Você abriria mão do sexo em troca de acesso à internet?

Natasha Romanzoti, no Hype Science

Quão longe você iria só pra ter acesso à internet? “O que você trocaria por acesso à internet” foi a exata pergunta que o grupo Boston Consulting Group fez a participantes em todo o globo. Alguns dos resultados americanos surpreenderam:

  • 21% das pessoas parariam de fazer sexo por acesso à internet. É como dizer: “Desculpe querido, eu prefiro ler o que o Ronaldo disse no Twitter”.
  • 84% abririam mão de seu GPS. Afinal, basta pedir informações, não é?
  • 83% diriam adeus ao fast food. Ou seja, maior que a obsessão por comida porcaria, é a obsessão pela internet. Uma coisa boa dela pelo menos: pode contribuir para diminuir os casos de obesidade.
  • 77% cortariam o chocolate. O que significa que 23% das pessoas são loucas por doce o suficiente para desistir da rede ampla mundial.
  • 73% nunca mais iriam a um happy hour. Mais um ponto à web: quase três quartos dos americanos diriam adeus às bebidas alcoólicas, a fim de ter acesso à internet.
  • 43% não fariam mais exercícios físicos. Qualquer desculpa para ignorar a academia, né?
  • 10% jogariam fora suas chaves do carro! Imagine ficar a pé para ter internet?

Mas essa é definitivamente a pior:

  • 7% das pessoas parariam de tomar banho para ter acesso à internet.

É isso mesmo, as pessoas estão dispostas a desistir da higiene básica pelos seus amigos virtuais (que provavelmente seriam os únicos de uma pessoa que não toma banho).

Pior que os americanos, só os britânicos: 17% renunciaram ao banho por um ano inteiro a fim de obter acesso à web.

Os resultados são surpreendentes e um pouco perturbadores. Com um número crescente de estudos que mostram como a tecnologia pode afetar nossa saúde, de bagunçar os padrões de sono a ferir a autoestima, não podemos deixar de pensar… Será que já não é hora de fazer uma desintoxicação digital?

Comentários

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Você abriria mão do sexo em troca de acesso à internet?

Deixe o seu comentário