Briga de cachorros grandes

Romeu Prisco, no Direto da Redação

Num dos últimos programas “Domingo Espetacular” (18.03.2012), a Rede Record divulgou longa reportagem, ancorada por Marcelo Rezende, exibindo parte da fortuna do apóstolo Valdemiro Santiago, “dono” da Igreja Mundial do Poder de Deus, auferida graças às contribuições (dízimos) efetuadas pelos fieis daquela seita evangélica. Seriam fazendas e mais fazendas, compondo extensa área de terras, para exploração de atividade agropecuária.

Isso é que se pode chamar de “briga de cachorro grande”. Por trás da citada reportagem está a Igreja Universal do Reino de Deus, do Bispo Edir Macedo, cuja fortuna teve a mesma origem do seu “concorrente”. A Rede Record está fazendo com a Igreja Mundial do Poder de Deus, o mesmo que a Rede Globo já fez com a Igreja Universal do Reino de Deus.

Por sua vez, o sisudo e altissonante pastor Silas Malafaia, “dono” da Igreja Vitória em Cristo, disse que os “donos” daquelas igrejas, Bispo Edir Macedo e apóstolo Valdemiro Santiago, são farinha do mesmo saco, mas, nem por isso, deixa de enfatizar nos seus sermões a necessidade de os “patrocinadores” do seu culto cumprirem as obrigações financeiras.

Também recentemente, o SBT levou ao ar matéria produzida por Roberto Cabrini, abordando a igreja Assembléia de Deus e as pesadíssimas acusações que recaem sobre seu “dono”, apóstolo Marcos Pereira. O missionário R.R. Soares, “dono” da Igreja Internacional da Graça de Deus, valendo-se da sua aproximação com o Bispo Edir Macedo e o Senador Marcelo Crivela, obteve passaporte diplomático, que até os filhos do ex-Presidente Lula tiveram de devolver ! De quebra, com o crescimento da igreja, sustentada pelos fieis através do pagamento de carnês das “mensalidades”, R.R. Soares passou a vender assinaturas de TV a cabo.

Mais “discretos” no momento, porém não menos envolvidos, no passado, em incidentes “monetários”, quando tentaram entrar nos EUA com elevada quantia de dólares, não declarada, estão a Bispa Sonia e o apóstolo Estevam Hernandes, “donos” da Igreja Renascer. Foram presos, processados, condenados e cumpriram pena em regime domiciliar. Centenas de outras igrejas evangélicas de menor porte estão espalhadas pelo país.

Vários são os aspectos dessas igrejas, que chamam a atenção. O primeiro deles é o tratamento dispensado aos seus titulares, ou responsáveis, chamados de “donos”, como se se tratasse de negócios comerciais, autênticos filões do mercado, ainda não totalmente esvaziados. Aliás, esvaziados estão ficando os templos dos outros credos religiosos. Esses “donos” falam descaradamente em nome de Deus, com a maior naturalidade, como se do Senhor fossem procuradores. Suas igrejas ocupam largos e onerosos espaços na televisão, oferecendo aos fieis os mais variados “pacotes” de cura física e espiritual, com direito à vaga eterna no reino divino. Realizam enormes concentrações e marchas, cada vez angariando mais seguidores.

Antes de prosseguir, quero deixar bem claro que este texto não se refere ao evangelismo propriamente dito, mas sim aos espertalhões que dele se valem para obter rápido enriquecimento, lícito apenas na aparência. Se as suas atividades fossem rigorosamente fiscalizadas pelas autoridades competentes, ver-se-ia que elas se confundem com a prática de estelionato e curandeirismo, fora outros delitos criminais. Entretanto, acontece que o Poder Público prefere as massas anestesiadas e contemplativas, do que as massas lúcidas e reivindicativas. Dão menos trabalho, votam, pagam impostos e não reclamam, na expectativa de manter obediência às recomendações bíblicas.

Sem participarem diretamente da briga, mas, atentos às vantagens que podem ser auferidas pela televisão, estão vários padres católicos, verdadeiros “showmen”, alguns deles despidos da batina, artisticamente produzidos, com “franjinha” no cabelo, cantando, dançando e promovendo a venda dos seus CDs e DVDs. Um padre, este da Igreja Católica Brasileira, de batina e estampa de galã cinematográfico, participou do programa “Superpop”, da RedeTV!, para selecionar candidatas, interessadas em com ele contrair matrimônio ! Foi uma correria de mulheres de todas as idades, proclamando seus dotes morais e exibindo seus atributos estéticos.

Diante de tudo isso, fica difícil duvidar da máxima, segundo a qual “a religião é o ópio do povo”.

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Briga de cachorros grandes

2 Comentários

  1. No news… entre os intelectuais cínicos e os pentecostais ladrões quem sobra ???

  2. Steffidecastro disse:

    O problema disso tudo é como as pessoas que estão de fora e estão vendo esta situação vai aceitar e entender a mensagem de Jesus? É isso que me preocupa. Isso faz com que Jesus se torne uma religião, uma igreja institucional… 

Deixe o seu comentário