Damares: ‘Deus tocou o coração da Globo’

A cantora Damares saudou o público antes dos shows com o gesto do coração

Marco Aurélio Canônico, na Folha de S.Paulo

“Este é um evento histórico”, dizia o animador de palco, tentando inspirar o pequeno público que aguardava o início do festival Promessas, no sábado passado. “Você vai poder dizer que esteve no primeiro evento evangélico que a Globo organizou!”

No palco como na plateia, a visão de que se tratava de um “evento histórico” estava disseminada entre os fiéis -boa parte vinda de municípios da Baixada Fluminense e de subúrbios distantes do Aterro do Flamengo (onde o festival aconteceu).

O baixo quórum não preocupava: todos apostavam na capacidade da emissora líder de disseminar “a palavra de Deus” para uma audiência abrangente.

“É a concretização de um clamor de muitos anos. Vai marcar a história”, disse a pastora e cantora Ludmila Ferber. “É maravilhoso que a Globo tenha abraçado a causa e entendido quão poderosa é a mensagem de Deus.”

Fé à parte, o aspecto comercial da empreitada -para a qual a Globo montou uma grande estrutura de divulgação e de transmissão (14 câmeras de alta definição, gruas, helicóptero)- não escapou aos religiosos.

“A Globo era a única emissora que não abria para os evangélicos. Notou que estava ficando para trás”, disse Erisvaldo Oliveira, 26, fiel da primeira Igreja Batista da Ponte Preta, de Magé (RJ).

“Ela sabe que vai passar a ter muito mais audiência.”

A disputa pelos telespectadores (e pelos ouvintes, já que parte dos artistas tem discos lançados pela Som Livre, gravadora ligada à Globo) era, no entanto, relativizada pelos participantes.

“Eu sei que, a princípio, todo mundo pensa em grana, em ‘business’. É claro que isso existe, nós somos de carne e osso, mas acima disso tudo está o propósito de Deus para esta nação”, disse o cantor Fernandinho, um dos mais aguardados do festival.

Os evangélicos também celebravam o evento como um ponto de inflexão no tratamento dispensado a eles pela emissora carioca.

“A Bíblia diz que todo joelho se dobrará e toda língua confessará que Deus é o Senhor”, afirmou a enfermeira Janaína Silva, 28, citando um trecho da Carta aos Romanos.

“A Globo fez isso agora porque Deus tocou o coração deles. Era o momento certo, Deus não chega atrasado”, disse a cantora Damares.

foto: G1

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Damares: ‘Deus tocou o coração da Globo’

11 Comentários

  1. Ô povinho trouxa.. não sei se com o fruto do doutrinamento maniqueísta ou por conveniência mesmo… só não vê quem não quer que isso é um ataque da Globo no meio evangélico buscando apoio contra uma IURD em franco processo de esvaziamento, enfraquecendo uma suposta “unidade” desse meio que sequer existe por conta de um espírito beligerante e proselitista que nele predomina… mais uma vez um, lance no tabuleiro do poder midiático de manipulação de massas.

    • “– Esta é uma mensagem gerada automaticamente pela caixa postal de pavarini@uol.com.br. Não há necessidade de respondê-la”

      “A Criança Nova que habita onde vivoDá-me uma mão a mimE a outra a tudo que existir.”[Alberto Caeiro, em “O guardador de rebanhos”]Estou em viagem e retorno no dia 3 de janeiro. Feliz Natal e 1 novo ano repleto de sonhos realizados.big abraço

    • Marcodelima2008 disse:

      Meu caro Eliezer, que comentário sem o menor fundamento!!Que argumentos fúteis ! Quanta abobrinha! Vc pensa que pensa. Acha que sabe mas não sabe nada!

      • O Corneteiro disse:

        Para: Marcodelima
        Marco, como você é ingênuo!
        Com certeza a Globo tem tais estratégias como disse o nosso mano aí acima e “outras cositas mais” como arrebanhar o quanto puder de pseudo-artistas evangélicos (o olhos destes cresceram) para lucro da Som Livre tardiamente, como nicho de mercado como já fazem alguns grupos, preste atenção nos texto deste blog q você lê. E por outro lado a IURD esta apelando para certos tipos de expediente para não perder a freguesia que está sendo cada vez mais dividida por outros grupos similares e para compensar tem que brigar com a globo sua arquinimiga… tudo é questão de mercado mesmo e de conveniência de gueto comercial religioso e infelizmente a maior parte dos “evangélicos” é vaquinha de presépio (alienados) e gostam deste tipo de coisa sem perceber ou ter o senso crítico do que há por trás de tudo isso, acham que a empresa esta fazendo isso por boa vontade e se rendeu… Grande engano, tudo é questão de business, estratégia de mercado. Pobre dos que caem neste laço… e infelizmente a música evangélica atual, apesar de melhorado tecnicamente, é pobre de identidade e autenticidade e em outros aspectos em sua maioria… Dado o recado.

