A festa é sua: Hoje é um novo dia de um novo tempo que começou para a Globo e os evangélicos

Evangélicos entram no radar da Globo

Anna Virginia Balloussier, Daniel Rocaglia e Morris Kachani, na Folha de S.Paulo

Hoje é um novo dia de um novo tempo que começou para a Globo e os evangélicos.

A emissora, tradicionalmente ligada à Igreja Católica, dedica 75 minutos de programação ao segmento. Vão ao ar às 13h trechos do festival Promessas, produzido pela Globo com os principais nomes da música gospel.

O público era de 20 mil pessoas -um décimo do esperado. Ainda assim, o canal faz do evento cartão de visitas para uma fatia de audiência em ascensão: estima-se que mais de 20% da população brasileira seja evangélica.

O festival teve tratamento VIP na Globo e consumiu R$ 2,9 milhões da Prefeitura do Rio.

Isso num momento em que a rede registra fuga de espectadores. A média/dia de audiência (7h à meia-noite) está em 16 pontos (cada ponto equivale a 58 mil domicílios na Grande SP), 10% abaixo da meta anunciada para 2011.

Em 2010, o pastor Silas Malafaia -ligado à Assembleia de Deus e ex-detrator do que julgava ser a “emissora oficial da Igreja”- reuniu-se com João Roberto Marinho, vice-presidente das Organizações Globo, e sugeriu o festival.

A Globo confirma o encontro e diz que “coincidiu com intenção antiga de se aproximar mais do segmento gospel”. Circulam nesse mercado R$ 2 bilhões anuais.

Diretor do núcleo responsável pelo Promessas, Luiz Gleiser diz “reviver a epifania” dos anos 90, quando detectou a existência de audiência ávida pelo sertanejo, gênero que viria a explodir.

A estratégia de aproximação começou há dois anos, após o “Jornal Nacional” fazer uma série de reportagens sobre trabalho social de igrejas. Desde então, a rede tem dado destaque em seu noticiário a eventos da comunidade evangélica. A presença de músicos gospel nos programas de Xuxa e Faustão cresceu, e há planos para um programa aos sábados.

O problema é que parte do público-alvo ainda é cética quanto às intenções globais.

Para Malafaia, o baixo quórum no Promessas é parcialmente explicado por “evangélicos desconfiados” após anos “apanhando” da rede.

A relação entre emissora e igrejas, de fato, já viu dias piores. Como em 95, quando Edson Celulari viveu um pastor pilantra na série “Decadência”. Hoje, a Globo é acusada de querer entrar num jogo cujas regras desconhece.

Para o próprio Malafaia, a rede “tem doutorado em tecnologia, mas em mundo evangélico é analfabeta”.

Reportagens da Globonews sobre o festival, por exemplo, usaram termos como “fãs” e “ídolos” -o que ofendeu alguns fiéis, pois sua crença rejeita a idolatria.

BRIGA DE PASTORES

A mudança da Globo acontece enquanto os principais líderes neopentecostais -Edir Macedo, da Igreja Universal, Valdemiro Santiago, da Mundial do Poder de Deus, R.R. Soares, da Internacional da Graça de Deus, e Malafaia – deflagram briga pública.

“A aproximação da Globo se dá principalmente com os adversários de Edir Macedo”, diz o pesquisador Ricardo Mariano, da PUC-RS.

O maior ataque veio em novembro, quando o “Domingo Espetacular”, da Record, controlada por Macedo, exibiu vídeo crítico à prática de “cair no espírito” -em que o fiel sofre uma espécie de “desmaio”. Em setembro, Macedo já havia criticado os que fazem a cerimônia, como Ana Paula Valadão, da banda Diante do Trono, um dos nomes do Promessas. Na mesma declaração, criticou “99% dos cantores gospel”.

Em nota, a Universal afirmou considerar excelente a aproximação de outros canais com os evangélicos.

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for A festa é sua: Hoje é um novo dia de um novo tempo que começou para a Globo e os evangélicos

7 Comentários

  1. Gito disse:

    “Circulam nesse mercado R$ 2 bilhões anuais.“ Uma frase resume tudo. E o Mala, brigando feio com o Edir dono da record, tinha que unir as forças com o poder concorrente!

