Fernanda Brum: ‘Pirataria é pecado, é crime’

Publicado no G1

Além de responsável pelo sucesso de artistas como Aline Barros, Thalles e a banda Diante do Trono, a popularidade alcançada pela música gospel no Brasil vem ajudando os músicos também em relação à pirataria. É o que revela a cantora carioca Fernanda Brum, que participou de um chat no G1, na tarde desta segunda-feira (28), ao lado da também cantora evangélica Bruna Karla.

“Nosso público é muito fiel, que entende que pirataria é pecado, é crime. Essa nossa pregação é muito clara. O povo não quer comprar o que é ilegal”, disse Fernanda, contando que a própria plateia denunciou a venda de CDs piratas durante uma apresentação no município de Açu, no Rio Grande do Norte, há dois dias: “Falaram que era uma promoçao minha”, acrescentou.

Apesar de considerar a internet uma aliada na comunicação com os fãs, Fernanda revela que ainda não pretende em lançar suas músicas digitalmente.

“Não temos a menor pretensão de colocar música na internet, mas não acho que seja errado. Mas hoje nós ainda vendemos muito CD. Essa realidade tem que ser mantida”, justificou Fernanda, referindo-se também à pirataria digital. “Espero que esse maremoto não nos alcance.”

Fernanda e Bruna são duas das finalistas do Troféu Promessas, que premia o melhor da música gospel nacional. Os vencedores serão revelados na cerimônia de premiação da noite desta terça-feira (29). Assim como aconteceu com os finalistas, os premiados também foram escolhidos por voto popular, em eleição que já está encerrada.

“tenho saudade dos anos 70 e 80, quando os crentes eram ridicularizados por sua fé e não pela maneira capitalista selvagem com a qual conduzem suas Igrejas agora” (um dos + de 100 comentários no site)

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Fernanda Brum: ‘Pirataria é pecado, é crime’

5 Comentários

  1. Dá pra perceber como ela está muito preocupada com a pregação do evangelho se importando com a forma como suas músicas chegam até as pessoas, elas não podem simplesmente ouvir, tem que pagar pra ouvir, e tem que pagar de forma que ela receba os royalties…

    Queria saber da onde esses “artistas” leram que pirataria é crime, no máximo uma contravensão, meio que politicamente incorreto ou inadequado…

  2. Raoni Alencar disse:

    Não recordo a última vez que comprei um cd. Apesar de já ter comprado varios. A música digital poderia trazer um retorno para os artistas que se sentem ameaçados com a pirataria, vemos a loja iTunes fazendo sucesso e não é atoa. Queremos pagar pelo trabalho dos nossos músicos, e comprar alguma de suas músicas seria uma forma de apoiar o trabalho nele, já que não da mesmo pra concorrer com os tantos download gratuitos que podemos fazer de seus albuns pela net.

  3. Crime é ela cobrar cachê $$$ e dizer que tá fazendo um culto a Deus.

  4. Luiz Carlos M Corrêa disse:

    Seria interessante se o debate sobre pirataria fosse mais amplo e não reducionista. A pirataria, entre outras coisas, me parece ser uma contradição capitalista. Ajudaria muito a resolver o problema se as grandes produtoras se dispusessem a diminuir suas margens de lucro. Seria um começo para diminuir a pirataria. Mas é mais fácil acusar o outro. O outro que se arrebente se não conseguir satisfazer um desejo nele criado pelas propagandas…

Deixe o seu comentário