      • Caro Marcodelima:

        Receba meu silêncio ao seu surto “caiofabiano” às avessas como sinal de respeito pela sua ingenuidade.

        Paz e bem.

  2. Jorge Luiz disse:

    Não consigo perceber nesse festival a “mão de Deus”. A Globo não é uma pessoa, mas uma organização, e portanto, não tem “coração” para ser tocado. Tudo se resume a comercio. Os cantores gospel são os que mais vendem cd’s originais, sendo assim este festival uma busca da gravadora em se firmar junto ao público evangélico. No passado a Globo caricaturou os evangélicos, e agora que perceberam que este público é uma boa fonte de dinheiro, estão querendo conquistá-los com esse tipo de festival sem sentido. Nada do que aconteceu engrandeceu a Deus, foi só comercio, e se Jesus ali estive, teria virado a banca desses comerciantes.

  3. Azrael disse:

    Pava, saudações!
    Durante um bom tempo busquei algo inteligente na net e é coisa rara, principalmente “gospel’, encontrei seu blog e muito embora esteja cansado dos anúncios de veja,  época … meios de comunicação no qual ninguém de bom senso confia, sempre venho aqui ler algo. Mas ultimamente isto tem sido sofrível, quando li este texto tive vontade de chorar e muito.
    Mas isto é só o epílogo, porque mesmo o seu comentário que “não perderia isto por nada” já foi lastimável. As pessoas queriam um álibi para justificar horas diante das referidas novelas e o acharam, não é ingenuidade mas maldade simplista. Enquanto o Cristo quebrava os ícones de sua época e o evangelho faz isto onde entra, nós ficamos felizes com tal tragédia, mas não é coisa de evangélico é coisa de um povo com a “síndrome de vira-lata”. Cujo poder o Evangelho tem para mudar, mas isto requer separação e fé. Parece até que Deus precisa disto, e o pior é que eles pensam que estes são nosso líderes.

    • O Corneteiro disse:

      Muito bem colocado Asrael!
       Vai juntar a fome com a vontade de comer… Novela c/ música pseudo evangélica…ARGH qui nojo!
      Eu me lembrei daquele costume da Bléia de proibir de ver televisão (rádio também) uma certa época e agora as próprias tem concessões de TV (e rádio também)… uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa…
      De uma maneira mais geral com a Globo é semelhante este tipo de reação, agora que toca a pseudo música (até estrategicamente na porcaria do Faustão e no Caldeirão, que sacada para enganar os bobinhos) ficam de bem e dizem que é para evangelizar… PUTZ! Que misturada porca! Me engana que eu gosto!!! Perderam a noção! Para o bonde que eu quero descer!!!

  4. Charles A. Müller disse:

    Sim, a Globo se move por um só motivo: mercado. É uma empresa, portando precisa de lucro. E como empresa de mídia precisa de audiência. Isso todo mundo sabe.
    Mas os críticos pseudo-apolegetas de plantão já pararam para pensar no porquê do mercado ter pressionado a Globo? Não faz muito tempo o povo evangélico era um minoria perseguida, muito preconceito, humilhação até. A Globo então, era uma máquina anti-cristã raivosa. Suas novelas e séries sempre foram propaganda de tudo que é contrário aos valores bíblicos. O tempo foi passando e a palavra de Deus foi chegando, mesmo contra a maré da grande mídia, a uma grande e expressiva parte da população brasileira e a Igreja cresceu. A Globo está apenas se rendendo a isto: números, do IBGE, do IBOPE, da verbas publicitárias, das vendas de discos. Convenhamos, 20 mil pessoas não é um pequeno público. E o aumento de audiência de 7 para 13 pontos (no horário de início da tarde de domingo) não é pouco.
    A Globo está usando evangélicos para obter audiência entre os evangélicos. E os evangélicos estão usando a Globo e seu alcance midiático para evangelizar a população secular. Repararam nas letras das músicas? Os temas foram reconcilação, cura, restituição, conversão, e principalmente a glorificação do nome de Jesus. Quebrou-se o preconceito de que evangélico é careta (notei que foram escolhidas músicas de louvor bem animadas, celebração). Imagino quantas pessoas sofridas ligaram a TV naquela hora, e ouviram mensagens de paz. Fiquei imaginando as pessoas desviadas da Igreja assistindo àquela programação, muita gente foi tocada. E na declaração da Ana Paula, para o “helicoptero gravar e todo o Brasil ouvir”, o texto bíblico de João 3:16. A mão de Deus neste caso é a mesma do caso do “gado malhado” de Jacó. Deus, nas linhas tortas do mercado e da mídia, está escrevendo certo para uma nação cristã no papel, mas longe do verdadeiro Evangelho. A  Palavra não volta vazia meus caros, sementes foram plantadas.

Deixe o seu comentário