O Deus que devasta mas também cura

O DEUS QUE DEVASTA MAS TAMBÉM CURA – Lucas Santtana from Daniel Lisboa on Vimeo.

Marcus Preto, na Folha.com

O casamento estava acabado. Na manhã em que Lucas Santtana deixou a casa em que vivia com a mulher, em maio de 2010, aconteceu uma das maiores tempestades da história do Rio de Janeiro.

Nos dias seguintes, a areia tomou as ruas, que ficaram intransitáveis. As escolas não abriram, ninguém trabalhou.

“Tinha gente filmando com celular os carros virados em cima do alambrado”, diz. “Ficava essa sensação de ser uma coisa inevitável e avassaladora –mais do que querer ou não querer. E é determinante. Sai varrendo.”

O caos –pessoal e coletivo– daquele momento está impresso em canções do recém-gravado “O Deus que Devasta Mas Também Cura”, quinto álbum do músico, que chega às lojas em março.

Para realizá-lo, Santtana, 42, que nasceu em Salvador, mas vive no Rio há duas décadas, contou com um time dos sonhos interestadual: músicos que representam o melhor da nova geração carioca, paulista, pernambucana e baiana.

Na vida real, juntar todos esses músicos em um único disco custaria bem caro.

“Nossa geração tem esse corporativismo. Ninguém tem muita grana, então não cobram de mim o que cobrariam da Ivete [Sangalo]. Topam porque admiram o trabalho e querem participar.”

Em discos anteriores, Santtana partiu sempre de uma ideia musical. Depois, criou canções que se adequassem a ela. Assim, “3 Sessions in a Greenhouse” (2006) nasceu do desejo de usar técnica de dub em música brasileira; “Sem Nostalgia” (2009), de trabalhar com voz e violão.

Mas, em “O Deus…”, os temas –as letras– se impuseram. E o processo de criação teve que ser invertido. Para ressaltar o caráter emotivo das canções, fez arranjos de cordas e usou samples de peças sinfônicas de Beethoven, Ravel e Debussy.

dica do Moisés Gomes e do Thiago Bomfim

Ficha técnica

Direção – Daniel Lisboa, Diego Lisboa e Matheus Vianna
Roteiro – Daniel Lisboa
Fotografia – Daniel Lisboa e Diego Lisboa
Edição – Daniel Lisboa, Diego Lisboa e Matheus Vianna
Ass. Edição – Joline Andrade
Tratamento de Cor – Jefinho
Imagens Subaquáticas – Marcelo Zimmermann
Produção – Daniel Lisboa e Matheus Vianna
Web Designer – AP 303
Realização – Cavalo do Cão Filmes
Locações – Praia do Buracão – Porto da Barra – Terreiro de Jesus

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for O Deus que devasta mas também cura

Deixe o seu comentário