indica Miller.

Este estudo é o primeiro de uma série trimestral de relatórios que, nesta ocasião, enfoca aspectos como emprego e educação; casamento e família; participação na comunidade e a religião; relações sociais e tempo livre, assim como vida digital, felicidade e satisfação vital.

A pesquisa constata que os representantes da Geração X costumam ter emprego, 71% têm fi­­lhos menores de idade em casa, 30% são membros ativos de uma organização profissional, de ne­­gócios ou sindical, e um em cada três faz parte de uma igreja ou or­­ganização religiosa.

Além disso, não são tão pouco sociáveis como se pensava, apesar do dinamismo das redes sociais entre as novas gerações. Segundo o estudo, 95% falam por telefone pelo menos uma vez por semana com amigos ou parentes.

No aspecto cultural, 45% dos entrevistados afirmam ter assistido a uma peça de teatro, concerto, ópera ou balé no último ano, en­­quanto 13% dizem que assistiram a três ou mais eventos culturais.

Mas, além disso, também são leitores, aponta Miller. A pesquisa observa que 72% leem um jornal – impresso ou na internet – pelo menos uma vez por semana, e 80% compraram e leram pelo menos um livro no último ano. Quase metade dos entrevistados disse que tinha lido seis ou mais livros no último ano.

Quanto à felicidade, a maioria garante estar satisfeita com a vida. Em uma escala de 1 a 10, na qual 10 equivale a “muito feliz”, a avaliação média foi de 7,5.

Faixas de vida
O estudo de gerações procura relacionar o comportamento dos jovens à época em que viveram

Veteranos (1925-1944)

São os jovens que nasceram no período entre guerras. Esta geração foi amplamente afetada pelas crises econômicas e a divisão provocada pelos conflitos bélicos. São pessoas que se tornaram a agir sob pressão e tomar decisões difíceis. Valorizam e respeitam regras, e costumam ser pessoas rígidas e exigentes.

– Pertencentes: Silvio Santos, Clint Eastwood

– Filmes para entender: As Confissões de Schmidt, Gran Torino,

Venus Babyboomers (1945-1964)

Define os nascidos após o fim da Segunda Guerra Mundial, quando houve uma explosão de natalidade nos Estados Unidos. Foi uma geração que viveu as contradições da segunda metade do século: a conquista espacial e o horror do Vietnã; o capitalismo consumista e movimento hippie; a segregação racial e o rock’n’roll. São pessoas idealistas e contestadoras.

– Pertencentes: Lula, Bill Clinton, Bruce Springsteen

– Filmes para entender:

Foi Apenas um Sonho, Todos os Homens do Presidente, O Reencontro

Geração X (1965-1980)

Essa geração nasceu em um mundo com menos perspectivas utópicas e abalado por crises financeiras. O prolongamento da Guerra Fria sem uma solução definitiva causou um sentimento de insegurança e precaução. Por conta disso, essa geração priorizou carreiras relacionadas a finanças e administração.

– Pertencentes: Marcelo Rubens Paiva, Brad Pitt, David Beckham

– Filmes para entender: Wall Street: Poder e Cobiça, Amor sem Escalas, Antes do Amanhecer

Geração Y (A partir de 1980)

Esta geração cresceu sob o impacto de sucessivas revoluções tecnológicas, que alteraram profundamente as formas de relacionamento. Entram no mercado de trabalho em um período de mudanças no mundo corporativo e são capazes de projetar várias possibilidades de carreira. São considerados imediatistas e indisciplinados, porém criativos e com facilidade de adaptação.

– Pertencentes: Mallu Magalhães, Mark Zuckerberg, Justin Timberlake

– Filmes para entender: Juno, 500 Dias com Ela, A Rede Social

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for As marcas da Geração X

Deixe o seu comentário