“O problema não é apenas ganhar as almas, mas também salvar as mentes”

Israel Belo de Azevedo, no Prazer da Palavra

Estimulado por William Lane Craig, fui ler Charles Malik (1906–1987), um embaixador libanês, que presidiu a ONU e que em 1980 disse as seguintes importantes palavras:

“O problema não é apenas ganhar as almas, mas também salvar as mentes. Se você ganha o mundo inteiro e perde a mente do mundo, logo descobrirá que você não ganhou o mundo. Na verdade, perceberá que, na realidade, perdeu o mundo”.

Por isto, “cristãos responsáveis enfrentam duas tarefas: salvar a alma e salvar a mente. Se é da vontade do Espírito Santo que atendamos à alma, certamente não é da sua vontade que negligenciemos a mente”.

Naquela época, ele via como uma tarefa dos cristãos “intelectualizar-se de modo que seja capaz de falar à universidade e, então, evangelizar a universidade e, assim, salvar o mundo”.

Para Malik, “esta é a grande tarefa, a tarefa histórica, a tarefa necessária, a tarefa exigida em alto e bom som pelo próprio Espírito Santo” (MALIK, Charles H. Malik. The Two Tasks. Journal of the Evangelical Theological Society. JETS 23:4, Dec 1980).

Como cumprir esta tarefa, se o anti-intelectualismo ainda é forte no meio cristão?

imagem: Para mulheres

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for “O problema não é apenas ganhar as almas, mas também salvar as mentes”

Deixe o seu comentário