Prece

Ricardo Gondim

Meu Deus,

Cheguei onde cheguei com uma mochila nas costas. Trago momentos bons; e em todos algum pranto. Somo esses momentos e descubro que estou perto de me ver expulso de uma zona de conforto. Julguei maus aqueles que despedaçaram o aquário onde eu me sentia acolhido. Mas, graças a eles, aprendo a nadar no rio selvagem – obrigado a desviar de pedras. Não posso despencar em cascatas.

Não azedei. Não guardo rancor de gente cheia de ira, que me estapeou em nome de ideias. Do fosso da solidão, passei a despir dos andrajos das pretensões grandiosas. Em minha tristeza, notei também o teu jeito delicado quando pinçaste as cicatrizes ainda abertas.

De tudo, sobrou um pedido: Ensina-me a contar os dias que ainda não existem – e que nem sei se viverei. Por enquanto, preciso de ajuda, quero tirar do alforje que carrego nas costas, coisas boas e ruins, o material de minha esperança.

Soli Deo Gloria

fonte: site do Ricardo Gondim

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Prece

Deixe o seu comentário