  2. O que há por trás dos Shows gospel
    2011-12-19 18:30Por Paulo Filoteus  A emissora que dantes o pastor Silas Malafaia, líder da igreja Assembléia de Deus – Vitória em Cristo e apresentador do programa Verdade em Cristo, criticava agora, passou ser um canal de benção para os evangélicos. Assim postou o Malafaia no Twitter: “Enquanto a Rede Record fala mal dos cantores e da igreja, a Globo abre espaço para o louvor e adoração a Deus. A Record não acreditou nos evangélicos, a Globo acreditou e arrebentou na audiência!!!”. A menção é referente ao Festival Promessas, exibido pela TV Globo, domingo, dia 18, elevando quase ao dobro da sua audiência, liderando o Ibope. O show foi gravado pela globo no dia 10, no Aterro do Flamengo, e o pastor Silas comentou a inovação na Globo: “Início de um novo tempo na divulgação do Evangelho de Cristo”. E com relação a Record, do bispo Macedo, disse: “É assim que Deus faz. Quando os que deveriam abrir as portas fecham, Deus usa os ímpios para glorificá-lo”.O fato é que a algum tempo atrás Silas Malafaia parecia inimigo número um da rede globo. Quantas denúncias ele fez questão de expor no seu programa. Quantas e quantas vezes ouvimos o Silas Malafaia desafiar a globo. Ele os chamavam de “toca de Satanás”, “lobos” macumbeiros etc. Como hoje o Silas enaltece a globo? Mas, é claro! Quem está acostumado com o movimento desses líderes, vai ouvir da parte dele que a razão maior é pregar a palavra. Sempre usam da justificativa do “fazer a obra de Deus”, dizer ser mais importante que questões mal resolvidas.Até acho perfeitamente normal que os homens possa mudar sua opinião quando quiser e, até mesmo, defender o que antes criticava mas, quando estas mudanças afetam diretamente o povo leigo, é preciso se explicar. Não devemos defender o radicalismo nem o dogmatismo, mas é bom que o povo evangélico entenda que existem política e politicagem por trás daquilo que chama de “obra de Deus”.Existem coisas mais em jogo que um desejo pela obra de Deus. Todos sabem da briga da globo com a Record. A globo não sendo burra, lógico, usou da mesma arma contra o Edi Macedo: os evangélicos. Tendo ainda Malafaia, importante líder evangélico, a seu favor. Mas, é claro que a Record esperava por essa estratégia. Eles não são tão ingênuo assim. Mas, o ego de Macedo é sempre maior, como também, é o ego de muitos líderes evangélicos, pentecostais e tradicionais que não se dobra a um trabalho dessa magnitude. O fundamentalismo e dogmatismo, fala mais alto.Agora, como dizia, existem mais coisas em jogo por trás destes shows gospel.Quando falo de Shows gospel, não estou me referindo apenas a este exibido pela globo. O povo humilde não sabe mas, por trás desses grandes eventos, como os realizados no Camburiu, envolve todo um equipe de marketing e profissionais gospel. Eles selecionam quem vai cantar, quem vai pregar, quem arrecada mais contribuições, quem vai vender o que, quem vai divulgar o que… Geralmente quem dar mais Ibope arrecada mais e, assim vai. O povão, com sua fé simples e humilde é levado por uma lavagem psicológica de hipnotismo, tomados por uma euforia histérica que profissionais que só representam para aquilo pelo qual foram contratados.O Cristo não precisa ser defendido. O povo ignorante que sim. Não duvidamos que por conta desse mal exemplo de cristianismo, tenha contribuído para o descrédito de muitos fieis, daqueles que não se deixam levar pelas aparências e, até mesmo, para um ateísmo.Não queremos dar nomes aos bois, nem precisa. Olhe onde estão seus maiores investimentos que dizem ser a obra de Deus. O que eles fazem para “enaltecer a Deus”? Criam empresas e patrimônios: Templos luxuosos; empresas (radio, TV, livrarias) e quando um fiel da igreja passa fome, a culpa é dele por não ter fé. Não se deixe levar pelas emulações desses líderes, pois o Cristo condenou todas essas coisas, entre os sacerdotes. Assim, um fiel deve aprender a se virar sozinha e procurar comida mas, a igreja, a “obra de Deus”, dizem, não pode ficar em carência. Suas pregações focam mais os bolsos que suas almas, e você não percebe.Quando se vai a um show gospel, se pode ver dois lados. Um, daqueles carentes que estão lá para orar, pedir e chorar (até alguns cantores, simples) mas, do outro lado, nos bastidores, aqueles que estão apenas contando o lucro final. Olha, o que relatamos não é apenas testemunho e relatos mas, fatos.
    Leia mais: http://salnaterra.webnode.com

Deixe o seu comentário