Silas Malafaia diz que Jean Wyllys é “mentiroso de marca maior”

O pastor reagiu à proposta de Jean Wyllys de punir igrejas que pregarem cura de gays . Foto: Agência Câmara

Publicado originalmente no Terra

O pastor Silas Malafaia afirmou nesta segunda-feira (26) que a homossexualidade é uma questão comportamental e não pode ser comparada ao racismo. A declaração foi dada pelo Twitter para comentar uma entrevista do deputado federal Jean Wyllys (Psol-RJ), a quem o pastor chamou de “mentiroso de marca maior”.

Em entrevista para o site do jornal Folha de S. Paulo, divulgada nesta segunda, o deputado federal disse que as igrejas que prometem cura de homossexuais deveriam ser punidas. O pastor negou a prática. “Os pastores pregam a libertação de qualquer tipo de pecado. São os próprios homossexuais que pedem ajuda para serem libertos”, afirmou no microblog.

Malafaia disse que Wyllys “finge” não saber “que ninguém nasce homossexual”. “É uma questão comportamental, portanto não se pode comparar a racismo. Vamos ter que fazer leis para todos os comportamentos do ser humano. Crime de injuria já está previsto em lei, seja para homossexuais, seja para heterossexuais”, escreveu Malafaia.

O deputado federal reagiu aos ataques no Twitter e disse que sua bíblia são as “cláusulas pétreas da Constituição Cidadã”. Sem citar o nome do pastor, Wyllys afirmou que é a Constituição que “garante a pluralidade dos homens e mulheres e a lacaidade do Estado, fundamental para a diversidade religiosa”.

O pastor chegou a dizer que os homossexuais são o “grupo social mais intolerante da pós-modernidade”. “Como tenho dito, eles querem calar e criminalizar a opinião. É só ler o famigerado PLC 122 que ele defende, para confirmar todas minhas palavras”.

O projeto de Lei que criminaliza a homofobia foi alvo de críticas de Wyllys durante a entrevista. Segundo o deputado, o texto com as mudanças feitas pela senadora Marta Suplicy está “defasado”. “O próprio texto cria um novo tipo penal e reduz a homofobia a uma mera questão de agressão e assassinatos, né. Como se a homofobia se expressasse apenas e tão só nessa forma letal”, afirmou.

Malafaia sugeriu que, em uma consulta pública, os brasileiros rejeitariam a união afetiva entre homossexuais. “O medo de Jean Wyllys: Uma consulta popular nas próximas eleições para o povo decidir se apoia ou não a união homoafetiva. Ele já sabe qual ė o pensamento da sociedade Brasileira: NÃO!”.

Repercussão
Após a divulgação da entrevista, o nome do deputado federal Jean Wyllys foi parar nos Trending Topics do Twitter. Mensagens contrárias e a favor varreram o microblog e até o novelista Aguinaldo Silva comentou a entrevista.

“Concordo com Jean Wyllis: instituições que dizem curar gays devem ser processadas por estelionato. Eu, por exemplo, conheço vários gays que disseram estar ‘curados’. O problema é que todos eles tiverem recaídas. Também conheci vários heteros que disseram: ‘dessa água não beberei!’. Mas beberam”, afirmou no Twitter.

interessante o malafaia ser pautado pela entrevista do jean wyllys e requentar assuntos que já são passado. o conselho federal de psicologia já se manifestou s/ os profissionais que propagam a cura dos gays, bem como o supremo tribunal federal já aprovou a união homoafetiva. após essas definições, resta apenas beicinho e impropérios.

se a vox populi é soberana (quem condenou cristo mesmo?), entre outros itens, que tal o povo referendar a isenção de impostos concedidos às igrejas?

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Silas Malafaia diz que Jean Wyllys é “mentiroso de marca maior”

12 Comentários

  1. Marcos Ursi disse:

    apesar de não simpatizar em nada com a figura de Malafaia e gostar muito deste portal, discordo inteiramente do comentário grafado em verde. Está é uma questão séria e precisa sim ser debatida, requentada e relembrada nos meios cristãos. O mov. LGBT (acho que é isso) quer impor à sociedade um legislação que não representa os anseios desta e não está unicamente defendo direitos individuais como proclama, uma vez que a legislação estatal é indutora de padrões morais. A presente legislação é claramente parte de uma imposição moral dos grupos culturalmente dominantes, defensores da causa gay, o tema portanto não é de foro íntimo ou religioso, mas uma questão de cidadania. E os grupos sociais que se sentem lesados devem se manifestar e fazer barulho. O mais grave não é a concessão de direitos, mas o precedente aberto e a intromissão do estado em esferas privadas. Como se pode admitir que alguém que no uso de sua livre consciência seja proibido de buscar ajuda para se livrar de hábito que considere ruim? Se eu fosse comunista e não mais desejasse ser, deveria ser proibido de buscar apoio em ideólogos neoliberais? O conselho de psicologia pode ingerir sobre a conduta de seus profissionais, mas não sobre as Igrejas. As Igrejas precisam lutar pelo direito de manifestação pública de seu credo. O Dep. Willys defende habilmente seus eleitores, mas deve sofrer o contraditório constante. Seus argumentos são ideologicamente estruturados para a conquista dos interesses de seu grupo e outras forças políticas devem apresentar suas contradições e fragilidades. Outro ponto grave é a ditadura do politicamente correto que faz os argumentos de Willys sempre incriticáveis, o preço dessa ditadura, como de todas, é a liberdade.

