Vocalista do Catedral, Kim manda recado aos “fanáticos religiosos”: “Não desejamos vocês como fãs”

Kim, no Facebook

Quando optamos pela “liberdade e pela qualidade” ao invés da “quantidade vazia” dentro do nosso trabalho fizemos de uma maneira consciente e definitiva! Pagamos até hoje um ônus por isso, mas valeu à pena, pois podemos dormir com as nossas consciências tranquilas!

Não há espaço para “fanáticos religiosos” dentro do nosso trabalho musical! Não fazemos música para essas pessoas, até porque elas NUNCA entenderiam a nossa música e a nossa postura artística! Por isso, um aviso educado a esses “fanáticos religiosos” que teimam ainda aparecer por aqui até hoje {e nem eu como psicólogo consigo entender o porquê disso, parece que estão presos a Banda por um profundo desamor doentio, gostam e odeiam ao mesmo tempo, por isso não conseguem compreender o que sentem, sei lá…}: na boa, aqui não é lugar para vocês… Não trabalhamos para vocês! Nem desejamos vocês como fãs! Entenderam? Obrigado…

Nunca negamos a nossa fé e em nenhum momento deixamos de falar de Deus no nosso trabalho! Apenas falamos de forma espontânea e de uma maneira poética, sincera, “totalmente livre”, “desobrigada” e principalmente sem os tais “rótulos artísticos”, “contratos e cachês” para isso! Nosso trabalho mexe com cultura e arte!

Não temos ministério, temos uma “carreira musical consolidada” há 23 anos! Não posamos de santinhos, até porque não somos e graças a Deus por isso! Somos apenas e tão somente humanos! Acertamos e erramos! E erramos mais que acertamos!

Com a nossa atitude de vanguarda feita em “99/2000” construímos um novo público com muita luta e esforço! Uma parte que NUNCA nos abandonou e que já tínhamos preparado bem antes com “canções postergadas” como O silêncio, Terra de Ninguém, Um Novo Tempo, Filhos de Caim, A revolução, O jardim e o Corpo, O sentido, Carpe Diem e tantas outras…. E uma nova parte dentro do Pop/Rock e MPB que sempre curtiu música de qualidade e que somou demais na formação desse “maravilhoso novo público Catedrático”! Público feito de pessoas que refletem!

No Brasil um público assim é de menor quantidade? Sabemos disso… Tudo bem, mas tem muita qualidade! Forma opinião! Tem consistência! E é exatamente isso o que nos importa! Fazer diferença positiva na música! Fazer boa música Para Todo Mundo com conteúdo, sempre! Ser a única Banda de Pop/Rock desse País que sempre foi, é e será contra as drogas! Levar mensagens relevantes sociais, falar de Amor da forma mais sublime possível! Poetizar a vida numa pintura musical ousada e única! Reinventar a cada trabalho realizado!
Deus conhece os nossos corações e os nossos objetivos! Isso nos basta! Nada mais importa…

Amamos o nosso público de todo coração! Sempre tentamos fazer o melhor para esse público que merece tudo e muito mais por todo carinho que sempre demonstrou ao nosso trabalho!

Nosso compromisso profissional é com esse nosso público maravilhoso “popular e gospel, gospel e popular”, de todas as tribos, raças, classes e etc., enfim, um público diferenciado! Seres humanos pensantes! Fora isso, não queremos e nem fazemos acordos com mais ninguém…

dica do Kadu Lopes

numa seara em que muitos cobram caro p/ levitar e (ad)ministrar (a grana), é inspirador ler “não temos ministério, temos uma carreira musical consolidada”.

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Vocalista do Catedral, Kim manda recado aos “fanáticos religiosos”: “Não desejamos vocês como fãs”

15 Comentários

  1. .”.. Não posamos de santinhos, até porque não somos e graças a Deus por isso! Somos apenas e tão somente humanos! Acertamos e erramos! E erramos mais que acertamos!”Dou graças ao meu Deus o dia q resolvi deixar de ser perfeita,pude ver q Deus atua na minha vida CONFORME  a sua Graça e não os meus méritos e para isso ñ precisei tbm sair por aí drogando-me sei lá o q mais… continuei sendo eu mesma, consciente dos meus  sentimentos mas cheia de fé e temor à Desu sem aquele PESO de ser perfeita querendo agradar mais aos homens do q Deus,admiro o trabalho de vcs e a emoção sincera q vcs transmitem!

  2. Gustavofraga2 disse:

    Vou ser sincero. Até o momento de leitura desse texto eu era um dos que metiam o malho em vocês. Sou do tempo em que vocês eram a única banda do meio “gospel” que tocava rock n´roll (mais pop do que rock, mas já valia). Fui num show de vocês em 1994 na Comunidade Evangélica da Zona Sul, no Rio de Janeiro e na época eu nem era cristão, mas tinha amigos cristãos, e fui somente por que era um show. Bem, foi o que vcs fizeram, um show. Não pregaram, mas falaram do amor de Deus nas letras das músicas. Nunca acompanhei o trabalho da banda, só sabia que era o “Legião Urbana gospel”. Quando me converti em 99/00, entrei numa fase meio radical (o que é até compreensível para um neófito) e quando fiquei sabendo que a banda foi para uma gravadora “secular”, considerei vocês dignos do mármore de inferno e desenvolvi ao longo desses anos um preconceito em relação ao Catedral.
    Bem, a fase fanática passou, amadureci na fé, cheguei à mesma conclusão de vocês: não sou santinho, também erro mais do que acerto.
    O posicionamento da banda quanto ao trabalho musical é o que eu creio ser correto, uma carreira musical, nada mais. Arte. Cultura.
    Nunca serei fã por que sou mais chegado ao metal, mas o texto serviu para que eu os respeite.
    Um abraço.

