Pastor faz abaixo-assinado contra Jô Soares por sugerir que Bíblia serve para fumar maconha

Publicado originalmente no Estadão

Um abaixo-assinado na internet, com 13 mil assinaturas, pede que Jô Soares se desculpe por ter feito piada com a Bíblia no programa de 17 de novembro.

Na ocasião, foi exibido um documentário no qual um entrevistado disse que o grupo Novos Baianos utilizava as páginas da Bíblia para fazer cigarros de maconha. Jô comentou que a Bíblia tem “mil e uma utilidades”.

O pastor Renê de Araújo Terra Nova, do Ministério Internacional da Restauração, é o autor do abaixo-assinado. “Repudiamos as declarações apresentadas no Programa do Jô, veiculado no dia 17 de Novembro de 2011, sobre o fato de fumar maconha com as páginas da Bíblia”, diz o documento.

A Folha procurou a Globo: “Evidentemente, não foi um comentário ofensivo, mas é assustadora toda iniciativa contra a liberdade de expressão”, disse a assessoria da emissora.


x
dica do Walter Mendes Dos Santos

como sempre, a área de comentários mostra o qto está incinerado o filme dos evangélicos por conta de episódios como esse. afinal, a ignorância entorpece + que qq droga.

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Pastor faz abaixo-assinado contra Jô Soares por sugerir que Bíblia serve para fumar maconha

7 Comentários

  1. wilba disse:

    Às vezes a pessoa faz comentários apenas para fazer graça sem levar em consideração as conseqüências do que diz, mesmo sendo Jô.

  2. Chicco Sal disse:

    Sérgio,

    Este post remeteu minha mente à duas situações que vivenciei: a primeira, foi de um jovem ministrando uma aula de EBD numa Igreja Batista que perguntou – ‘Quais são as quatro pessoas da Trindade?’ – uma pergunta intrigante, não? A resposta: Deus Pai, Deus Filho, Deus Espírito Santo e a Bíblia! A grande maioria dos cristãos evangélicos, mormente os da linha tradicional protestante, entronizam a Bíblia como se ela fosse parte da divindade, é fato. Tremenda sacada esta deste jovem. 

    A segunda situação foi a de um pastor amigo, o Alair Guerra que foi missionário da Igreja Quadrangular na Amazônia. Ele residia na ilha de Marajó e teve de descolar-se, certa feita, por mais de 36 horas de barco para pregar nuns vilarejozinhos ribeirinhos. Num destes vilarejos, culto da noite, luz de lamparina, ao findar o culto uma senhora atravessou o pequenino salão de madeira na direção dele e fez um pedido no mínimo inusitado: ‘Pastor, me dá uma folha?’ Ele não entendeu o que ela queria e ela explicou: ‘Pastor, nós não temos bíblias, o senhor poderia me dar uma folha da sua?’

    Ele arrancou prontamente uma folha do livro de Salmos e deu para essa mulher ao que, vendo, todos os outros se perfilaram em fila para também pedir uma folha.Ele rasgou sua Bíblia inteira naquela noite. Ele costumava contar esta estória chorando pra gente…

    Hoje, ficamos ‘horripilados’ com firulinhas como esta ocorrida no programa do Jô. 

    Deveríamos nos preocupar sim é com aqueles que têm fome e sede da palavra, como diz a profecia de Amós, e procurar meios de colaborar para que a Bíblia seja distribuida, mesmo que seja para ser rasgada.

  3. Gabriel Nagib disse:

    eu discordo do jô, acho que nem pra isso a biblia serve.

  4. Meganne disse:

    Esse tal de pastor sei la quem deveria estar bem mais preocupado com quem de fato esta usando as paginas da biblia pra fumas um baseado,pq ele nao faz um abaixo assinado pra conseguir  ajuda pra essa gente?e deixa o jo soares falar a vontade?este pais precisa é de atitudes,e nao de preocupa;coes exudrulas…

  5. Crau disse:

    nossa hein , abaixo assinado , na internet com 13 mil pessoas é mesma coisa que nada

  6. eaml1404 disse:

    viva a liberdade de expressão, não gostou desliga a televisão!

  7. Stella Maris disse:

    lamentavel que um homem inteligente como o Jo, use este comentario com respeito a Biblia. ele tem um problema familiar serio ,que deveria ajoelhar-se e ler a biblia para encontar resposta para determinadas situacoes que tem que enfrentar.Stella Brunetto

Deixe o seu comentário