    • JBJ disse:

      “Como se pode admitir que alguém que no uso de sua livre consciência seja proibido de buscar ajuda para se livrar de hábito que considere ruim?”
      Não se trata de um “hábito” ou vício. É a sexualidade da pessoa. E como tal, não pode ser julgada como certa ou errada, boa ou ruim. Se alguém acha ruim ser homossexual, ela deve primeiro se perguntar o porquê sente isso, não tentar deixar de ser o que é. 

      E se o homossexual em questão quer tentar levar uma vida hetero, não vi em nenhum momento alguém tentando impedir. O que está sendo questionado é alguém tentar vender a idéia de que isso é possível, de que a homossexualidade é só um desvio que pode ser corrigido, quando a verdade passa bem longe disso. Quem vende esse idéia está enganando e uma mentira como essa pode e fará um grande mal ao homossexual que acreditar nela.

  2. Eltonvinagre disse:

    O homem fez Deus à sua imagem: sexista intolerante e violento!

  3. deixa um povo hipocrita , ignorante e em muitos aspectos preguiçoso e ”burro” votar sobre essa lei. Um povo que não sabe nem em quem estão vontando para gorvernar o seu país, um povo que só vota em gente corrupta, um povo que acredita em um ser como esse Silas Malacheia. Não sou homosexual , e não tenho absolutamente nada contra quem é, cada um faz o que quer, isso que se chama liberdade, a unica coisa que vai acontecer se casamento homosexual for legalizado por exemplo, é que gays vão se casar , IDAI? Porque o povo brasileiro está tao afim de discutir sobre a vida sexual de outras pessoas, e nao ficam mais preucupadas em discutir a própria. Eu nao cuido da vida sexual de ninguem , só a minha e da  minha mulher e é isso que importa, se o sujeito quer dar o cu pra outro homem , PROBLEMA É DELE, nem eu e nem ninguem tem nada a ver com isso. Porra , o governo brasileiro age como se fossemos criancinhas , que precisam sempre de alguem pra ditar ordens e fazer as coisas pra nós, como por exemplo aquela lei que proibe garupa de moto, já nao bastar ter que pagar caro pra ter uma moto , eles ainda querem escolher como agente deve usar? lógico que tem q haver leis , mas nao ridiculas como essas leis que eu tenho visto ultimamente. Brasil só ta indo de mal pra pior.

  4. Valmir soares de lima disse:

    bem marcos…pelo tom q vc diz “essa história de interesses do seu público” ja deu pra ver que vc procura a manutenção do status quo e q acha q o universo n é regido por forças e por isso está em constante mudança…engraçado pq os primeiros apóstolos de jesus eram a minoria e buscavam lutar pelos seus interesses tb…

  5. Lbernardo_1985 disse:

    nessa questão o Malacheia tem razão.

  6. Lucas Andrade disse:

    Ele nunca irá entender, pois só entende é quem sente na pele. Um exemplo que MARVEL deixou está em uma de suas obras “X-men”… Mesmo eles tendo nascido com super poderes, as pessoas ainda os culpavam pelo fato de serem mutantes, algo que eles não tem culpa, pois nasceram assim. Uma frase que um dos personagens falou e sempre me lembrarei disso foi: 
    “A raça humana sempre temeu o que não entende, e o que os humanos temem eles maltratam” . É uma pena que as coisas tenham que ser assim. Por que não vivermos em paz? Cada um cuidando de sua vida amigavelmente, colocarmos de lado as ideologias e o humanismo em primeiro lugar. =/

  7. Jose disse:

    ahhh … sr. novelista Aguinaldo : entao o problema eh COMPORTAMENTAL !

  8. Juliocdejesus disse:

    A facilidade com que pastores, padres e congêneres descem das nuvens para discutir assuntos terrenos é admirável. Eles devem ter asas.

