Com Falcão como pastor pop-star e vocalista do Natiruts como assaltante, “Um Assalto de Fé” satiriza igrejas evangélicas

Natalia Engler, no UOL

Três pilantras pés-rapados, uma igreja evangélica não exatamente idônea e um plano de assalto – é essa a receita da comédia “Um Assalto de Fé”, estreia da diretora brasiliense Cibele Amaral na direção de longas-metragens, que chega aos cinemas nesta sexta-feira (2), depois de ser exibida nos festivais de Brasília e do Rio em 2010, com o título de “O Galinha Preta”.

Com potencial para causar polêmica entre evangélicos, o filme tem Alexandre Carlo, vocalista do Natiruts, como protagonista, além da participação do cantor e humorista Falcão como um pastor pop-star.

Falcão, que já fez graça com religiões em músicas como “Onde Houver Fé, que Eu Leve a Dúvida”, conta que existe muita expectativa sobre como sua atuação como pastor. “Ainda não recebi críticas de evangélicos, porque o filme só está estreando agora, mas estou preparado. O cinema em geral é feito para criar discussão. Achei muito interessante o roteiro e a critica que o filme faz dessas igrejas mafiosas”, diz Falcão, que também compôs as músicas que seu personagem canta no filme, junto com o diretor musical Patrick de Jongh.

O roteiro de “Um Assalto de Fé” se baseia no conto “Trabalho do Galinha Preta”, do escritor e músico brasiliense Evandro Vieira, e acompanha os ex-assaltantes Galinha Preta (Alexandre Carlo) e Lapão (Lauro Montana), que estão na pior, durante o planejamento e execução de um assalto a uma igreja evangélica, proposto por outro malandro, Jerônimo (André Deca), que se infiltrou na congregação para planejar o roubo. O longa foi rodado na cidade-satélite de Brasilândia.

Alexandre conta que o convite para viver o protagonista da comédia surgiu depois de o marido da diretora Cibele Amaral ter trabalhado na produção de um DVD do Natiruts. “Frequentei a casa deles algumas vezes. Foi no jeito de me expressar, no meu estilo de ser, que ela viu que o personagem caberia”, diz.

O filme é a estreia do músico no cinema, que diz ter receado em aceitar o papel, por não ser ator e nunca ter estudado técnicas de atuação. “Mas antes da técnica vem a arte, a beleza de você soltar a sua imaginação e transmitir isso através do corpo, da voz, seja como for”, afirma Alexandre. “Foi dentro dessa ótica que me guiei para aceitar o convite. O personagem é o típico estereótipo do negro da periferia, quase uma caricatura do gueto. Fala palavrões, tem aquele jeito de bandido destemido, mora numa favela. Fazer esse papel sempre é mais fácil para qualquer negro. Apesar de contrariar isso na vida real, aceitei por se tratar de uma comédia, onde tudo vai soar como brincadeira”.

Falcão, por outro lado, já tinha feito algumas pontas em filmes de diretores cearenses, como “A Saga do Guerreiro Alumioso” (1993) e “Lua Cambará – Nas Escadarias do Palácio” (2002), ambos de Rosemberg Cariry. “Essa participação foi um pouco maior”, conta Falcão. “Foi muito legal, porque eu adoro cinema. É diferente de teatro e TV. É mais gostoso. Se eu tivesse me engajado e estivesse nos Estados Unidos, não tinha Robert de Niro que me segurasse”, brinca.

O cantor conta que tem um projeto antigo de fazer um filme, ao qual espera poder se dedicar em 2012. “Seria uma viagem por todo Brasil atrás de tudo que é brega. Uma verdadeira saga ‘bregoriana’, roteirizada e protagonizada por mim, mas dirigida por outra pessoa. Preciso encontrar um cara que seja doido, mas competente”.

Alexandre, que fez uma turnê por 13 países com o Natiruts em 2011, ainda não tem planos de voltar a trabalhar no cinema e está se preparando para gravar o acústico da banda em janeiro, no Rio, que deve ser lançado ainda no primeiro semestre de 2012.

Cena do filme Um Assalto de Fé, de Cibele Amaral

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Com Falcão como pastor pop-star e vocalista do Natiruts como assaltante, “Um Assalto de Fé” satiriza igrejas evangélicas

1 Comentário

  1. Alexandre Giles disse:

    Vai rolar no circuito nacional ??? Tem rolar, sou fã do Falcão e curto pra caramba o Natiruts. E sendo uma comédia e abordando logo este tipo de assunto… pronto !! Fechou quero o ver o quanto antes.

Deixe o seu comentário