Aprovado projeto que reconhece música ‘gospel’ como manifestação cultural

http://s2.sscdn.co/uploadfile/letras/fotos/9/a/6/0/9a606191c9457113d7069cbbd33bdc77.jpg

Paulo Cezar Barreto, no site Agência Senado

Em votação simbólica nesta terça-feira (20), o Plenário do Senado aprovou o Projeto de Lei da Câmara (PLC) 27/2009, que altera a Lei Rouanet (Lei 8.313/1991) para reconhecer como manifestação cultural a música gospel e os eventos relacionados ao estilo.

O termo gospel, uma contração dos termos ingleses “God spell”, ou “fala de Deus”, denomina o estilo musical de composições feitas para expressar a fé cristã. Pela proposição aprovada, do ex-deputado Robson Rodovalho, a música gospel passa a ser reconhecida como parte da cultura contemporânea brasileira, o que permite que pessoas e entidades que lidam com esse estilo possam receber apoio financeiro de empresas por meio de mecanismos de incentivo.

Na justificação do projeto, o autor do projeto destacou que a música gospel, oriunda da tradição norte-americana, tem se disseminado no Brasil, em eventos de grande porte que contam com a participação de parcela significativa de jovens.

No Senado, o projeto recebeu parecer favorável nas comissões de Assuntos Econômicos (CAE) e de Educação, Cultura e Esporte (CE). A proposta, sem emendas, foi votada em regime de urgência atendendo a requerimento da senadora Ana Amélia (PP-RS), subscrito por outros senadores.

foto: Cifra Club

dica do Tércio Ribas Torres

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Aprovado projeto que reconhece música ‘gospel’ como manifestação cultural

1 Comentário

  1. O Corneteiro disse:

    Caracolas,
    Este senhor Rodovalho (empresario) é um oportunista espertalhão que faz parte dos que lucram com tudo que se diz “evangélico”. Infelizmente a mentalidade da maioria dos que se dizem evangélico não param para questionar o porque disto tudo e de muitas coisas que tem sido feitas e não tem nada haver com Reino (porque não pertence a este mundo). Na minha opinião estes tipo coisa feita por lei é um equívoco, é como sacramentar que tem que existir um dia em homenagem ao evangélico… ridículo tudo isso! Só esvazia mais o sentido do ser evangélico de verdade.
    “Evangélicos” já estão semelhantes a igreja Católica com as devidas proporções.
    Só faltam pedir verbas ao estado para fazer as suas igrejas, suas campanhas, seus palanques de evangelização… é uma pena que não paguem impostos!

Deixe o seu comentário