  9. Vou fazer um comentário por itens, porque fica mais fácil.
    01) Homossexualidade não é uma questão comportamental. Qualquer pessoa que estuda ou estudou o assunto a luz da ciência sabe disso. A homossexualidade não é essencialista/biologizante. As sexualidades não tem origem definida. Elas são detalhes que podem ser desencadeados culturalmente – convivência na sociedade – e podem ter um gatilho genético. O que se pode afirmar é que homossexualidade não é uma opção, escolha e não é reversível. 
    02)Sim, homofobia pode ser comparada a racismo.
    03) As terapias de reconversão de gênero e/ou orientação causam imenso estrago na resposta psicológica de quem é levada a elas, ou a escolher por elas. Tanto que foram proibidas. O movimento Exodus de igrejas autodenominadas cristãs é um que se utiliza de fiéis formados em suas trincheiras para usar de técnicas de reconversão.
    04) Sim, O Estado deve ser laico.
    05) Intolerante é quem se utiliza de um movimento para promover desinformação e estar sob os próprios holofotes. Se formos feitos a imagem e semelhança de deus, esse deus é multiplicidade, diversidade, multifacetado, que não persegue, não violenta, não é misógino sendo masculino, não é homofóbico sendo heterossexual, não é só homem, mas várias possibilidades.06) O PL está defasado conforme diz Jean Willys.07) Não é preciso de consulta popular para saber se o povo quer união homoafetiva. Fato é que um grande percentual de pessoas LGBT querem a união homoafetiva. Isso não é um pedido qualquer. É pedido de justiça, de igualdade, de isonomia. Quem é contra qualquer tipo de afetividade, independentemente de sexualidade, está se posicionando contra si, contra os seus. É aí que entra o racismo. Se aos negros e negras, índios, e outras raças e etnias fossem dados os mesmos direitos e deveres há muito, justiça teria sido feita.Sequer o sistema de cotas seria implantado. Demorou. Por isso pessoas LGBT tem “deveres iguais” e “direitos diferentes”, por causa de uma forma de racismo – chamado de homofobia. O preconceito de raça se baseia essencialmente na cor da pele. O preconceito Sexual se baseia na orientação sexual diferente da heteronormativa (como regra), da heterocentrica (como se a heterossexualidade fosse o centro, a normalidade e a naturalidade, o que não é verdade).08) Consulta pública no país mais católico e quase evangélico do mundo é redundancia, porque está baseado em escritos nunca feitos por entidades ou pessoas as quais, na Bíblia, é lhes dada a autoria.09) Pessoas que querem curar gays tem traços muito semelhantes a algumas daquelas pessoas que querem transformar afro-descendentes em brancos, são as mesmas que retransmitem e reafirmam a supremacia ariana, são as mesmas que minorizam as mulheres, são as mesmas que, comparativamente, não veem problema na pedofilia.
    10) A pergunta que não quer calar, no fundo mesmo é: no que o afeto de uma pessoa de determinado sexo e que ama alguém do mesmo sexo pode trazer problemas para religiosos/as que se autodenominam heterossexuais? Porque casais homoafetivos não podem adotar pessoas abandonadas por heterossexuais? Se assim fosse, porque as igrejas, em peso não adotam as crianças abandonadas? Porque essas igrejas não pagam impostos? Porque religiosos pedófilos são transferidos e raramente são levados a justiça?

  10. Edson Grotkowsky disse:

    Corretíssima e muito oportuna a intervenção do Pr. Silas Malafaia – incansável defensor dos preceitos fundamentalistas do cristianismo –  ao se contrapor à leviana e inconsequente afirmação proferida por este deputado federal oportunista Jean Wyllys, em entrevista concedida para o site do jornal Folha de S. Paulo, divulgada nesta segunda, afirmando que: “as igrejas que prometem cura de homossexuais deveriam ser punidas…”. Este deputado deveria visitar pessoalmente igrejas evangélicas (sérias) e tomar conhecimento “do que” e de “que forma” é pregada a cura de todos os males, por meio da remissão dos pecados por Cristo Jesus. O Senhor Jesus antes de efetuar as curas relatadas na Bíblia, perguntava: “Crês tu que Eu posso te curar?”, e se a pessoa respondia positivamente, o Senhor Jesus completava: “então seja liberto, curado conforme a tua fé…”. Ou seja, precisa haver uma manifestação de vontade e fé por parte da pessoa que deseja a cura ou libertação de algo a ela indesejável, mas que não tem forças para sózinho concretizar. Neste sentido,  corretíssima a afirmação do Pr. Silas Malafaia, ao afirmar que: Os pastores pregam a libertação de qualquer tipo de pecado. São os próprios homossexuais que pedem ajuda para serem libertos”. Portanto, deve ser respeitada a vontade tanto dos homossexuais que querem permanecer “nesta vida”, quanto àqueles que querem buscar em Deus forças, via igrejas, para sair da homossexualidade. ISTO SIM É FALAR COM CONHECIMENTO DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL E IGUALDADE DE DIREITOS SENHOR DEPUTADO!!!!!!! VISTO QUE, DE TEMOR A DEUS, E DE CONHECIMENTO DA BÍBLIA O SENHOR JÁ DEMONSTROU QUE NÃO TEM!!!. Levianas ainda, as afirmações do sr. Aguinaldo Silva, afirmando que “todos” os homossexuais que um dia voltaram à pratica hetero retornaram.Conhecemos muitos que deixaram, constituiram família e permanecem heteros e felizes até hoje. EDSON GROTKOWSKY – Pastor e Advogado.

