Redes sociais abrem nova gama de opções para bajular chefes

Lucy Kellaway, no Financial Times [via Folha.com]

Matthew é um burocrata britânico esperto e decente. Não o conheço em pessoa, mas conheço um amigo dele.

Esse amigo me enviou um post curto de Matthew no Facebook, no qual ele afirma: “Meu chefe. Um homem sensato e de princípios”, e oferece um link para uma entrevista do chefe disponível no YouTube.

Todos sabemos há muito que o Facebook é capaz de destruir carreiras; se você posta comentários negativos sobre sua empresa na internet, pode terminar demitido.

Mas agora é preciso absorver outra mensagem, mais preocupante. Postar bajulações no Facebook pode ser benéfico para quem o faz.

Antigamente, a gama de opções para bajulação era limitada. A prática ficava confinada ao escritório.

No entanto, agora que a divisão entre lar e escritó- rio ficou no passado, a arte do puxa-saquismo está exposta em público para que todos vejam.

Uma boa maneira é postar comentários favoráveis nos blogs da empresa ou no YouTube. Também há o botão de “curtir” do Facebook.

E o LinkedIn oferece a oportunidade de escrever grandes elogios aos superiores. Um advogado da City de Londres que eu conheço tem uma página de perfil repleta de comentários de subordinados para atestar que ele é um líder visionário e um sujeito excelente.

GRUPO DE APOIO

Acima de tudo, as pessoas trocam lisonjas no Twitter. De fato, essa parece ser a principal função do site: uma espécie de grande grupo de apoio instantâneo e eletrônico. Outro dia, um leitor me escreveu perguntando sobre a nova política dos escritórios na era da internet.

O que ele deveria fazer quanto às dezenas de colegas de posição hierárquica inferior que o convidam a se integrar às suas redes no LinkedIn? Aceitar convites de pessoas relativamente desconhecidas poderia prejudicá-lo?

Procurei o conselho de uma conhecida que leva uma vida de intensa conectividade on-line. Ela disse que não há problema em ter conexões com pessoas de escalão inferior desde que você mencione em seu perfil que é um grande mentor e orientador, o que explica a presença de tanta gente sem muito prestígio em sua rede.

No passado, bajular tinha um inconveniente: isso enojava os demais colegas.

A diferença com a bajulação na internet é que seus colegas provavelmente estão fazendo a mesma coisa e, por isso, por mais que você bajule alguém, não se incomodarão.

tradução: Paulo Migliacci

ilustração: Cento e vinte

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Redes sociais abrem nova gama de opções para bajular chefes

Deixe o seu comentário