É só saber enxergar

Olhos

Clarissa Correa, na TPM

Tem gente que procura infelicidade pelos buracos da fechadura. Francamente, não tenho paciência. Eu nasci pra ser feliz. E a cada dia que passa tenho mais certeza disso.

Eu sei que já procurei pelo em ovo, já procurei chifre em cabeça de coelho, já vi coisa onde não tinha. Sei disso tudo. Já me meti em muita enrascada e fiz muita indiada nessa vida. Mas isso faz parte do processo de amadurecimento e do crescimento emocional. Porque é só levando na orelha que a gente aprende. Aliás, é só assim que eu aprendo, pois sempre escolhi os caminhos mais cheios de lama.

Já fiz muitas escolhas erradas. E andei muito na contramão. Mas cada queda me ensinou a olhar pra frente. A gente não pode viver a vida olhando para o que passou. Ninguém tem a obrigação de fazer você feliz. Não posso querer que alguém satisfaça meus desejos. E não devo, de maneira alguma, colocar na mão do outro a minha felicidade.

Não dá pra se adiar. Não vou ser feliz quando escrever um livro. Não vou ser feliz quando tiver um filho. Não vou ser feliz quando perder dez quilos. Não vou ser feliz quando encontrar um amor. Não vou ser feliz quando ele largar ela pra ficar comigo. Não vou ser feliz quando comprar um apartamento. Não vou ser feliz quando for promovida. E se você viver de aluguel o resto da vida? E se você for estéril? E se você sempre tiver uns quilinhos a mais? E se você nunca encontrar aquele amor pra vida toda? E se ele nunca deixar ela? E se você passar a vida servindo os outros? Não dá pra dizer só-vou-ser-feliz-de-verdade-quando. Uma hora você olha pra trás, vê que o quando não chegou e percebe que passou os dias esperando por coisas que não vieram e jamais vão acontecer. Vai sentir raiva de si mesma. Vai ter vontade de se jogar pela janela. Vai se sentir minúscula, vazia, um nada.

E quer que eu te conte um segredinho? Você pode conquistar tudo que sempre sonhou e, ainda assim, ser infeliz. Conheço gente bem nascida, com casa, carro, profissão, filhos lindos, parceiro que trata bem e tem caráter e mesmo assim é infeliz. A gente vive atrás de alguma coisa. E muitas vezes nem sabemos que coisa é essa. Nomeamos, assim, só por nomear. Um sapato novo, um tratamento para espinha, um mestrado, um dinheiro a mais no fim do mês, uma casa maior, um jardim, um filho saudável, um cara que te escute e te admire. Mas será que é isso mesmo que falta? Será que alguém preenche um vazio que às vezes existe e outras tantas a gente inventa só pra brincar de ser infeliz?

Eu quero muitas coisas na minha vida. E sei que sempre vou querer. Quero ser reconhecida, quero vender meus livros, quero publicar muitos e muitos outros, quero ser lida, quero ter uma filha, quero ter mais um cachorro, quero continuar tendo meu amor, minha família e meus bons amigos ao lado. Mas eu sou feliz. Procuro ver o que tenho de bom na frente, ao lado, no peito. Tenho gente que me ama. Tenho um trabalho que gosto. Mudei de vida, fui atrás do meu sonho, arrisquei muitas coisas, contrariei várias pessoas, não ouvi opiniões alheias e fui atrás do que meu coração gritava. Não me arrependi um segundo sequer. Passei trabalho, sim. Mas sou feliz e realizada com minha vida profissional. Tenho muitas metas e projetos e não vou parar nunca. Tenho um amor de verdade, tenho amigos de verdade, tenho uma família fantástica, que sempre me deu força e apoio. Mas nem tudo são flores, mesmo porque não existe vida perfeita. Sou cheia de defeitos, estourada, chata, com manias, mimada, cabeça dura e implicante. E tenho síndrome do pânico. E psoríase no couro cabeludo. E meus dedos dos pés são compridos. E tenho uma manchinha no pescoço que todo mundo acha que é chupão. E minha batata da perna é gorda. E meu dedão da mão direita é esquisito, tipo o da Megan Fox. E eu calço 38. Sempre quis ter pé de princesa, mas não fui agraciada pelo Rei dos Pés Pequenos e Musos. E eu queria ser magrela, mas não fui agraciada pela Rainha da Folha de Alface. Gosto de comida de gordo. Xis, pizza, massa, risoto, salgadinho, porcaria. Também adoro saladas e frutas, mas se você me perguntar se eu quero comer uma saladinha de rúcula e alface americana ou um fast food, pode apostar que vou na segunda opção.

Eu nunca vou ser perfeita. E sei disso. Mas quer saber? Sou tranquila. Só quero estar em paz comigo mesma. Só quero estar em paz com minhas imperfeições, pois elas também têm seu charme. E seduzem. Mas a primeira pessoa que você tem que seduzir é você mesma. Por isso é tão importante a gente se respeitar e saber exatamente o que quer. E o que não quer. O que espera do outro. O que espera da gente mesmo. Qual o nosso limite. O que a gente aceita e o que não tolera de forma alguma. E saber que ninguém tem tudo. Mas se a gente quer mesmo uma coisa, precisa arregaçar as mangas e batalhar por ela. Sem fechar os olhos para as belezas da vida. Porque tem muita coisa bonita por aí. É só saber enxergar.

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for É só saber enxergar

Deixe o seu comentário