  11. […] Primeiro, leiamos o que diz a palavra do Senhor: ” 25. Levantando-se um doutor da lei, experimentou-o, dizendo: Mestre, que farei para herdar a vida eterna? 26. Respondeu-lhe Jesus: Que é o que está escrito na Lei? como lês tu? 27. Respondeu ele: Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, de toda a tua força e de todo o teu entendimento, e ao teu próximo como a ti mesmo. 28. Replicou-lhe Jesus: Respondeste bem; faze isso, e viverás. 29. Ele, porém, querendo justificar-se, perguntou a Jesus: E quem é o meu próximo? 30. Prosseguindo Jesus, disse: Um homem descia de Jerusalém a Jericó, e caiu nas mãos de salteadores que, depois de o despirem e espancarem, se retiraram, deixando-o meio morto. 31. Por uma coincidência descia por aquele caminho um sacerdote; quando o viu, passou de largo. 32. Do mesmo modo também um levita, chegando ao lugar e vendo-o, passou de largo. 33. Um samaritano, porém, que ia de viagem, aproximou-se do homem e, vendo-o, teve compaixão dele. 34. Chegando-se, atou-lhe as feridas, deitando nelas azeite e vinho e, pondo-o sobre o seu animal, levou-o para uma hospedaria e tratou-o. 35. No dia seguinte tirou dois denários, deu-os ao hospedeiro e disse: Trata-o e quanto gastares de mais, na volta eu to pagarei. 36. Qual destes três te parece ter sido o próximo daquele que caiu nas mãos dos salteadores? 37. Respondeu o doutor da lei: Aquele que usou de misericórdia para com ele. Disse-lhe Jesus: Vai-te, e faze tu o mesmo. “ – S:Tradução Brasileira da Bíblia/Lucas/XI ———————————————————————————————— O doutor da lei busca saber de quem é o reino dos céus, quem terá direito a vida eterna. Jesus, o Cristo, acolheu ladrões, prostitutas e outros considerados excluídos. Não apenas excluídos. Criminosos. Pessoas que fogem ao comportamento dito “normal”. Quem terá direito a vida eterna? O homem que salvou aquele que estava à beira da morte não se importou em ver quem este era. Não importou a cor, a nacionalidade, a origem. Importou fazer o bem. Acolher o outro, independente de quem é esse outro: esse é um dos cernes da cristandade. Quando alguém propõe “mudar” o outro, o está acolhendo? Cristo não mudou os ladrões, as prostitutas, os bandidos. Ele apenas olhou para eles, quando ninguém mais olhava. Os acolheu e lhes deu uma filosofia nova de vida, que os incluía. O reino dos céus era deles, dos desfavorecidos, não dos endinheirados sacerdotes do templo. Se eles mudaram de vida baseados no discurso dele, foi porque antes ele os aceitou como eles eram. Mas nunca foi a intenção de Jesus mudá-los. Um verdadeiro cristão é aquele que acolhe, sem julgar. Se o acolhido assim deseja mudar, ele muda. Se não, ele ainda assim terá espaço na casa de Deus. Não será excluído porque seu comportamento é moralmente equivocado. Aliás, a moral é segundo plano pra Jesus. Não se julga a moral de quem vive numa vida marginal. De minorias, de excluídos. Você simplesmente acolhe, essa é a profissão de fé. Jesus não evangelizou ninguém. Ele curou, ele profetizou e discursou. Quem o seguiu, seguiu porque quis. O que a parábola nos ensina, a longo prazo? Que o preconceito é sempre preconceito, e quem tem preconceito sempre está errado. Jesus Cristo foi um dos maiores combatentes contra o preconceito. O preconceito era substituído pelo amor, amor esse incondicional. O verdadeiro cristão é aquele que ama o próximo, que dá a cara a tapa. Não é, me desculpem, o discurso de Silas Malafaia. […]

Deixe o seu comentário