Patrulha sexual


Antonio Tozzi, no Direto da Redação

No mundo em que vivemos, as pessoas precisam adaptar-se aos padrões vigentes. Esta frase é recorrente, mas será verdadeira? As pessoas precisam mesmo submeter-se aos gostos e tendências de sua “tribo”?

Houve um momento em que exigia-se das mulheres que se casassem virgens. Aquelas que ousavam transar antes de sacramentar seus votos perante a sociedade e a igreja eram praticamente condenadas pela família, pelos amigos e pela chamada “sociedade”. Ou seja, eram taxadas como prostitutas e a muitas não restava mesmo outra saída que não fosse a própria prostituição.

Depois, o ponteiro trocou de lado. Hoje, é quase impossível no mundo ocidental uma moça casar virgem. A garota que chega aos 18 ou 20 anos e ainda mantém sua virgindade é ridicularizada pelas amiguinhas e sofre uma pressão enorme para se livrar deste, digamos, “incômodo”. Aí, elas escolhem um garoto qualquer para transar a fim de se livrar do estigma, como se tivessem doentes.

Então o que podemos dizer do fato de um rapaz que faz este tipo de opção? Casar virgem é um pecado para o homem que, ainda de acordo com os padrões vigentes na sociedade atual, deve sempre ser visto como um conquistador. É preciso vender esta imagem para os familiares, para os amigos e até mesmo para ganhar respeito entre seus pares.

Talvez seja por isto que vem causando tanta polêmica a postura adotada por Tim Tebow (foto), o quarterback do Denver Broncos, que declarou ser virgem e está guardando sua virgindade para a noite de núpcias com sua futura esposa. Por ser um religioso fervoroso, acredita-se que a ungida deva ser sua companheira até que a morte os separe.

No entanto, nada é tão fácil como parece. Mesmo querendo manter-se fiel a seus princípios religiosos, o jovem vem sendo assediado publicamente por várias mulheres ansiosas para que ele rompa seu voto de castidade em suas camas. Ajuda, é claro, o fato dele ser um rapaz jovem, de boa aparência, com uma carreira esportiva em ascensão e ser atualmente um dos jogadores mais comentados da NFL – a liga de futebol americano.

Ou seja, tudo que sai do roteiro preparado causa estranheza. O papa Bento XVI, por exemplo, não poupou críticas à opção sexual dos homossexuais antevendo o fim da humanidade, caso nada for feito para combater esta aberração. Sua opinião é compartilhada por religiosos de muitas igrejas evangélicas para quem o relacionamento entre duas pessoas do mesmo sexo é algo impuro, pecaminoso e anormal.

Claro que, do ponto de vista da procriação, é realmente algo que foge à normalidade, porque somente o ato sexual entre um homem e uma mulher pode gerar filhos, os quais darão continuidade à raça humana. Mas não se pode negar que este patrulhamento às vezes atinge as raias da insanidade. Ora, cada um tem direito de seguir sua orientação sexual, desde que não seduza crianças e adolescentes nem obrigue os outros a aprovar seu estilo de vida.

É incrível como o sexo ainda permeia o imaginário das pessoas, ávidas por se imiscuir na intimidade dos conhecidos e de pessoas famosas, fazendo julgamentos sobre o que é certo e o que deve ser seguido no que se refere ao tema. A maioria das pessoas adora dar lição de moral sobre como se comportar no campo sexual.

Entretanto, apesar das muitas pesquisas e da liberalidade, o assunto ainda é um tabu. E as pessoas procuram formas de se satisfazer sexualmente, assim como dar prazer ao seu parceiro. Tanto isto é verdade que o mercado do sexo não para de crescer – fato que pode ser confirmado nas feiras de artigos eróticos realizadas em cidades como Miami e São Paulo.

Até mesmo Web sites voltados a encontros casuais, onde o objetivo é basicamente encontrar parceiros sexuais, vêm mostrando crescimento exponencial, assim como clubes de swings e relacionamentos envolvendo três pessoas, sendo duas delas do mesmo sexo.

Ou seja, se tudo isto é permitido e criticado ao mesmo tempo por que razão o pobre do Tim Tebow não pode seguir firme no seu propósito de manter-se virgem até o casamento? Para ele, orgasmo mesmo apenas  quando ele faz um belo lançamento que resulta num touchdown para sua equipe.

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Patrulha sexual

1 Comentário

  1. Glaucia disse:

    Antigamente, era mais fácil para os evangélicos optarem por se guardar sexualmente castos até o casamento porque a sociedade meio que também compartilhava dessa postura. Hoje em dia, em que adolescentes de 13, 14 anos já são motivados a iniciar suas vidas sexuais, uma opção desse calibre significa andar na contramão. Os jovens evangélicos deveriam manter-se firmes em suas convicções, sabendo porém que isso vai acarretar chacotas, críticas e até bullying. A cantora Sandy (mesmo não sendo evangélica) passou por poucas e boas ao decidir manter sua virgindade até certa idade. Ficava com pena quando a via sendo alvo de comentários sarcásticos. O legal hoje em dia é ser promíscuo?! É preciso deixar de ser virgem para ser aceito no grupo? É tanta hipocrisia e incoerência… Qd eu era menina, as amigas do colégio cansaram de me oferecer cigarro. Nunca aceitei, era a única que não fumava e meio que me sentia peixe fora d’água por causa disso. Atualmente os fumantes é que estão sendo postos contra a parede. Se vc errar, é melhor errar por causa de suas convicções, e não porque foi na onda dos outros.

Deixe o seu comentário