    • jucielde bezerra disse:

      Gustavo, eles nunca foram uma banda realmente gospel, sempre foram diferentes de todos ate hoje são. e é por isso que tem os dois públicos pq a sua musica não tem rótulos. Catedral é Catedral, goste quem quiser, quem não gostar escute outra coisa, mais ficar criticando uma coisa por não gostar é brincadeira vc não acha? e é isso que fazem todo dia, entram no facebook/blog/twitter só pra jogar pedra. Por isso ele escreceu a canção: “Fale mal de mim que diz:
      Fale mal de mim
      Suba nesse palco tente me acompanhar
      Fale mal de mim
      Jogue seu veneno caia e tente negar
      Toda admiração que sentes ao me ver
      Fale mal de mim
      Jogue a pedra do tamanho que você quiser
      Fale mal de mim
      Mas eu sei que voce sabe haja o que houver
      Mesmo se escondendo voce vai me escutarE eu vou fazer voce chorarDe tanta emoção por atingir em cheio o seu coraçãoE eu vou fazer voce me amarSem ter compreensão e sublimar a tua vã negaçãoFale mal de mimMas o que eu tenho você nao vai alcançarFale mal de mimMinha poesia vai fazer voce pararE de uma vez por todas tente entender

  3. Asas disse:

    São uns ignorantes! O fato de não aceitarem as críticas pela postura que tomaram ha anos atrás, demonstram a necessidade de um novo nascimento. Freud não explica mesmo (psicologia), Kim, pois conversão genuína só acontece aos que reconhecem seus pecados, confessam e deixam aos pés da cruz. Agora! Querer justificar o erro cometido, “jogando” nas costas dos “fanáticos religiosos” as críticas recebidas, me faz lembrar de um integrante do CQC depois das barbaridades ditas, ficou “atirando” a esmo, como se fosse o personagem mais importante do Brasil. Quando começaram, vocês começaram pela cruz, mas caíram no colo do mamom. Que Deus tenha misericórdias de suas vidas e mudem de nome.

  4. Asas disse:

    São uns ignorantes! O fato de não aceitarem as críticas pela postura que tomaram ha anos atrás, demonstram a necessidade de um novo nascimento. Freud não explica mesmo (psicologia), Kim, pois conversão genuína só acontece aos que reconhecem seus pecados, confessam e deixam aos pés da cruz. Agora! Querer justificar o erro cometido, “jogando” nas costas dos “fanáticos religiosos” as críticas recebidas, me faz lembrar de um integrante do CQC depois das barbaridades ditas, ficou “atirando” a esmo, como se fosse o personagem mais importante do Brasil. Quando começaram, vocês começaram pela cruz, mas caíram no colo do mamom. Que Deus tenha misericórdias de suas vidas e mudem de nome.

  5. Asas disse:

    São uns ignorantes! O fato de não aceitarem as críticas pela postura que tomaram ha anos atrás, demonstram a necessidade de um novo nascimento. Freud não explica mesmo (psicologia), Kim, pois conversão genuína só acontece aos que reconhecem seus pecados, confessam e deixam aos pés da cruz. Agora! Querer justificar o erro cometido, “jogando” nas costas dos “fanáticos religiosos” as críticas recebidas, me faz lembrar de um integrante do CQC depois das barbaridades ditas, ficou “atirando” a esmo, como se fosse o personagem mais importante do Brasil. Quando começaram, vocês começaram pela cruz, mas caíram no colo do mamom. Que Deus tenha misericórdias de suas vidas e mudem de nome.

  6. Leonardo disse:

    Olha, nem sou muito fã do catedral. Acho inclusive que as músicas da fase “gospel” eram melhores, mas isso aí dá um tapa na cara de muita gente.

    Hoje fui numa festinha de crente, fiquei desconfortável em falar, pô toca um U2 pq isso aí tá bostoso demais.

  7. Marcelocarneiro31 disse:

    acompanho a banda des de 88 hoje tenho 34 anos e jamais deixarei de curtir ate pq a banda catedral fal auma lingua nao muita entendida por muitos amo a banda e sempre, sempre vou curtir.

  8. Isaque Oliveira disse:

    ô coisa Boa…

  9. Vfaria disse:

    UHU!!! O kim é o cara. Sempre deu atenção aos “verdadeiros” fãs e se mostra um cara humilde, simples, cristão e um artista imensurável. Show de bola!

  10. luciano disse:

    Por isso admiro o trabalho dessa banda, além de gostar das músicas, o Kim não tem papas na lingua o q tem q ser dito, é dito e pronto…

  11. Daniel Marchi disse:

    Pois bem diz um velho religioso cheio de orgulho no peito:

    “- Os Santos são aqueles que não pensam. Malditos sejam os formadores de opinião !!” 

Deixe o seu comentário