Perfil: um homem simples

Rafael Bergamaschi, no iG

Onde você mora? “Eu não moro em lugar algum, estou sempre viajando”. É assim que Andrew Hyde, 27, responde quando alguém pergunta sobre seu lar. Viajando há um ano e meio, o webdesigner natural do Oregon, nos Estados Unidos, vendeu tudo o que possuía (carro, casa, roupas, televisão…) e botou o pé na estrada em busca de autoconhecimento. Hippie ou visionário?

“Eu estava muito confortável, precisava de um desafio, de algo novo”, diz sobre o momento em que decidiu mudar de vida, em agosto de 2010. “Eu tinha um apartamento cheio de coisas. Uma cama, um armário, um carro… Tudo que acumulei depois da faculdade”, descreve.

Durante o primeiro ano de viagem, Andrew carregou apenas 15 objetos: laptop, celular, algumas roupas e uma mochila. Segundo ele, a sensação ao se livrar de tudo é algo próximo da origem dos seres humanos: “foi fantástico. Eu me senti extremamente simples”. Ao longo do caminho, alguns itens foram adicionados – mas só alguns. “Agora estou com 39 coisas. Tudo tem que caber na mochila”.

Para bancar a extravagância, além do dinheiro conseguido com a venda dos pertences, Andrew trabalha como freelance (sem compromisso empregatício) para diversas empresas. O trabalho, é claro, pode ser realizado de qualquer lugar, bastam o laptop e uma conexão wi fi.

Até o momento, o norte-americano passou por 32 países espalhados por três continentes: Ásia, América e Europa. Ele conta que o país que ele mais gostou foi a Colômbia, pela vivacidade do povo, mas, claro que, passando por tantos lugares, nem todas as experiências foram positivas. “Nepal foi o mais difícil. Não digo que seja um país ruim, é apenas um lugar duro de visitar. Vi algumas coisas que não queria ter visto…”, diz, sem entrar em detalhes.

Como um profeta ou um guru, Andrew acumula seguidores por onde passa. “Muitos dizem que querem fazer o mesmo e me fazem um monte de perguntas para saber como agir”, garante.

Se conseguir “fiéis” não é um problema, a dificuldade está em encontrar um romance. “É difícil ter um relacionamento sério, pois você só estará naquele lugar por um período curto de tempo”.

A vida de viajante, aventureiro e arauto da simplicidade, pode dificultar a possibilidade de engatar um namoro, mas Andrew afirma que a experiência acumulada pelo caminho o ajudou no terreno das conquistas. “Você passa a se conhecer melhor e a gostar mais de quem você é. Acho que isso ajuda na hora de conhecer alguém”.

Um homem simples, Andrew não sonha com carros importados ou condomínios luxuosos. “Quero viajar por mais um tempo e depois me estabelecer em algum lugar no Colorado. Morar em uma cabana” diz, antes de finalizar: “acho que eventualmente vou acabar tendo um pouco mais de cem coisas, mas, por enquanto, aproveito a simplicidade”.

Foto: Arquivo pessoal

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Perfil: um homem simples

1 Comentário

  1. E eu que achava que era simples.

Deixe o seu comentário